Por Filipe Garrett, para o TechTudo


O Raspberry Pi é um computador de bolso que aparece em diversas versões. Esses modelos podem ser utilizados em uma infinidade de projetos interessantes, que aplicam o hardware da placa em drones, consoles de jogos retrô e dispositivos que deixam sua TV smart. Além disso, também é possível criar um pequeno servidor para liberar acesso dos PCs da rede à impressora ou até uma espécie de armazenamento em nuvem próprio.

Confira a seguir dez exemplos de projetos utilizando alguma versão do Raspberry Pi e saiba qual deles são mais interessantes para você. Vale ressaltar que as criações têm diversos graus de dificuldade, e podem exigir a compra de outros materiais além da placa.

Quer comprar celular, TV e outros produtos com desconto? Conheça o Compare TechTudo

É possível conectar o Raspberry à uma impressora sem acesso à Internet para torná-la acessível por toda uma rede — Foto: Filipe Garrett/TechTudo É possível conectar o Raspberry à uma impressora sem acesso à Internet para torná-la acessível por toda uma rede — Foto: Filipe Garrett/TechTudo

É possível conectar o Raspberry à uma impressora sem acesso à Internet para torná-la acessível por toda uma rede — Foto: Filipe Garrett/TechTudo

Servidor de impressão

O Raspberry Pi pode virar uma central conectada para que sua impressora seja acessível por todos os usuários dentro da rede doméstica. Para isso, basta que você instale uma distribuição Linux na placa e configure um servidor de impressão.

Com tudo funcionando, basta deixar placa e impressora ligados, com o cuidado de garantir que o Raspberry Pi está conectado à sua rede. Depois, busque os aparelhos de impressão por meio do sistema operacional de um dispositivo e mande documentos diretamente para impressão.

Media center

Raspberry tem hardware suficiente para virar um media center de baixo custo — Foto: Filipe Garrett/TechTudo Raspberry tem hardware suficiente para virar um media center de baixo custo — Foto: Filipe Garrett/TechTudo

Raspberry tem hardware suficiente para virar um media center de baixo custo — Foto: Filipe Garrett/TechTudo

As diversas versões do Raspberry Pi oferecem hardware de baixo custo, mas que ainda assim é capaz de reproduzir vídeo em Full HD. Apresentando porta HDMI, a placa permite também a ligação com uma TV.

É a soma dessas duas características que dá ao usuário a possibilidade de transformar o dispositivo em um media center. Há sistemas operacionais dedicados à tarefa, trazendo reprodutores de vídeo e música embutidos, além de uma série de recursos de compartilhamento e organização de mídia. Assim, o Raspberry Pi pode ser uma alternativa baratra a qualquer TV Box com Android TV, por exemplo.

Rádio digital

Rádio digital pode sintonizar emissoras da Internet — Foto: Filipe Garrett/TechTudo Rádio digital pode sintonizar emissoras da Internet — Foto: Filipe Garrett/TechTudo

Rádio digital pode sintonizar emissoras da Internet — Foto: Filipe Garrett/TechTudo

Outro projeto simples e amigável para iniciantes é criar um rádio digital com o Raspberry Pi, já que é possível criar um sintonizador FM com os componentes certos. Vale ressaltar que ter um transmissor FM pirata no Brasil é crime, e só é permitido ter em mãos o sintonizador, como um rápido comum.

No modelo unicamente digital, é possível utilizar um software para Linux capaz de buscar o stream de uma rádio que ofereça sua programação via Internet. Projetos mais evoluídos envolvem ainda listas com várias emissoras, telinha LCD para controlar o rádio, botões e até cases.

Console de games antigos

Raspberry Pi 3 é muito usado para emulação de videogames antigos — Foto: Filipe Garrett/TechTudo Raspberry Pi 3 é muito usado para emulação de videogames antigos — Foto: Filipe Garrett/TechTudo

Raspberry Pi 3 é muito usado para emulação de videogames antigos — Foto: Filipe Garrett/TechTudo

Barato e com capacidade para encarar jogos de boa parte das gerações de consoles e PCs antigos, o Raspberry Pi pode se tornar uma boa plataforma de games retrô. Há inclusive uma comunidade organizada de desenvolvedores que produz pacotes com emuladores e interfaces gráficas de qualidade voltadas para o mini PC.

Com suporte a conexões Bluetooth, o Raspberry Pi pode ser pareado com controles sem fio, o que pode ajudar na conexão de modelos mais recentes. Projetos mais elaborados colocam a placa no centro de um fliperama caseiro ou de um console portátil, aproveitando a carcaça de um PSP antigo ou até mesmo um molde de impressão 3D.

Sua própria nuvem

Projeto permite que você crie o seu próprio Dropbox — Foto: Divulgação/Element14 Projeto permite que você crie o seu próprio Dropbox — Foto: Divulgação/Element14

Projeto permite que você crie o seu próprio Dropbox — Foto: Divulgação/Element14

Comprar um NAS – conjunto de HDs externos ligados à Internet para acessar de qualquer lugar – pode não ser muito interessante para quem precisa apenas de armazenamento ligado à Internet. É possível utilizar o Raspberry Pi como plataforma de controle dos HDs, utilizando as quatro portas USB da placa.

Ligando o mini PC à rede e configurando serviços como o ownCloud, você passa a ter acesso aos seus arquivos de qualquer lugar. Dessa forma, não é necessário investir em uma conta em serviços como Google Drive, Dropbox, entre outros.

Servidor web

Placa pode hospedar site de Internet ou então seu servidor de e-mails — Foto: Filipe Garrett/TechTudo Placa pode hospedar site de Internet ou então seu servidor de e-mails — Foto: Filipe Garrett/TechTudo

Placa pode hospedar site de Internet ou então seu servidor de e-mails — Foto: Filipe Garrett/TechTudo

Outra aplicação de Internet que você pode testar é a de servidor web. Dessa forma, o Raspberry Pi se comporta como uma máquina ligada à rede e pode hospedar um site, blog ou até alguma funcionalidade de rede e um servidor de e-mails, por exemplo. A grande questão é que o hardware simples demais torna a plaquinha inviável para qualquer uso mais ambicioso.

Portanto, um site que pode acabar tendo milhares de acessos ao mesmo tempo vai acabar travando na placa. Apesar disso, o hardware simples do Raspberry é acessível e permite o desenvolvimento de protótipos para testes, e deve dar conta sem problema de projetos menos exigentes, como um blog, por exemplo.

Drones

Kits para montagem de robôs e drones podem ser comprados da Internet com todos os componentes que você precisa — Foto: Reprodução/Youtube Kits para montagem de robôs e drones podem ser comprados da Internet com todos os componentes que você precisa — Foto: Reprodução/Youtube

Kits para montagem de robôs e drones podem ser comprados da Internet com todos os componentes que você precisa — Foto: Reprodução/Youtube

Outro projeto interessante, e também mais desafiador, é usar o Raspberry Pi como o cérebro de um drone, tanto modelos voadores quanto robôs mais convencionais. Assim como outros exemplos dessa lista, não faltam tutoriais na Internet explicando o que você precisa fazer para montar o seu.

Existem kits com as peças que você vai precisar, formado em geral por motores, rodas ou hélices e um módulo computacional para comandar isso tudo, sempre compatíveis tanto com Arduino como com Raspberry. Dependendo do perfil do robô ou drone, você pode usar um app para controlar, criar rotinas autônomas, ou até mesmo usar controles de videogame para pilotar sua criação.

Tablet

Tela touch, além de cases, também são encontrados na Internet para quem deseja criar seu próprio tablet — Foto: Divulgação/RasPad Tela touch, além de cases, também são encontrados na Internet para quem deseja criar seu próprio tablet — Foto: Divulgação/RasPad

Tela touch, além de cases, também são encontrados na Internet para quem deseja criar seu próprio tablet — Foto: Divulgação/RasPad

Entre a infinidade de acessórios e complementos disponíveis para Raspberry, há algumas opções de tela sensíveis ao toque. Elas podem ser acopladas à placa que, com o auxílio de uma bateria, pode virar um tablet. Também é possível utilizar módulos para SIM cards e usar o mini PC como uma espécie de smartphone.

Apesar disso, o projeto tem algumas limitações, principalmente nas adaptações do Android para as versões do Raspberry Pi. Além disso, não espere pelo design esbelto de um iPad: o resultado final não é tão portátil e compacto, mesmo usando cases impressos em 3D disponíveis na Internet.

Câmera de segurança

Se um drone ou tablet parecem muito complexos, uma câmera de segurança controlada pelo Raspberry pode ser uma aplicação mais acessível para iniciantes. Em geral, os vários exemplos disponíveis na Internet requerem apenas um Raspberry Pi 3, uma webcam USB e alguma mídia de armazenamento, como um pen drive.

Há também modelos com sensores de movimento que acionam a câmera automaticamente, gravando a captura num pendrive. Do contrário, você pode agendar horários para a câmera ligar sozinha, ou então deixá-la ligada o tempo todo – ao invés de um pen drive, vale mais utilizar um disco rígido.

Projetor

PiProjector permite transformar a plaquinha num projetor de bolso — Foto: Divulgação/MickMake PiProjector permite transformar a plaquinha num projetor de bolso — Foto: Divulgação/MickMake

PiProjector permite transformar a plaquinha num projetor de bolso — Foto: Divulgação/MickMake

Um pouco mais complexo, esse projeto exige que você invista num complemento disponível na Internet para converter o sinal do Raspberry para projeção em uma imagem de 854 x 480 pixels, resolução abaixo do HD. Usando uma bateria e o Raspberry Pi Zero você pode inclusive desenvolver algo que, cabendo no bolso, é completamente portátil e com um custo muito abaixo do praticado em projetores portáteis à venda no mercado.

Vale a pena comprar o Raspberry Pi 2? Tire suas dúvidas no Fórum do TechTudo

Mais do TechTudo