Dez coisas que você não deve fazer com o seu roteador Wi-Fi

Confira a lista de ações que podem prejudicar o dispositivo e a conexão com a Internet

email facebook googleplus pinterest twitter whatsapp

Por Jonatan Rodrigues, para o TechTudo

O roteador Wi-Fi é um aparelho fundamental para fornecer acesso à Internet aos dispositivos da sua casa. Por isso, o usuário precisa tomar alguns cuidados para não prejudicar a conexão ou o próprio equipamento. Posicionar a antena de maneira incorreta, por exemplo, pode atrapalhar a propagação do sinal.

Quer comprar celular, TV e outros produtos com desconto? Conheça o Compare TechTudo

Outra atitude que deve dificultar o acesso à rede é deixar o roteador em lugares errados, como no chão ou próximo de uma parede. Para ajudar, o TechTudo preparou uma lista com as 10 ações que você deve evitar para que o aparelho funcione sem nenhum problema.

Repetidores: saiba como ampliar o sinal Wi-Fi da sua casa

Repetidores: saiba como ampliar o sinal Wi-Fi da sua casa

1. Deixar o roteador em qualquer lugar

Muitas pessoas devem reclamar do sinal de Internet sem ao menos perceber que estão deixando o roteador em qualquer lugar. O problema é que o local onde o equipamento está instalado afeta diretamente o seu desempenho.

Colocar o roteador no chão, próximo a uma parede ou perto de outros dispositivos que emitem frequências sem fio, como microondas ou telefones sem fio, são exemplos de situações que prejudicam o sinal. O ideal é sempre manter o roteador em um local mais alto e livre de barreiras, para que a Internet seja distribuída de forma uniforme, de cima para baixo.

2. Deixar as antenas em qualquer posição

Pode parecer que não, mas a posição das antenas do roteador influencia na propagação do sinal Wi-Fi. Embora as antenas sejam omnidirecionais – ou seja, distribuem o sinal em todas as direções –, elas não se espalham uniformemente em todos os sentidos. Por isso, você deve atentar sempre para a posição ideal para melhorar a qualidade da conexão.

O ideal é deixar as antenas retas para cima, com o sinal indo na horizontal. Normalmente, os dispositivos receptores – notebook, celular, smart TV – ficam no mesmo plano do roteador. Com isso, a captação do sinal tende a ser melhor.

3. Deixar de alterar a senha padrão

Ao comprar um roteador, normalmente, o primeiro passo é tentar se conectar rapidamente à rede Wi-Fi. Porém, alguns usuários podem se esquecer de fazer a tarefa mais fundamental: mudar a senha padrão.

Manter a credencial inicial de fábrica facilita – e muito – o trabalho de hackers que podem invadir a rede. Para proteger os seus dados particulares, é importante alterar a senha antes de começar a usar o aparelho.

Como configurar a senha do seu roteador Wi-Fi

Como configurar a senha do seu roteador Wi-Fi

4. Deixar de atualizar o software do roteador

Divulgado em junho de 2018, um levantamento da Avast apontou que 72% dos brasileiros nunca atualizaram o software do roteador. Manter o sistema desatualizado deixa aparelho ainda mais vulnerável em relação à segurança. O risco de sofrer um ataque cibernético é maior – como, por exemplo, o malware VPNFilter, que infectou mais de 700 mil dispositivos só no último mês de junho.

Sem o update de correção, a ameaça fica livre para explorar a brecha de segurança e invadir a rede. Dessa forma, hackers conseguem interceptar o tráfego do usuário para roubar informações que não são criptografadas.

Brasileiros estão vulneráveis em segurança de roteadores, diz pesquisa (Foto: Reprodução/Pond5) Brasileiros estão vulneráveis em segurança de roteadores, diz pesquisa (Foto: Reprodução/Pond5)

Brasileiros estão vulneráveis em segurança de roteadores, diz pesquisa (Foto: Reprodução/Pond5)

5. Trocar o roteador só porque o sinal do Wi-Fi parece ruim

Geralmente, a primeira desconfiança ao ver o sinal de Internet ruim é pensar que a culpa é do roteador. Para alguns usuários, a única forma de resolver o problema é trocar o aparelho – isso sem verificar qual é o verdadeiro empecilho.

Em alguns casos, a dificuldade de propagação de sinal está no tamanho do espaço. Se for um local muito amplo, com andares superiores, o ideal é testar um repetidor Wi-Fi ou um access point. Os dispositivos prometem aumentar o alcance da Internet para levá-la a partes que antes não tinham tanta eficiência.

Repetidores aumentam a cobertura de uma rede sem fio (Foto: Luciana Maline/TechTudo) Repetidores aumentam a cobertura de uma rede sem fio (Foto: Luciana Maline/TechTudo)

Repetidores aumentam a cobertura de uma rede sem fio (Foto: Luciana Maline/TechTudo)

6. Deixar de habilitar o firewall do roteador

O recurso de firewall do roteador cria mais uma barreira para proteger a conexão Wi-Fi de informações corrompidas, ataques hackers, malwares e pessoas mal-intencionadas. Dessa forma, é feita uma varredura, ou filtragem, dos pacotes de dados e endereços de portas da rede, que pode servir como mais uma aliada de segurança no PC.

Não ativar essa funcionalidade, que pode vir desativada de fábrica, é um grande erro. Você pode conferir um passo a passo de como fazer essa ativação na prática e não correr riscos na sua rede.

7. Deixar de bloquear pessoas conectadas à rede

É possível descobrir quem está invadindo sua rede Wi-Fi por meio das configurações do roteador. Se você já está desconfiando da atitude, o ideal é garantir que o dispositivo suspeito nunca mais use a conexão. Veja quais são os métodos para bloquear as pessoas da rede.

Como bloquear pessoas conectadas na sua rede Wi-Fi

Como bloquear pessoas conectadas na sua rede Wi-Fi

8. Deixar sempre ligado com medo de perder as configurações

O roteador não precisa estar sempre ligado na tomada para guardar suas informações de login e senha. Atualmente, os roteadores disponíveis no mercado contam com uma memória interna para ativarem a última configuração assim que são religados.

Em períodos muito longos longe de casa, tirar o dispositivo da tomada pode aumentar a conservação e evitar que ele sofra algum dano por conta de picos de energia. Em uma viagem, por exemplo, é recomendável deixar o roteador desligado.

Desligar roteador não some com configurações do usuário (Foto: Luciana Maline/TechTudo) Desligar roteador não some com configurações do usuário (Foto: Luciana Maline/TechTudo)

Desligar roteador não some com configurações do usuário (Foto: Luciana Maline/TechTudo)

9. Deixar de configurar o QoS em dispositivos que já tem a função

O QoS (Quality of Service, em inglês) é uma tecnologia presente em roteadores para garantir ao usuário maior controle sobre sua rede Wi-Fi. Por meio da ferramenta, é possível determinar quais dispositivos e serviços terão maior prioridade de conexão.

Se você tiver um roteador com essa função, é importante configurá-la para que possa aproveitar ao máximo os recursos que demandam maior volume de conexão, como a reprodução de vídeos em streaming e jogos online.

Roteadores com QoS contam com tecnologia que prioriza conexão parar o que é mais importante (Foto: Yuri Hildebrand/TechTudo) Roteadores com QoS contam com tecnologia que prioriza conexão parar o que é mais importante (Foto: Yuri Hildebrand/TechTudo)

Roteadores com QoS contam com tecnologia que prioriza conexão parar o que é mais importante (Foto: Yuri Hildebrand/TechTudo)

10. Deixar acumular poeira

Assim como qualquer outro aparelho eletrônico, o roteador também precisa passar por uma rotina de limpeza periódica. Deixar acumular sujeira ou poeira pode ser um dos pontos principais que vão ajudar a diminuir a vida útil do dispositivo.

Qual é o melhor canal de roteador Wi-Fi? Descubra no Fórum do TechTudo.

MAIS DO TechTudo