Por Victor de Abreu, para o TechTudo


Games como Counter-Strike:Global Offensive (CS:GO), DotA 2 e League of Legends (LoL) são sucesso absoluto nos esports e promovem diversos torneios no mundo. Nesse cenário, países de diversos continentes se enfrentam na briga por títulos mundiais e prêmios milionários. O Brasil não fica fora da disputa e é destaque principalmente nos jogos FPS (First-person shooter). Conheça, a seguir, os seis melhores países do mundo nos esports.

Coreia do Sul

País é considerado um grande centro dos esportes eletrônicos — Foto: Divulgação/Riot Games País é considerado um grande centro dos esportes eletrônicos — Foto: Divulgação/Riot Games

País é considerado um grande centro dos esportes eletrônicos — Foto: Divulgação/Riot Games

Quando o assunto são jogos MOBA ou RTS (Real-time strategy), a Coreia do Sul é um dos maiores destaques do mundo. O país asiático sempre foi considerado uma potência em StarCraft II, com jogadores como Cho "Maru" Sung Choo e Lee "Rogue" Byung Ryul, e League of Legends, destacando-se com equipes como SK Telecom T1 e a antiga Samsumg Galaxy.

Recentemente, o país também começou a brilhar no competitivo de Overwatch. O país é destaque absoluto na cena, conquistou todas as copas do mundo do jogo até 2018 e entrou na Overwatch League Season 2 com o maior número de representantes: foram 106 jogadores ao todo.

China

China tem grandes nomes no dotA 2 e LoL — Foto: Divulgação/Riot Games China tem grandes nomes no dotA 2 e LoL — Foto: Divulgação/Riot Games

China tem grandes nomes no dotA 2 e LoL — Foto: Divulgação/Riot Games

A China é uma nação conhecida nos esports por sua trajetória em jogos como DotA 2 e League of Legends. No MOBA da Valve, o país já conquistou três The International, a maior competição do game, e está sempre em destaque em outros torneios importantes. Entre os principais jogadores chineses no DotA estão os milionários Zhang "LaNm" Zhicheng e Xu "fy" Linsen. No League of Legends, destaque para a equipe da Invictus Gaming, que venceu o Mundial de 2018, e a Royal Never Give Up, que levou o Mid-Season Invitational do mesmo ano.

Suécia

País europeu sempre se destacou no Counter-Strike — Foto: Divulgação/ESL País europeu sempre se destacou no Counter-Strike — Foto: Divulgação/ESL

País europeu sempre se destacou no Counter-Strike — Foto: Divulgação/ESL

Quando o assunto é o cenário de Counter-Strike, é impossível não lembrar de duas equipes: Ninjas in Pyjamas e Fnatic. Ambas as organizações são suecas e têm line ups compostas por jogadores do país, como Patrik "f0rest" Lindberg e Freddy "KRIMZ" Johansson. As orgs conquistaram muitos títulos no Counter-Strike 1.6 e no Counter-Strike: Global Offensive, tornando o país uma grande potência nos esports. Juntas, apenas no CS:GO, elas lucraram quase US$ 6 milhões (cerca de R$ 22 milhões) em premiações até o fim de 2018.

Dinamarca

Astralis campeã do segundo Major de 2018 — Foto: Divulgação/FACEIT Astralis campeã do segundo Major de 2018 — Foto: Divulgação/FACEIT

Astralis campeã do segundo Major de 2018 — Foto: Divulgação/FACEIT

O ano de 2018 do CS:GO teve como melhor equipe a Astralis. Formada 100% por dinamarqueses, como Nicolai "dev1ce" Reedtz e Peter "dupreeh" Rasmussen, a Astralis mostrou a força da Dinamarca no FPS e nos esportes eletrônicos. O país também possui grandes nomes no cenário de DotA 2, como Marcus "Ace" Hoelgaard, Andreas "Cr1t" Nielsen e o astro Johan "N0tail" Sundstein. N0tail, inclusive, venceu o The Internacional 2018 com a camisa da OG e tem seus ganhos de toda carreira avaliados em US$ 3,7 milhões (cerca de R$ 13 milhões).

Estados Unidos

EUA se destaca com a quantidade e qualidade dos jogadores em seu país — Foto: Divulgação/ESL EUA se destaca com a quantidade e qualidade dos jogadores em seu país — Foto: Divulgação/ESL

EUA se destaca com a quantidade e qualidade dos jogadores em seu país — Foto: Divulgação/ESL

Os Estados Unidos têm a liderança isolada entre os países que mais faturaram em competições em 2018: foram US$ 28 milhões (cerca de R$ 103 milhões). Atualmente, o destaque do país vai para o Fortnite, que tem jogadores como Turner "Tfue" Tenney e Dennis "Cloak" Lepore conquistando diversos títulos no jogo da Epic Games.

No último ano, os norte-americanos também foram destaque no CS:GO. Com a Cloud9 os Estados Unidos venceram o primeiro Major de 2018, já com a Team Liquid o país subiu ao pódio de torneios internacionais diversas vezes. Para fechar, os EUA têm grandes nomes no cenário de DotA2, como os atletas Saahil "UNiVeRsE" Arora, Peter "ppd" Dager e Clinton "Fear" Loomis, todos campeões do The International em 2015.

Brasil

Equipes brasileiras sempre foram referência em jogos de tiro — Foto: Divulgação/SK Gaming Equipes brasileiras sempre foram referência em jogos de tiro — Foto: Divulgação/SK Gaming

Equipes brasileiras sempre foram referência em jogos de tiro — Foto: Divulgação/SK Gaming

O Brasil é destaque no gênero FPS e por isso fecha a lista. Na franquia Counter-Strike, os brasileiros batem de frente com grandes potências. A line up comandada por Gabriel "FalleN" Toledo, atualmente na MIBR (Made In Brazil), conquistou diversos títulos mundiais enquanto vestia a camisa da SK Gaming e da Luminosity.

No Raibow Six: Siege, as equipes da Team Liquid e da FaZe Clan também vêm honrando a camisa verde e amarela. No fim de 2018, a Black Dragons e-Sports se consagrou campeã mundial de CrossFire, confirmando a força do Brasil nos jogos de tiro.

Mais do TechTudo