Por Rodrigo Fernandes, para o TechTudo


Existem várias formas de manter o público com os olhos fixados no celular, e as redes sociais sabem como fazer isso. Mesmo com o recente lançamento de ferramentas para controle do tempo de uso por parte do Instagram e do Facebook, o que demonstra uma preocupação dos empresários com consumidores que gastam muito tempo nos aplicativos, ainda existe um interesse em manter os usuários dentro da plataforma.

Algumas táticas utilizam questões tecnológicas para seduzir os usuários e fazer com que eles consumam um tempo maior nas redes sociais, como o uso de algoritmos ou envio constante de notificações. O vício nas redes sociais pode causar transtornos físicos, mentais e sociais nas pessoas, e entender as estratégias por trás disso pode ajudar a criar uma rotina de uso saudável. Confira, na lista a seguir, sete táticas utilizadas pelas redes sociais para prender a atenção do usuário e como se proteger delas.

Redes sociais que (quase) todo mundo já usou

Redes sociais que (quase) todo mundo já usou

Quer comprar celular, TV e outros produtos com desconto? Conheça o Compare TechTudo

1. Feed infinito

Criada em 2006 pelo então funcionário da Mozilla, Aza Raskin, a barra de rolagem infinita permite que o usuário percorra um feed que não tem fim, rolando a tela mais tempo que o necessário com o objetivo de visualizar cada vez mais conteúdo — que muitas vezes pode nem ser tão interessante assim. Essa facilidade em encontrar fotos, vídeos e textos pode alimentar uma compulsão, fazendo com que o usuário perca a noção de quanto tempo passou online.

Segundo Raskin, o modelo é viciante. “Por trás de cada tela do seu telefone, geralmente, há mil engenheiros que trabalharam nisso para tentar torná-lo mais viciante. A rolagem infinita faz com que os usuários percorram o conteúdo sem precisar clicar, e se você não der tempo ao cérebro para alcançar seus impulsos, simplesmente vai continuar rolando a tela", disse Raskin à BBC.

Alerta irá aparecer no meio do feed e deve dividir publicações recentes e antigas — Foto: Reprodução/Instagram Alerta irá aparecer no meio do feed e deve dividir publicações recentes e antigas — Foto: Reprodução/Instagram

Alerta irá aparecer no meio do feed e deve dividir publicações recentes e antigas — Foto: Reprodução/Instagram

Recentemente, o Instagram lançou um alerta que surge no feed após o usuário visualizar todos os posts disponíveis, com a frase “Isso é tudo — você viu todas as novas publicações dos últimos dois dias”.

2. Notificações Push no celular

Geralmente, ao instalar um aplicativo, uma das primeiras configurações obrigatórias que surgem na tela é a permissão para envio de notificações. É válido destacar que os alertas são importantes no dia a dia. Mensagens do WhatsApp, por exemplo, podem ser visualizadas e respondidas facilmente através das notificações no celular. Em outros casos, os alertas mostram horários de voo ou de outros compromissos.

Notificação no Facebook "prende" usuário ao aplicativo — Foto: Pond5 Notificação no Facebook "prende" usuário ao aplicativo — Foto: Pond5

Notificação no Facebook "prende" usuário ao aplicativo — Foto: Pond5

Entretanto, as mensagens de novas curtidas, comentários, interações e seguidores despertam a curiosidade dos usuários, que se veem obrigados a voltar à rede social para visualizar detalhadamente a ação ou para responder os amigos. Desativar as notificações ou personalizá-las para alertar apenas o que for, de fato, importante, pode ajudar a diminuir essa ansiedade em visualizar novas interações nas redes sociais. Assim, elas poderão ser acessadas sem pressa posteriormente.

3. Algoritmos

Instagram usa algoritmo para mostrar o que é relevante — Foto: Carolina Oliveira/TechTudo Instagram usa algoritmo para mostrar o que é relevante — Foto: Carolina Oliveira/TechTudo

Instagram usa algoritmo para mostrar o que é relevante — Foto: Carolina Oliveira/TechTudo

A utilização de algoritmos robóticos para identificar o que é interessante para o usuário é uma estratégia que surgiu no Facebook e foi absorvida por várias redes sociais, como Instagram e Twitter. Desta forma, os usuários não veem apenas posts recentes dos amigos, mas também o que foi publicado em horários em que ele não esteve online. Com mais fotos e vídeos do seu gosto na tela, o usuário passa mais tempo com os olhos no celular do que caso visse conteúdos indesejados.

A possibilidade de o usuário silenciar manualmente publicações ou perfis de amigos também ajuda as redes sociais a criar um feed compatível com o gosto do usuário. Usuários de Facebook e Instagram, principalmente, reclamam do sistema de algoritmos, e pedem a volta da visualização de posts em ordem cronológica. Recentemente, o Instagram voltou a postar posts recentes no topo da tela e o Facebook passou a priorizar posts de amigos.

4. Inclusão constante de novos recursos

Com o passar do tempo, os recursos das redes sociais deixam de ser novidade e se tornam comuns, o que pode provocar a falta de interesse dos usuários. Para reverter essa situação, as plataformas investem constantemente no lançamento de novas funcionalidades, principalmente nas que incentivam a interatividade entre os usuários.

Adesivo de perguntas do Instagram Stories — Foto: Rodrigo Fernandes/TechTudo Adesivo de perguntas do Instagram Stories — Foto: Rodrigo Fernandes/TechTudo

Adesivo de perguntas do Instagram Stories — Foto: Rodrigo Fernandes/TechTudo

O Instagram é uma das redes que mais libera atualizações nesse sentido. Recentemente, os Stories receberam diversos novos stickers de interações, como o de emojis deslizáveis e o de “Faça uma Pergunta”. O Facebook, por sua vez, está alterando a barra de navegação nos aplicativos para smartphone, para que os usuários encontrem com mais facilidade os recursos que mais utilizam na rede social.

A função de salvar postagens para ver depois também ajuda a voltar à rede social mais tarde. Disponível no Facebook, no Instagram e liberado recentemente no Twitter, a função permite que os usuários guardem as publicações para acessar posteriormente.

5. Curtidas trazem "prazer" ao usuário

Receber uma curtida nas redes sociais libera dopamina e sensação de prazer no organismo — Foto: Divulgação/Facebook Receber uma curtida nas redes sociais libera dopamina e sensação de prazer no organismo — Foto: Divulgação/Facebook

Receber uma curtida nas redes sociais libera dopamina e sensação de prazer no organismo — Foto: Divulgação/Facebook

Uma pesquisa divulgada pela Start Digital afirma que receber uma curtida nas redes sociais libera no organismo uma dose de dopamina, neurotransmissor relacionado ao prazer. Segundo o estudo, esse prazer adquirido pelas interações recebidas nas redes sociais pode ser associado à mesma sensação de quando ganhamos dinheiro ou comemos chocolate.

Ainda de acordo com o texto, quanto mais likes o usuário recebe, mais dopamina o corpo necessita, criando um ciclo viciante no qual é necessário publicar mais fotos e vídeos para ganhar mais curtidas. “Os cientistas costumavam pensar que a dopamina era responsável pelo prazer no cérebro, mas agora sabemos que, em vez de gerar prazer, isso nos faz buscá-la”, diz o relatório.

A ação de “curtir” uma publicação foi lançada pelo Facebook em 2009, quase cinco anos após o lançamento da plataforma. Após isso, todas as redes sociais criaram sistemas semelhantes (ou até iguais) para avaliação de posts dos amigos.

6. Presença em todos os dispositivos do dia a dia

Óculos do Snapchat trazem a rede social para além da tela do celular — Foto: Divulgação/Snap Óculos do Snapchat trazem a rede social para além da tela do celular — Foto: Divulgação/Snap

Óculos do Snapchat trazem a rede social para além da tela do celular — Foto: Divulgação/Snap

Anteriormente disponíveis apenas no computador ou no celular, as redes sociais invadiram vários aparelhos eletrônicos do dia a dia para facilitar seu uso e incrementar suas funções. Hoje, também é possível acessar os apps em tablets, smart TVs, smartwatches, e até em óculos, caso do Snapchat.

Essa variação de plataformas facilita o acesso e desperta o interesse do usuário em acessá-las através de outros dispositivos. Logo, mesmo que o smartphone não esteja próximo, não será difícil acessar as redes sociais.

7. FoMo

O hábito de checar as redes sociais a cada cinco minutos ou pensar constantemente que está perdendo algo importante no ambiente online pode ser um sintoma da FoMo, sigla para "Fear of Missing Out", ou “medo de estar perdendo algo”, em português. Segundo especialistas, a síndrome é identificada geralmente em jovens e adultos de até 34 anos, mas pode afetar pessoas de qualquer idade, causando sintomas como mau humor, ansiedade, stress, tédio e solidão.

Todas essas técnicas utilizadas pelas redes sociais para prender os usuários em suas plataformas podem despertar o problema, que pode ser considerado como vício. Para evitar que a utilização dos smartphones se torne um problema de saúde, o usuário pode se conscientizar a acessar as redes sociais de forma saudável. Atualmente, algumas ferramentas de gerenciamento de tempo online ajudam a controlar esse uso excessivo.

Qual a sua rede social favorita? Deixe sua opinião no Fórum do TechTudo.

Mais do TechTudo