Por Rebeca Letieri, para o TechTudo


Quem tinha computador nos anos 2000 deve lembrar que os problemas com softwares eram muito mais frequentes do hoje em dia. A Internet era lenta e caía com frequência, e os usuários esperavam horas para baixar uma música pelo eMule — o arquivo ainda corria risco de vir com um vírus de brinde. Esses são apenas alguns dos entraves de uma geração que teve que aprender a ter paciência para navegar na web.

Mas nem todos os problemas acabaram, e alguns deles persistem no dia a dia dos usuários de formas diferentes — se as correntes de e-mail quase não existem mais, as de WhatsApp continuam firmes e fortes. Conheça na lista a seguir dez problemas com software que somente internautas dos anos 2000 tiveram.

Redes sociais que (quase) todo mundo já usou

Redes sociais que (quase) todo mundo já usou

Quer comprar celular, TV e outros produtos com desconto? Conheça o Compare TechTudo

1. Internet ocupava a linha telefônica da casa inteira

Antes da banda larga, navegar na web demandava atenção a dias e horários em que a contagem do pulso telefônico era menos congestionada. Em horário comercial, a conta de telefone no fim do mês podia vir mais cara do que o esperado.

Na era da Internet discada, era impossível fazer ou receber chamadas telefônicas porque a linha telefônica ficava ocupada ao navegar pela web, e a conexão corria risco de cair caso alguém tirasse o telefone do gancho. As quedas de conexão eram frequentes nessa época, e capazes de irritar qualquer um — principalmente durante o download de um arquivo.

Para estabelecer uma conexão, o computador do usuário utiliza um modem para encodificar e decodificar a informação em sinais de áudio — Foto: Luciana Maline/TechTudo Para estabelecer uma conexão, o computador do usuário utiliza um modem para encodificar e decodificar a informação em sinais de áudio — Foto: Luciana Maline/TechTudo

Para estabelecer uma conexão, o computador do usuário utiliza um modem para encodificar e decodificar a informação em sinais de áudio — Foto: Luciana Maline/TechTudo

2. Computador travava enquanto você evoluía no The Sims

The Sims é um jogo da Electronic Arts em que o usuário pode simular uma vida virtual no PC, e faz sucesso desde a primeira edição, lançada em 2000. Na época de estreia, o jogo exigia muito do computador devido a um sistema de arquitetura muito avançado.

Em razão disso, bugs e instabilidades eram bem comuns. Quanto maior o progresso no jogo, maior a probabilidade de erros e defeitos. Não existia solução para isso e usuários compartilhavam entre si truques, como limpeza de cache.

Quanto maior o avanço no jogo, maior era a probabilidade de travar o computador. Isso significava um problema para criar mansões e construções mais elaboradas — Foto: Divulgação/Electronic Arts Quanto maior o avanço no jogo, maior era a probabilidade de travar o computador. Isso significava um problema para criar mansões e construções mais elaboradas — Foto: Divulgação/Electronic Arts

Quanto maior o avanço no jogo, maior era a probabilidade de travar o computador. Isso significava um problema para criar mansões e construções mais elaboradas — Foto: Divulgação/Electronic Arts

3. Escolher só 15 faixas para gravar um CD

O CD surgiu no início dos anos 1980 como um substituto do velho LP. O disco era menor e possuía maior capacidade de armazenamento, além de ser compatível com equipamentos portáteis, como players para carros e o discman. Para gravar músicas em formato MP3 para CD, entretanto, era necessário recodificar as faixas em CDA por meio de um programa como o Nero. Nos anos 2000, CDs tinham memória apenas para 80 minutos, o que equivale a, no máximo, 15 a 20 músicas.

Mesmo em programas populares como o Nero, só era possível gravar um CD com 15 a 20 músicas no máximo  — Foto: Divulgação/Nero Mesmo em programas populares como o Nero, só era possível gravar um CD com 15 a 20 músicas no máximo  — Foto: Divulgação/Nero

Mesmo em programas populares como o Nero, só era possível gravar um CD com 15 a 20 músicas no máximo — Foto: Divulgação/Nero

4. Correntes por e-mail

Quase todo usuário de e-mail do início dos anos 2000 já recebeu uma corrente de spam em tom de ameaça: “se você não repassar essa mensagem para dez pessoas, algo terrível irá te acontecer”. Estas mensagens se alastraram pela Internet na época e eram perigosas, podendo prejudicar o funcionamento de sistemas, ocupar memória e ainda podem infectar máquinas e deixá-la vulnerável para outros programas maliciosos.

Mensagens indesejadas estão entre as correntes mais comuns que circulavam em e-mails nos anos 2000 — Foto: Pond5 Mensagens indesejadas estão entre as correntes mais comuns que circulavam em e-mails nos anos 2000 — Foto: Pond5

Mensagens indesejadas estão entre as correntes mais comuns que circulavam em e-mails nos anos 2000 — Foto: Pond5

5. Limite de texto nos smartphones

O SMS caiu em desuso com a difusão das redes 3G e 4G, mas a mensagem de texto 2G já foi a única opção para se comunicar. Além da dificuldade de encontrar sinal, a taxa cobrada pelo SMS não era barata para época — ficava em torno de 30 centavos cada. Hoje, a maioria das operadoras oferece SMS ilimitado e novos aplicativos de mensagens, como o próprio WhatsApp, não possui restrição de uso. O limite de 160 caracteres de SMS chegou a inspirar o Twitter a elaborar o limite inicial de 140 — que duplicou em 2017.

As mensagens por SMS eram limitadas e possuíam um custo de alto valor para a época — Foto: Luciana Maline/TechTudo As mensagens por SMS eram limitadas e possuíam um custo de alto valor para a época — Foto: Luciana Maline/TechTudo

As mensagens por SMS eram limitadas e possuíam um custo de alto valor para a época — Foto: Luciana Maline/TechTudo

6. Montagens no Paint

Nos anos 2000 era comum fazer montagens no Paint por falta de alternativas melhores, mas o programa sempre teve como objetivo criação e edição de imagens simples. Com o desenvolvimento tecnológico, o software foi substituído por programas mais avançados, como Photoshop e Pixlr Editor. O Paint acompanha todas as edições do Windows até hoje.

O Paint acompanha o Windows até hoje mas foi deixado de lado por programas com recursos mais completos — Foto: Divulgação/Microsoft O Paint acompanha o Windows até hoje mas foi deixado de lado por programas com recursos mais completos — Foto: Divulgação/Microsoft

O Paint acompanha o Windows até hoje mas foi deixado de lado por programas com recursos mais completos — Foto: Divulgação/Microsoft

7. Tela azul

Computadores com Windows estão sujeitos ao erro da tela azul até hoje, mas o bug era bem mais comum nas versões antigas do sistema. A mensagem indicava um colapso do hardware, e poderia ser apenas uma interferência ou até mesmo virar um problema sério e irreversível. Qualquer atividade realizada no PC durante o colapso era pedida e não podia ser restaurada — não à toa ela também é conhecida como "tela azul da morte". Segundo a Microsoft, o erro de tela azul pode ocorrer quando um problema faz com que o dispositivo desligue ou reinicie inesperadamente.

A tela azul da morte podia ocasionar a perda de trabalhos não salvos e em andamento — Foto: Reprodução/Paulo Alves A tela azul da morte podia ocasionar a perda de trabalhos não salvos e em andamento — Foto: Reprodução/Paulo Alves

A tela azul da morte podia ocasionar a perda de trabalhos não salvos e em andamento — Foto: Reprodução/Paulo Alves

8. Alerta para desligar o computador

O aviso “Seu computador já pode ser desligado com segurança” é bem conhecido por usuários dos anos 2000. Esse importante alerta sinalizava o momento em que uma máquina antiga podia ser desligada da tomada sem risco de comprometimento do disco rígido e de todos os arquivos do PC. O aviso foi desenvolvido pela própria Microsoft durante todo o trajeto da primeira edição do Windows até o XP, quando se tornaram comuns os computadores capazes de se desligarem automaticamente em segurança.

Não desligar corretamente o computador pode causar danos e perda de arquivos — Foto: Raíssa Delphim/TechTudo Não desligar corretamente o computador pode causar danos e perda de arquivos — Foto: Raíssa Delphim/TechTudo

Não desligar corretamente o computador pode causar danos e perda de arquivos — Foto: Raíssa Delphim/TechTudo

9. Programas como eMule baixavam música e vírus

Serviços de streaming com extensas bibliotecas online, como Spotify e Deezer, não existiam ainda no início dos anos 2000. Na época, baixar e ouvir música era uma verdadeira saga. Programas dessa finalidade, como o player Winamp, eMule e LimeWire, fizeram muito sucesso, mas todos sofriam com a lentidão da Internet.

Internautas enfrentavam outros problemas para baixar música, como o excesso de vírus do eMule. O programa para transmissão de arquivos em P2P (peer to peer) foi criado no início dos anos 2000, mas perdeu espaço no mercado devido ao risco de fazer downloads e infectar a máquina com algum software malicioso no processo. Agora o eMule é um popular serviço de downloads de vídeos, áudios e documentos, e oferece uma versão atualizada com suporte para torrent.

EMule foi um dos principais programas utilizados para baixar músicas, mas também baixava vírus — Foto: Reprodução/TechTudo EMule foi um dos principais programas utilizados para baixar músicas, mas também baixava vírus — Foto: Reprodução/TechTudo

EMule foi um dos principais programas utilizados para baixar músicas, mas também baixava vírus — Foto: Reprodução/TechTudo

10. Demorava uma vida para carregar uma foto no Fotolog

A rede social de foto Fotolog já foi febre no Brasil nos anos 2000. Com a Internet banda larga cara e pouco acessível, membros da "avó do Instagram" não podiam fazer upload de fotos durante o horário de pico, pois publicar imagens pela Internet discada era um processo lento, com risco de travar o site.

A própria plataforma da rede social tinha o limite de um post diário por contas gratuitas. Além disso, o Fotolog sofria constantes problemas técnicos e instabilidade em seu funcionamento em decorrência do alto tráfego do site. A rede social de fotos chegou a limitar o cadastro de novas contas devido a essas falhas iniciais.

Fotolog era febre entre os jovens nos anos 2000 e inspirou novas redes de publicação de fotos como o Instagram — Foto: Divulgação/Fotolog Fotolog era febre entre os jovens nos anos 2000 e inspirou novas redes de publicação de fotos como o Instagram — Foto: Divulgação/Fotolog

Fotolog era febre entre os jovens nos anos 2000 e inspirou novas redes de publicação de fotos como o Instagram — Foto: Divulgação/Fotolog

Via BuzzFeed (1 e 2)

Bug no teclado; como resolver? Tire dúvidas no Fórum do TechTudo.

Mais do TechTudo