Atletas

Por Julio Puiati, para o TechTudo


Os mapas presentes em Counter-Strike: Global Offensive (CS:GO) são cheios de detalhes. Cada região é conhecida por ''callouts", isto é, apelidos que facilitam a comunicação entre players na hora do jogo. Essas chamadas ''não oficiais'' variam de país em país, e a comunidade brasileira criou a sua própria linguagem. Algumas callouts homenageiam atletas, que se destacaram no passado por jogadas ou movimentações que fizeram sucesso. Veja, a seguir, cinco atletas do Brasil que têm homenagens em mapas.

Coldzera – Mirage

O grafite de coldzera na Mirage — Foto: Reprodução/Julio Puiati O grafite de coldzera na Mirage — Foto: Reprodução/Julio Puiati

O grafite de coldzera na Mirage — Foto: Reprodução/Julio Puiati

Marcelo ''coldzera'' David foi protagonista de um dos momentos mais marcantes da Mirage na história do cenário competitivo. A jogada ocorreu em 2016, durante a MLG Major Columbus, contra a Team Liquid. Perdendo por 15 a 9 na primeira partida da semifinal, os brasileiros da Luminosity Gaming estavam a um ponto da derrota.

Coldzera estava sozinho na defesa do bombsite B, mas, mesmo em desvantagem, conseguiu repelir a entrada de cinco terroristas na região do tapete. O craque brasileiro utilizou sua AWP para anotar quatro abates e comandar a virada da Luminosity – campeã do Mundial em questão. O local ficou eternizado com um grafite.

Cogu – Inferno

Posição ''cogu'' na Inferno — Foto: Divulgação/ESWC Posição ''cogu'' na Inferno — Foto: Divulgação/ESWC

Posição ''cogu'' na Inferno — Foto: Divulgação/ESWC

Raphael "cogu" Camargo, atleta que marcou a época de Counter-Strike 1.6, ganhou uma homenagem na Inferno. Com a camisa da MIBR, em 2016, o atual técnico da Falkol foi autor de uma jogada memorável contra a Fnatic na final da ESWC, que acabou sendo o primeiro título mundial da equipe brasileira.

Com a ajuda de um ''pézinho'', Cogu subiu no telhado da região do Xuxa, e, pacientemente, eliminou quatro oponentes que tentavam investir sobre o bombsite A. Desde então, a posição é utilizada como callout por diversos players da comunidade brasileira.

Gaules – Train

Posição ''gaules'' na Train — Foto: Reprodução/Julio Puiati Posição ''gaules'' na Train — Foto: Reprodução/Julio Puiati

Posição ''gaules'' na Train — Foto: Reprodução/Julio Puiati

Já na Train, quem ficou eternizado por uma callout foi Alexandre "gaules" Borba, ex-jogador e atual streamer. Antes de se dedicar às transmissões de campeonatos e produção de conteúdo, o profissional se destacava em competições na versão 1.6. Em 2001, fundou a g3x e revolucionou a maneira de pensar estratégias na Train. Gaules passou a defender sozinho o bombsite B pelo lado CT e a jogada ganhou notoriedade. A região superior do local é chamada pelo seu nome até hoje por jogadores brasileiros.

FalleN – Dust2

Posição ''FalleN'' na Dust2 — Foto: Reprodução/Julio Puiati Posição ''FalleN'' na Dust2 — Foto: Reprodução/Julio Puiati

Posição ''FalleN'' na Dust2 — Foto: Reprodução/Julio Puiati

Gabriel ''FalleN'' Toledo, AWPer da MIBR, não poderia ficar de fora. Considerado um dos maiores jogadores de Counter-Strike do mundo, o sniper dá nome ao carro localizado no bombsite A da Dust2. O local é também conhecido como ''crash''.

Por ser AWPer de ofício, FalleN precisa trabalhar a longa distância, e o carro presente no mapa é perfeito para marcar investidas na caverna e varanda. O craque brasileiro ficou conhecido por movimentações nesse perímetro e por isso recebeu a homenagem da comunidade.

btt – Inferno

Região do ''btt'' na Inferno — Foto: Reprodução/Julio Puiati Região do ''btt'' na Inferno — Foto: Reprodução/Julio Puiati

Região do ''btt'' na Inferno — Foto: Reprodução/Julio Puiati

Thiago "btt" Monteiro, jogador que se destacou no CS 1.6 com as camisas da MIBR, g3x e CNB, é homenageado em uma posição na Inferno. A callout em questão fica dentro do bombsite B, exatamente entre a região da caixa tripla e piscina.

O pro player era conhecido por segurar a posição quando estava no lado CT, e por lá realizou boas jogadas. O posicionamento de ''âncora'' ganhou destaque e o nome de btt virou marca registrada na comunidade brasileira.

Mais do TechTudo