Por Taysa Coelho, Para o TechTudo


A Uber é um serviço que conecta passageiros que precisam fazer viagens de forma rápida, a motoristas cadastrados disponíveis nas proximidades. Por apresentar uma função semelhante à dos táxis, a empresa, fundada em 2009, enfrenta até hoje questionamentos sobre sua possível ilegalidade. A diferença, entretanto, não está apenas nas tarifas inferiores, mas também na possibilidade de escolher entre um carro simples ou executivo, as diferentes opções de pagamento (cartões de crédito ou débito, PayPal, Google Pay ou em dinheiro, em algumas cidades), entre outras opções. Tudo isso através do app para Android e iPhone (iOS) ou através do computador. Confira a seguir cinco curiosidades sobre o app Uber.

Confira curiosidades sobre a Uber — Foto: Carolina Ochsendorf/TechTudo Confira curiosidades sobre a Uber — Foto: Carolina Ochsendorf/TechTudo

Confira curiosidades sobre a Uber — Foto: Carolina Ochsendorf/TechTudo

Quer comprar celular, TV e outros produtos com desconto? Conheça o Compare TechTudo

1. Como funciona a Uber

Para utilizar a Uber, pela primeira vez, é necessário fazer o download do aplicativo, disponível para Android e iOS, e fazer um cadastro, informando endereço de e-mail e número de telefone válidos. O novo usuário também terá que criar uma senha de acesso e aceitar os Termos e Condições e a Declaração de Privacidade. Após inserir o código de validação enviado via SMS, o passageiro precisa selecionar uma forma de pagamento (cartão de crédito ou débito, PayPal ou Google Pay). Em seguida, a pessoa receberá um e-mail para confirmar o registro.

Uber coloca em contato passageiros com os motoristas mais próximos — Foto: Divulgação/ Uber Uber coloca em contato passageiros com os motoristas mais próximos — Foto: Divulgação/ Uber

Uber coloca em contato passageiros com os motoristas mais próximos — Foto: Divulgação/ Uber

Concluído o cadastro, já é possível solicitar um carro, informando o local onde gostaria de ser encontrado. Motoristas próximos são informados e podem aceitar a solicitação, mas sem saber qual o destino do passageiro. Quando a corrida é aceita, o app informa quanto tempo o veículo irá demorar para chegar. O serviço também indica nome do motorista, marca, modelo e placa do carro, como uma forma de tornar a operação mais segura.

A tarifa é calculada automaticamente e cobrada ao final da viagem através do método de pagamento escolhido (além das preferências cadastradas, também é possível escolher a opção de pagamento por dinheiro). Concluída a corrida, o passageiro poderá avaliar o motorista e vice-versa, como uma forma de tornar a rede cada vez mais confiável para ambos.

2. Atrasados são cobrados

Isso mesmo. A Uber cobra os usuários que chegam com dois minutos ou mais de atraso ao local de encontro combinado na aplicação. “Os motoristas se esforçam para chegar ao seu local de partida no horário. Você deve solicitar a viagem quando estiver perto do local de partida e pronto para encontrar o motorista”, justifica o FAQ do serviço.

Caso um usuário atrase por mais de dois minutos, ele pagará uma taxa — Foto: Divulgação/ Uber Caso um usuário atrase por mais de dois minutos, ele pagará uma taxa — Foto: Divulgação/ Uber

Caso um usuário atrase por mais de dois minutos, ele pagará uma taxa — Foto: Divulgação/ Uber

O programa avisa quando a taxa de tempo de espera entra em vigor - cobrança que só termina quando o passageiro entra no veículo. A “punição” não é válida para aeroportos e locais de eventos e não se aplica a viagens do tipo uberPOOL (partilhada com outros passageiros e, por isso, mais econômica). Segundo o app, esse valor varia de cidade para cidade e é adicionado ao total da viagem. Entretanto, a tarifa não pode ser debitada caso a solicitação do carro seja cancelada e for cobrada a taxa de cancelamento.

3. Você pode pagar por uma corrida mesmo sem ter usado o serviço

Se o usuário chama um veículo e cancela quando o motorista já está a caminho, ele pode pagar sem sequer entrar no carro. Isso acontece porque há uma taxa de cancelamento, cobrada se a desistência ocorrer depois de cinco minutos da solicitação ou quando o condutor cancela a corrida depois de esperar pelo passageiro por mais de cinco minutos no ponto indicado no app. No caso de viagens do tipo uberPOOL, o usuário desembolsa alguns reais se suspender o pedido aceito por um condutor a qualquer momento. O atraso máximo permitido é de somente dois minutos.

Cancelamento de corridas do Uber também implicam em cobrança de taxas — Foto: Divulgação/ Uber (Facebook) Cancelamento de corridas do Uber também implicam em cobrança de taxas — Foto: Divulgação/ Uber (Facebook)

Cancelamento de corridas do Uber também implicam em cobrança de taxas — Foto: Divulgação/ Uber (Facebook)

“Taxas de cancelamento são cobradas para compensar o tempo que os motoristas investiram para se deslocar até o local de partida do usuário”, explica a empresa. No entanto, se alguém se sentir injustiçado pela cobrança da tarifa (em casos em que o motorista demora muito, erra o caminho, passa direto, por exemplo), pode entrar em contato com a aplicação e recorrer a um reembolso. A situação é avaliada e caso a solicitação seja aprovada, o valor da corrida cancelada aparecerá como 0 na aplicação.

4. É possível dar gorjetas ao motorista

A Uber permite, em algumas cidades brasileiras, dar gorjetas através do app, do site ou do e-mail recebido após a conclusão da corrida. Depois de avaliar o motorista, a opção de adicionar uma gratificação aparece. O pagamento extra pode ser feito em até 30 dias após a corrida, e o valor será descontado do método de pagamento associado à viagem.

A companhia afirma que a gorjeta é repassada na íntegra aos parceiros: “a Uber não cobra uma taxa de serviço sobre o valor das gratificações, assim essas são adicionadas na totalidade aos rendimentos dos motoristas”.

A ferramenta de gorjeta não foi liberada em todo o território nacional. Algumas das cidades contempladas são Belo Horizonte, Campo Grande, Cuiabá, Londrina, Maringá, Natal, São José dos Campos e Vitória.

Gorjetas podem ser pagar através do app do Uber — Foto: Divulgação/ Uber Gorjetas podem ser pagar através do app do Uber — Foto: Divulgação/ Uber

Gorjetas podem ser pagar através do app do Uber — Foto: Divulgação/ Uber

5. Uber Eats realmente pertence à Uber

Uber Eats — Foto: Divulgação/ Uber Uber Eats — Foto: Divulgação/ Uber

Uber Eats — Foto: Divulgação/ Uber

Em diversas cidades do Brasil e do mundo, é possível encontrar homens e mulheres, conduzindo bicicletas ou motos com uma mochila de transporte de alimentos verde onde se lê Uber Eats. O nome do serviço de entrega de comida é uma coincidência, e realmente pertence à Uber. Para usá-lo, entretanto, é necessário baixar a aplicação própria, também disponível para Android ou iOS, e, de lá, conferir as centenas de restaurantes associados e fazer seu pedido.

Ao finalizar, o usuário é informado sobre previsão de chegada e valor do pedido com a taxa de entrega. É possível acompanhar a entrega em tempo real, igual ao aplicativo de serviço de carros. O pagamento também é efetuado no próprio app, através do cartão cadastrado.

Via Uber

Cabify vs Uber: qual o melhor no Brasil? Usuários opinam no Fórum TechTudo

Como conseguir códigos de descontos no Uber, Cabify e 99POP

Como conseguir códigos de descontos no Uber, Cabify e 99POP

MAIS DO TechTudo