Roteadores

Por Raquel Freire, para o TechTudo


O Wi-Fi lento pode significar que alguém está usando sua Internet sem você saber. Mas, mesmo que sua rede não esteja apresentando velocidade baixa, é sempre importante adotar medidas que reforcem a segurança. Com ações simples, você consegue evitar não apenas queda no desempenho, mas também outros riscos.

Quer comprar celular, TV e outros produtos com desconto? Conheça o Compare TechTudo

Entre os perigos de um roteador desprotegido estão invasões de hackers, roubo de dados e até golpes que se aproveitam de configurações vulneráveis no roteador. Confira na lista abaixo cinco dicas simples para proteger o Wi-Fi da sua casa ou escritório.

Veja como aumentar a segurança da sua rede Wi-Fi para mantê-la longe de invasores — Foto: Yuri Hildebrand/TechTudo Veja como aumentar a segurança da sua rede Wi-Fi para mantê-la longe de invasores — Foto: Yuri Hildebrand/TechTudo

Veja como aumentar a segurança da sua rede Wi-Fi para mantê-la longe de invasores — Foto: Yuri Hildebrand/TechTudo

1. Defina uma senha para rede Wi-Fi

Colocar uma senha para o Wi-Fi é o primeiro passo para mantê-lo longe de intrusos. A ausência de código de acesso faz com que a rede fique aberta a qualquer pessoa, desde gente que só quer usar Internet de graça, o que torna sua conexão mais lenta, até alguém com intuitos maliciosos, que pode aproveitar a brecha e roubar dados.

Como configurar a senha do seu roteador Wi-Fi

Como configurar a senha do seu roteador Wi-Fi

2. Saiba quais dispositivos estão conectados e bloqueie intrusos

Praticamente todos os roteadores atuais mostram os dispositivos que estão conectados à rede Wi-Fi. O procedimento pode ser feito pela página de configurações, que pode ser ser acessada por qualquer navegador. Caso a marca tenha um app móvel, como é o caso do Tether, da TP-Link, o procedimento fica mais fácil para bloquear os intrusos.

Caso você não encontre um menu de "Dispositivos conectados", localize nas opções de rede (que pode vir como "network") a lista de endereços MAC. Esses endereços consistem em uma combinação de letras e números que identificam cada aparelho. Após ter acesso à lista, verifique o endereço dos dispositivos que você tem em casa. O TechTudo já ensinou como descobrir o código no Android, iPhone ou iPad, Windows, Linux e Mac.

Uma terceira forma de achar intrusos na rede é por meio de apps e programas de computador. Caso encontre um dispositivo desconhecido, bloqueie a pessoa do seu Wi-Fi e mude a senha da rede para evitar que ela se reconecte com outro aparelho.

Endereços MAC de dispositivos conectados ao roteador — Foto: Reprodução/Raquel Freire Endereços MAC de dispositivos conectados ao roteador — Foto: Reprodução/Raquel Freire

Endereços MAC de dispositivos conectados ao roteador — Foto: Reprodução/Raquel Freire

3. Altere o login e senha do roteador

Mudar o nome de login e senha padrão das configurações do roteador é imprescindível para garantir a segurança na rede. Recentemente, especialistas descobriram um malware, chamado GhostDNS, que pode sequestrar o DNS do roteador para roubar dados bancários e informações sensíveis do usuário. Uma das principais causas para o ataque está no fato de que muitos usuários mantêm o código de fábrica, geralmente admin/admin, dando acesso livre a definições importantes da conexão.

Trocar login e senha padrão das configurações do roteador evita ataques na rede — Foto: Reprodução/Raquel Freire Trocar login e senha padrão das configurações do roteador evita ataques na rede — Foto: Reprodução/Raquel Freire

Trocar login e senha padrão das configurações do roteador evita ataques na rede — Foto: Reprodução/Raquel Freire

4. Usar protocolo de segurança WPA2

O protocolo de segurança WPA2 é o mais seguro disponível no momento. Apesar dos casos de vulnerabilidade, a geração oferece proteção maior do que os padrões WPA ou WEP, combinando criptografia de 256 bits com o algoritmo AES (Advanced Encryption Standard).

A geração sucessora, WPA3, promete ainda mais segurança contra hackers. Ela começou a ser certificada pela Wi-Fi Alliance em junho e, até o fim do ano, são esperados os primeiros aparelhos compatíveis.

Definição de protocolo de segurança WPA2 — Foto: Reprodução/Edivaldo Brito Definição de protocolo de segurança WPA2 — Foto: Reprodução/Edivaldo Brito

Definição de protocolo de segurança WPA2 — Foto: Reprodução/Edivaldo Brito

5. Ative o firewall do roteador

Grande parte dos roteadores lançados nos últimos dois anos traz firewall. Caso o seu aparelho tenha, ative seguindo esse tutorial. Ele funciona como uma barreira para sua rede Wi-Fi, bloqueando tentativas de ataques, instalação de malwares e outras atividades suspeitas em portas não utilizadas.

Como dica extra, vale sempre manter o firmware do roteador atualizado. Basta entrar no site da fabricante, buscar o modelo, baixar o arquivo de update e fazer a instalação. Os pacotes trazem correção de erros e frequentemente eliminam vulnerabilidades de segurança.

Ativação do firewall do roteador adiciona camada de segurança na rede — Foto: Reprodução/Barbara Mannara Ativação do firewall do roteador adiciona camada de segurança na rede — Foto: Reprodução/Barbara Mannara

Ativação do firewall do roteador adiciona camada de segurança na rede — Foto: Reprodução/Barbara Mannara

Mais do TechTudo