Por Isabela Cabral, para o TechTudo


As lojas de aplicativos Google Play e App Store, responsáveis pelo download de softwares em celulares Android e iPhone (iOS), dispõem de uma série de normas para a hospedagem das ferramentas em suas plataformas. Caso descumpra alguma regra, o app é retirado do serviço e os usuários ficam impedidos de baixá-los. A Apple, principalmente, costuma ser bastante rigorosa com as diretrizes de sua loja. Essa foi a situação enfrentada pelo Tumblr e SimSimi, envolvidos em polêmicas neste ano de 2018.

A rede social de fotos – que decidiu banir conteúdo sexual explícito no começo do mês – saiu da App Store por, supostamente, ter permitido a publicação de conteúdo pornográfico infantil. Já o SimSimi foi suspeito de enviar mensagens impróprias para crianças. Confira, a seguir, quatro situações em que aplicações foram penalizadas pelos suportes de downloads.

Apple baniu aplicativos famosos da App Store em 2018 — Foto: Marvin Costa/TechTudo Apple baniu aplicativos famosos da App Store em 2018 — Foto: Marvin Costa/TechTudo

Apple baniu aplicativos famosos da App Store em 2018 — Foto: Marvin Costa/TechTudo

Quer comprar celular, TV e outros produtos com desconto? Conheça o Compare TechTudo

1. Telegram

O Telegram, mensageiro rival do WhatsApp, foi retirado da App Store em fevereiro. O software não aparecia na busca da central de downloads do iPhone, enquanto continuava disponível normalmente para os usuários do Android. A versão alternativa Telegram X também desapareceu. De acordo com o criador do serviço de mensagens, Pavel Durov, a Apple deletou o aplicativo por causa de "conteúdo inapropriado".

Telegram foi retirado da App Store por um dia em fevereiro de 2018 — Foto: Helito Bijora/TechTudo Telegram foi retirado da App Store por um dia em fevereiro de 2018 — Foto: Helito Bijora/TechTudo

Telegram foi retirado da App Store por um dia em fevereiro de 2018 — Foto: Helito Bijora/TechTudo

No dia seguinte, porém, o software já estava de volta. Durov disse que foram tomadas medidas para instaurar as proteções exigidas pela empresa da Maçã. As explicações oficiais para a confusão foram vagas, mas o site americano 9to5Mac afirma que o real motivo seria a distribuição de pornografia infantil entre usuários pelo Telegram. A descoberta se deu graças a um e-mail compartilhado por um leitor do site, com a resposta de um dos responsáveis pela App Store, Phil Schiller.

2. SimSimi

Em abril, o SimSimi foi removido das lojas de apps do Android e do iPhone no Brasil, após denúncias de envio de mensagens inapropriadas aos usuários. O aplicativo funcionava a partir de um chatbot que usa inteligência artificial para conversar com as pessoas, o que atraiu muitos jovens e crianças. O software aprende com as interações que faz e, assim, aumenta a própria base de dados. Dessa forma, alguns usuários se aproveitaram e ensinaram respostas maliciosas.

SimSimi causou polêmcia e foi banido — Foto: Anna Kellen Bull/TechTudo SimSimi causou polêmcia e foi banido — Foto: Anna Kellen Bull/TechTudo

SimSimi causou polêmcia e foi banido — Foto: Anna Kellen Bull/TechTudo

Com um visual amigável e personagem carismático, o SimSimi teria enviado para seu público infantojuvenil mensagens com ameaças de assassinato e sequestro, xingamentos e conteúdos de teor sexual. Depoimentos nas redes sociais e nos comentários das lojas mostraram a indignação de vários pais e responsáveis brasileiros. Diante da polêmica, o desenvolvedor resolveu suspender o uso no país.

3. Apps de figurinhas para WhatsApp

Já em novembro, a Apple resolveu retirar da App Store todos os aplicativos com figurinhas de WhatsApp. Segundo a empresa, essas aplicações violam as diretrizes do iOS, o sistema operacional do iPhone. Os adesivos são uma função recente do famoso app de mensagens, lançada no fim de outubro. Para utilizar, os usuários podem criar seus próprios stickers ou adicionar novas imagens por meio de pacotes, como os que são oferecidos por esse tipo de serviço.

Apps de figurinhas para WhatsApp foram excluídos da App Store — Foto: Helito Beggiora/TechTudo Apps de figurinhas para WhatsApp foram excluídos da App Store — Foto: Helito Beggiora/TechTudo

Apps de figurinhas para WhatsApp foram excluídos da App Store — Foto: Helito Beggiora/TechTudo

Os motivos citados pela Apple para o banimento são: a existência de muitos softwares parecidos, o fato deles apresentarem design semelhantes e a exigência de instalação do WhatsApp. A companhia não permite aplicativos que tenham como requisito baixar outras ferramentas em sua loja. Enquanto isso, os programas do gênero não sofreram qualquer sanção na Google Play, a central de downloads do sistema do Google.

4. Tumblr

Após ser acusado de ter pornografia infantil em sua plataforma, o Tumblr para iPhone foi banido da App Store em novembro. O caso teve repercussão tão significativa que a rede social decidiu proibir qualquer conteúdo sexual explícito, o que desagradou parte dos usuários. Alguns dias depois do anúncio da medida pela empresa, já em dezembro, o aplicativo retornou à loja de aplicativos da Apple.

Tumblr decidiu proibir conteúdo pornográfico e gerou polêmica entre os usuários — Foto: Reprodução/Mashable Tumblr decidiu proibir conteúdo pornográfico e gerou polêmica entre os usuários — Foto: Reprodução/Mashable

Tumblr decidiu proibir conteúdo pornográfico e gerou polêmica entre os usuários — Foto: Reprodução/Mashable

Desde o último dia 17, o Tumblr monitora todos os posts com algoritmos capazes de identificar imagens, GIFs ou vídeos com nudez e pornografia, inclusive ilustrações. Também há uma ferramenta para que as pessoas denunciem publicações irregulares. Há exceções apenas em alguns casos e, por isso, estão liberadas: imagens de obras de arte clássicas, protestos políticos que envolvam nudez, fotos de amamentação e pós-parto, além de textos com teor erótico. Postagens inadequadas serão bloqueadas e os autores serão notificados por e-mail.

Qual é a sua rede social favorita? Opine no Fórum do TechTudo.

Google Play Store: como resolver os principais problemas

Google Play Store: como resolver os principais problemas

Mais do TechTudo