Internet

Por Filipe Garrett, para o TechTudo


O Spam é parte do dia a dia de qualquer usuário da Internet. Esse tipo de mensagem, classificada como indesejada ou inútil para quem recebe, corresponde a 49,5% do total de 20 bilhões de e-mails enviados por dia no mundo todo. Nascido há quatro décadas numa inocente estratégia de negócios, os spams hoje são mais que uma simples irritação e perda de tempo. Eles se comportam muitas vezes como método de ataque de criminosos interessados em roubar dados, provocar prejuízos e transtornos. A seguir, você conhece sete fatos curiosos sobre os spams.

Conheça curiosidades sobre spam — Foto:  Reprodução Conheça curiosidades sobre spam — Foto:  Reprodução

Conheça curiosidades sobre spam — Foto: Reprodução

Quer comprar celular, TV e outros produtos com desconto? Conheça o Compare TechTudo

1. Origem do termo spam

Associação com quadro de humor acabou tornando a marca de carne enlatada um sinônimo de irritação e lixo na Internet — Foto: Reprodução/OAS Associação com quadro de humor acabou tornando a marca de carne enlatada um sinônimo de irritação e lixo na Internet — Foto: Reprodução/OAS

Associação com quadro de humor acabou tornando a marca de carne enlatada um sinônimo de irritação e lixo na Internet — Foto: Reprodução/OAS

Spam é o nome de uma popular marca de carne pré-cozida enlatada vendida em mais de 70 países. A ideia de associar o nome dessa marca com os e-mails indesejados nasceu nos primórdios da Internet. Grupos de usuários se inspiraram em uma esquete do grupo de humor Monty Python, em que os humoristas passavam um bom tempo repetindo a palavra spam em um restaurante, para classificar as mensagens indesejadas que são enviadas de forma insistente às caixas de entrada. O termo pegou e, hoje, mais do que uma marca de enlatado, o termo spam é sinônimo de irritação na Internet.

2. O primeiro spam

Em 3 de maio de 1978, Gary Thuerk decidiu enviar um e-mail anunciando os computadores da empresa em que trabalhava, a Digital Equipment Corporation. Na época, a Internet tinha pouco mais de 2.500 usuários e Gary resolveu enviar seu anúncio para 400 deles, basicamente toda a sua lista de contatos. O e-mail acabou irritando muita gente e entrou para a história como o primeiro de muitos spams da história.

3. A chance de você cair aumenta se o remetente for conhecido

Spam faz parte do cotidiano de qualquer usuário de e-mail — Foto: Marvin Costa/TechTudo Spam faz parte do cotidiano de qualquer usuário de e-mail — Foto: Marvin Costa/TechTudo

Spam faz parte do cotidiano de qualquer usuário de e-mail — Foto: Marvin Costa/TechTudo

Segundo a empresa de cybersegurança F-Secure, quando o spam parte de algum conhecido seu, a chance de que você abra a mensagem aumenta em 12%. Se o assunto do e-mail estiver escrito sem erros ortográficos ou gramaticais, o risco sobe mais 4,5%.

4. O custo anual do spam no mundo

O custo do envio de spams, em termos de gastos e perda de produtividade, pode chegar à casa dos 20 bilhões de dólares ao ano, segundo um estudo de especialistas da Microsoft e Google publicado em 2012. A análise leva em conta não apenas a queda de produtividade provocada por e-mails desse tipo, como também considera os custos relacionados à necessidade de que empresas contratem serviços de proteção e aos investimentos das empresas de segurança no desenvolvimento de produtos cada vez mais sofisticados para combater os spams. Mas o prejuízo pode ser bem maior: há estimativas que consideram outros fatores, e falam em um custo de 130 bilhões de dólares por ano.

5. A diferença entre spam e phishing

Há diferenças entre phishing e spam — Foto: Divulgação/AVG Há diferenças entre phishing e spam — Foto: Divulgação/AVG

Há diferenças entre phishing e spam — Foto: Divulgação/AVG

Um e-mail é spam quando é qualificado como uma mensagem indesejada ou inútil para o destinatário. Um e-mail tipo phishing, embora também possa ser considerado um e-mail indesejado (e, portanto, spam) tem um objetivo mais claro: enganar o usuário para que ele cometa algum tipo de ação, como clicar em um link malicioso, baixar um programa suspeito ou ceder dados pessoais a um criminoso.

Em resumo, a diferença básica é que um spam pode ser simplesmente um e-mail promocional irritante e indesejado (mas inofensivo) de algum estabelecimento comercial. Um phishing denota intenções ocultas e uma estratégia por parte do remetente para obter dados e provocar danos e prejuízos.

6. 46% dos spams querem te pegar pelo coração

Segundo um levantamento recente da F-Secure, 46% dos spams são golpes de namoro que oferecem encontros e serviços de paquera, 23% são e-mails com anexos maliciosos e outros 31% são mensagens que tentam fazer com que o usuário acesse um site perigoso.

7. São pelo menos 94 bilhões de spams por dia

É difícil quantificar o total de mensagens spam que são enviadas por dia no mundo, mas existem boas estimativas. O estudo elaborado pela Microsoft e Google também fala de uma massa de spams beirando a casa dos 94 bilhões de mensagens por dia.

Números mais recentes, da consultoria Radicati Group, teve como base a massa de e-mails enviados mundo afora no ano de 2015. A análise estima que, dos 200 bilhões de e-mails enviados por dia pela Internet, pelo menos 49,5% são spams. Ou seja, são 98 bilhões de mensagens inúteis por dia.

Como evitar spam através de pop-up no celular? Tire dúvidas no Fórum do TechTudo.

Mais do TechTudo