Por Fernando Sousa, para o TechTudo


As tendências tecnológicas mudam de tempos em tempos. Algumas inovações prometem mais que outras, mas nem sempre dão certo como o esperado. Entre casos envolvendo produtos específicos e a decepção por todo um segmento, não é incomum ver novidades ficando para trás no mundo da tecnologia, como foi o caso das TVs 3D, os aparelhos de Blu Ray e os consoles com sistema Android.

Pensando nisso, o TechTudo reuniu dez exemplos de promessas que acabaram esquecidas à medida que outras soluções mais inteligentes surgiram.

Quer comprar celular, TV e outros produtos com desconto? Conheça o Compare TechTudo

Seguindo a tendência dos cinemas, as TVs 3D estão até hoje no mercado, mas não têm o mesmo apelo de antes — Foto: Divulgação/Samsung Seguindo a tendência dos cinemas, as TVs 3D estão até hoje no mercado, mas não têm o mesmo apelo de antes — Foto: Divulgação/Samsung

Seguindo a tendência dos cinemas, as TVs 3D estão até hoje no mercado, mas não têm o mesmo apelo de antes — Foto: Divulgação/Samsung

1. TV 3D

Mesmo com a tecnologia 3D nos cinemas funcionando, a moda não durou muito nas TVs. No início da década de 2010, esses televisores prometiam revolucionar a sala de casas do mundo todo, oferecendo maior imersão e conteúdos "saltando" da tela. Com alto custo na aquisição de aparelhos e poucas opções de conteúdo em 3D, esses modelos acabaram ficando de lado. Assim, as fabricantes deixaram de falar sobre a tecnologia e optaram por promover o 4K como novo padrão para experiência imersiva em casa.

As TVs 3D eram caras e normalmente acompanhadas de apenas um par de óculos — Foto: Divulgação/Samsung As TVs 3D eram caras e normalmente acompanhadas de apenas um par de óculos — Foto: Divulgação/Samsung

As TVs 3D eram caras e normalmente acompanhadas de apenas um par de óculos — Foto: Divulgação/Samsung

2. Blu Ray/HD DVD

Conforme os conteúdos de mídia extrapolavam a capacidade dos DVDs, as empresas iniciaram uma corrida pelo novo padrão de disco de alta capacidade. O HD DVD foi o primeiro a tentar se tornar um padrão. Desenvolvido por NEC e Sanyo, a mídia prometia oferecer capacidade de armazenamento de até 90 GB em discos de camada tripla. Apesar disso, o formato nunca se consolidou e perdeu espaço para o Blu Ray.

O Blu Ray, por sua vez, foi desenvolvido por um consórcio formado por Sony, Panasonic, Pioneer e Philips, e ganhou notoriedade quando foi adotado como padrão no console Playstation 3. A alta capacidade de armazenamento e possibilidade de reproduzir vídeos em alta resolução não foram o bastante para que os players de Blu Ray caíssem no gosto popular. Além disso, a chegada de serviços de streaming como Netflix e Amazon Prime dificultou ainda mais qualquer possibilidade dos consumidores assumirem o Blu Ray, que continuou sendo padrão apenas no nicho dos consoles PS4 e Xbox One.

Os players Blu Ray não chegaram perto da popularidade dos DVD players — Foto: Divulgação/Samsung Os players Blu Ray não chegaram perto da popularidade dos DVD players — Foto: Divulgação/Samsung

Os players Blu Ray não chegaram perto da popularidade dos DVD players — Foto: Divulgação/Samsung

3. Google Glass

Em 2013, quando o Google apresentou o Google Glass, seus óculos de realidade aumentada, o dispositivo foi visto como uma das grandes inovações do mundo da tecnologia. Os entusiastas viam no dispositivo o futuro de um filme de ficção, como Minority Report, por exemplo. Apesar disso, conforme o passar do tempo, o aparelho não apresentava nenhuma novidade relevante, e foi possível perceber que a empresa não tinha uma estratégia definida para vender o dispositivo.

Atualmente, o aparelho ainda conta com um pequeno público corporativo, segmento no qual o produto briga diretamente com o Hololens da Microsoft. Porém, vale ressaltar que ainda não há perspectiva de que um dia os óculos estejam disponíveis para o consumidor final.

Google Glass foi um dos projetos do Google que fracassou — Foto: Divulgação/Google Google Glass foi um dos projetos do Google que fracassou — Foto: Divulgação/Google

Google Glass foi um dos projetos do Google que fracassou — Foto: Divulgação/Google

4. SLI e Crossfire

Há alguns anos, para saber se um PC era realmente gamer, era preciso verificar quantas placas de vídeo o dispositivo possuía em funcionamento. O padrão era que eles viessem com duas, mas alguns entusiastas ostentavam até quatro GPUs trabalhando em conjunto em seus computadores. As placas eram unidas pelas tecnologias SLI e Crossfire, que caíram em desuso conforme a AMD e a Nvidia foram retirando gradativamente o suporte às múltiplas GPUs.

Placas Nvidia com ponte que ligava uma placa a outra — Foto: Divulgação/Nvidia Placas Nvidia com ponte que ligava uma placa a outra — Foto: Divulgação/Nvidia

Placas Nvidia com ponte que ligava uma placa a outra — Foto: Divulgação/Nvidia

5. Segway

Segway era uma espécie de patinete elétrico que, em vez de utilizar uma roda na frente da outra, apostava em um formato similar ao dos hoverboards, nos quais as rodas são posicionadas lateralmente. O diferencial do Segway era a presença de um guidão, por meio do qual o usuário poderia se apoiar e direcionar o veículo. O produto é comum em shopping e estabelecimentos comerciais, onde são utilizados por funcionários da segurança, por exemplo. Apesar disso, não conseguiu atingir o grande público.

Um dos modelos mais recentes da Segway — Foto: Divulgação/ Segway Um dos modelos mais recentes da Segway — Foto: Divulgação/ Segway

Um dos modelos mais recentes da Segway — Foto: Divulgação/ Segway

6. Kinect

Quando foi apresentado ao público, o sensor de movimentos Kinect trouxe várias promessas. Apesar disso, a função de reconhecimento de objetos, que poderia permitir a reprodução de formas na tela, nunca se tornou realidade. Com o passar do tempo, a Microsoft, que tinha até lançado um kit de desenvolvimento do recurso para Windows, foi deixando de lado o dispositivo. O Kinect chegou a sair junto ao Xbox One e funcionava para jogos com reconhecimento de movimentos, mas depois foi completamente abandonado pela empresa.

Acessório de captação de movimentos Kinect do Xbox One, deixou de ser comercializado junto ao console — Foto: Reprodução/Game Acessório de captação de movimentos Kinect do Xbox One, deixou de ser comercializado junto ao console — Foto: Reprodução/Game

Acessório de captação de movimentos Kinect do Xbox One, deixou de ser comercializado junto ao console — Foto: Reprodução/Game

7. Microsoft Zune

Em meio a todo o sucesso da Apple com os iPods, a Microsoft resolveu que seria uma boa ideia transformar sua plataforma de músicas Zune em um dispositivo de mídia portátil. No entanto, o aparelho não só não ofereceu risco algum à hegemonia da maçã no segmento, como se tornou motivo de piada em diversos filmes e séries posteriormente. Além disso, o dispositivo nunca foi lançado oficialmente no Brasil.

Zune foi um serviço que virou player, mas não alcançou sucesso — Foto: Divulgação/Microsoft Zune foi um serviço que virou player, mas não alcançou sucesso — Foto: Divulgação/Microsoft

Zune foi um serviço que virou player, mas não alcançou sucesso — Foto: Divulgação/Microsoft

8. Windows Phone

Outro fracasso recente da Microsoft foi o Windows Phone, sistema para celulares que, em seu auge, atingiu 2% dos usuários de smartphones. Mesmo adquirindo a Nokia e desenvolvendo seus próprios smartphones (afinal, poucas fabricantes se interessaram pela plataforma), a Microsoft não foi capaz de ameaçar os celulares Android e iPhone (iOS). Atualmente, a Nokia não é mais uma empresa ligada à Microsoft, e voltou a produzir smartphones com o sistema do Google em parceria com a HMD Global.

Windows Phone lutou para sobreviver no mercado mas sucumbiu aos concorrentes — Foto: Luciana Maline/TechTudo Windows Phone lutou para sobreviver no mercado mas sucumbiu aos concorrentes — Foto: Luciana Maline/TechTudo

Windows Phone lutou para sobreviver no mercado mas sucumbiu aos concorrentes — Foto: Luciana Maline/TechTudo

9. Telas táteis

Com a popularização dos smartphones e tablets, o conceito de toques na tela se tornou quase um padrão devido à sua funcionalidade intuitiva. Pensando nisso, a Microsoft implementou um sistema de “tiles” ao Windows 8, o que levou à produção de diversos notebooks com tela sensível ao toque.

No entanto, muitos usuários do sistema sentiram falta do menu iniciar e deixaram de apreciar a interface de "tiles", e as telas táteis foram perdendo seu espaço. Ainda existem dispositivos à venda nesse padrão, facilmente reconhecidos pelo nome "2 em 1" (referência aos modos laptop e tablet). Mas, de um modo geral, esses modelos representam uma fatia muito pequena do mercado.

Notebook 2 em 1 Dell que oferece tela tátil em modo tablet — Foto: Divulgação/Dell Notebook 2 em 1 Dell que oferece tela tátil em modo tablet — Foto: Divulgação/Dell

Notebook 2 em 1 Dell que oferece tela tátil em modo tablet — Foto: Divulgação/Dell

10. Console Android

Soluções acessíveis para rodar qualquer título da Play Store, os consoles Android ganharam destaque com o Ouya, financiado no Kickstarter. Depois chegaram diversos outros dispositivos, até mesmo de gigantes como Nvidia, que desenvolveu o Nvidia Shield. No entanto, nenhum deles chegou a fazer sucesso no Brasil e muitas pessoas, inclusive, desconhecem esses produtos. Talvez o fracasso dos aparelhos tenha relação com o fácil acesso aos smartphones, que evoluíram em suas capacidades e tornaram os consoles Android completamente dispensáveis.

Console Android com a capacidade de fazer streaming de jogos de PC na mesma rede — Foto: Divulgação/Nvidia Console Android com a capacidade de fazer streaming de jogos de PC na mesma rede — Foto: Divulgação/Nvidia

Console Android com a capacidade de fazer streaming de jogos de PC na mesma rede — Foto: Divulgação/Nvidia

Como funciona o Google Glass, o óculos da Google? Tire suas dúvidas no Fórum do TechTudo

Mais do TechTudo