Por Victor Toledo, para o TechTudo

Xiaomi no Brasil: perguntas e respostas sobre a volta da empresa Xiaomi no Brasil: perguntas e respostas sobre a volta da empresa
Thássius Veloso/TechTudo

A Xiaomi está de volta ao Brasil. Após anunciar o retorno ao país, a empresa abre, neste sábado (1), sua primeira loja física em São Paulo e disponibiliza seu e-commerce oficial para compras online. A marca é uma das maiores da tecnologia no planeta, chegou a ocupar o topo do ranking em 2014 e atualmente é a quarta maior em vendas de celulares no mundo.

De volta por meio de uma parceria com a DL Eletrônicos, a Xiaomi tem como principal objetivo facilitar a vida dos brasileiros com o ecossistema da marca, sem perder o tradicional custo-benefício já característico de seus produtos. A seguir, o TechTudo tira suas principais dúvidas sobre a volta da fabricante chinesa ao país.

Quer comprar celular, TV e outros produtos com desconto? Conheça o Compare TechTudo

Xiaomi chega ao Brasil e traz patinete elétrico: veja lista

Xiaomi chega ao Brasil e traz patinete elétrico: veja lista

1. O que é a Xiaomi e por que a empresa está voltando ao Brasil?

A Xiaomi foi criada em 2010 e rapidamente se tornou uma das gigantes da tecnologia. Em 2018, a companhia foi a quarta maior em vendas de celulares no mundo, atrás apenas de Samsung, Apple e Huawei. Além disso, é uma das maiores startups de tecnologia do planeta e chegou a ocupar o topo do ranking em 2014 por conta da grande variedade de dispositivos oferecidos, como lâmpadas inteligentes, robôs aspiradores e muitos outros.

Outro fator que fez a Xiaomi cair nas graças dos usuários é o custo-benefício de seus produtos. A empresa chinesa oferece dispositivos de qualidade por preços acessíveis, se comparados com fabricantes de outras partes do mundo.

Patinete e bicicleta elétricas da Xiaomi vão chegar ao Brasil — Foto: Aline Batista/TechTudo Patinete e bicicleta elétricas da Xiaomi vão chegar ao Brasil — Foto: Aline Batista/TechTudo

Patinete e bicicleta elétricas da Xiaomi vão chegar ao Brasil — Foto: Aline Batista/TechTudo

Vale lembrar que a Xiaomi teve uma breve passagem pelo Brasil entre 2015 e 2016, mas decidiu abandonar o país por conta de dificuldades financeiras. Agora, após investir no desenvolvimento de dispositivos voltados para a Internet das Coisas (IoT), a empresa está de volta por meio de uma parceria com a fabricante nacional DL Eletrônicos, que será a distribuidora oficial da marca no país.

De acordo com o executivo Luciano Barbosa, que liderou o projeto Xiaomi no Brasil, toda a operação de distribuição da marca como importação, homologação, gestão de produtos, assistência técnica e garantia serão de responsabilidade da DL nesse retorno.

2. Quais produtos vão ser vendidos no Brasil?

Além de sete mdelos de celulares, a Xiaomi chega ao Brasil com diversos dispositivos inteligentes que vão ajudar na criação de uma casa conectada. A promessa da empresa é trazer centenas de aparelhos smarts para o país. Durante o evento de apresentação, em São Paulo, a marca focou em aparelhos específicos, como a lâmpada de cabeceira, kit de sensores smart, patinete elétrica e robô aspirador.

Kit Mi Smart Sensor ajuda na automação residencial — Foto: Aline Batista/TechTudo Kit Mi Smart Sensor ajuda na automação residencial — Foto: Aline Batista/TechTudo

Kit Mi Smart Sensor ajuda na automação residencial — Foto: Aline Batista/TechTudo

Nomeada de Mi Bedside Lamp, a lâmpada de cabeceira inteligente pode ser controlada por meio de um aplicativo de celular. De acordo com a Xiaomi, ela é capaz de exibir mais de 16 milhões de cores, além de ser compatível com as assistentes virtuais Amazon Alexa e Google Assistente.

Já o Mi Smart Sensor é um kit de automação residencial composto por diversos aparelhos, incluindo o Mi Control Hub. Com os dispositivos, o usuário pode controlar as lâmpadas de casa e ligar ou desligar aparelhos à distância, entre outras ações de automação residencial. Todos os ajustes são feitos pelo aplicativo Mi Home.

Robô aspirador da Xiaomi também vai chegar ao Brasil — Foto: Aline Batista/TechTudo Robô aspirador da Xiaomi também vai chegar ao Brasil — Foto: Aline Batista/TechTudo

Robô aspirador da Xiaomi também vai chegar ao Brasil — Foto: Aline Batista/TechTudo

Além disso, foi apresentada a Mi Electric Scooter, a patinete elétrica mais vendida no mundo, segundo a companhia. O dispositivo vem com freios ABS, que recarregam a bateria enquanto o veículo freia, e tem autonomia para até 30 quilômetros com uma carga.

Outro produto que deve chegar ao Brasil é Mi Robot Vacuum, robô aspirador da Xiaomi. O dispositivo traz 12 sensores para mapear o ambiente e é capaz de reconhecer obstáculos pelo chão. Com o app Mi Home, o usuário pode controlar o dispositivo à distância, além de ajustar os modos de limpeza. Vale lembrar que a empresa ainda não revelou os valores para os aparelhos. Os preços devem ser anunciados neste sábado, após a inauguração da loja.

3. Os produtos serão mais caros do que os encontrados em market place?

Esse é um ponto importante. Como a importação desses produtos será feita de forma oficial pela DL Eletrônicos, as empresas têm custos extras com a homologação dos dispositivos. Por isso, é bem provável que os preços sejam mais altos do que os valores praticados em lojas online, que trabalham com importação. No entanto, a DL e a Xiaomi prometem margens de lucro mínimas para manter os preços baixos também no Brasil, já que o custo-benefício é uma característica da empresa chinesa.

Xiaomi Mi 9 chega ao Brasil: veja preço e ficha técnica

Xiaomi Mi 9 chega ao Brasil: veja preço e ficha técnica

Vale lembrar que, com exceção dos celulares, a Xiaomi ainda não revelou os preços dos produtos no Brasil. A nível de comparação, o Redmi Note 7 desembarca no Brasil pelo preço de R$ 1.699, enquanto os consumidores chineses adquirem o mesmo item pelo equivalente a R$ 580. Ou seja, é possível dizer que o telefone chega ao Brasil por quase o triplo do preço original, o que pode decepcionar alguns usuários. Ainda não se sabe se os outros dispositivos da marca vão seguir ou não esse aumento nos preços.

4. Os produtos têm garantia?

Xiaomi volta ao Brasil por meio de uma parceria com a DL Eletrônicos — Foto: Aline Batista/TechTudo Xiaomi volta ao Brasil por meio de uma parceria com a DL Eletrônicos — Foto: Aline Batista/TechTudo

Xiaomi volta ao Brasil por meio de uma parceria com a DL Eletrônicos — Foto: Aline Batista/TechTudo

De acordo com a Xiaomi, só terão garantia os produtos adquiridos pelos canais de venda oficiais da marca. Além disso, a empresa garante que haverá emissão de nota fiscal em todos os dispositivos adquiridos. De modo geral, os smartphones terão suporte por 12 meses, enquanto os demais aparelhos devem contar com tempo de garantia variado.

Outro ponto importante é que, caso o usuário tenha algum problema, o dispositivo deve ser enviado pelos correios às centrais de garantia Xiaomi no Brasil, localizadas em São Paulo e Santa Rita do Sapucaí, em Minas Gerais. "O histórico da operação Xiaomi Global não registra número elevado de reposição de peças. De qualquer forma, o call center orientará os consumidores da melhor maneira possível", garante o Head do Projeto Xiaomi no Brasil, Luciano Barbosa, sobre o suporte oferecido pela DL Eletrônicos.

5. Quais são os canais de venda?

Apenas os produtos à venda nos canais oficiais da Xiaomi no Brasil têm homologação junto às autoridades brasileiras e contam com garantia contra defeitos de fabricação. A Xiaomi reforça que os canais de venda oficiais seguros ao usuário são a loja online pelo site (mi.com) e os varejistas parceiros, como Ricardo Eletro, Pernambucanas e Magazine Luiza.

Outro canal de venda oficial da Xiaomi é a primeira loja física da marca no Brasil. A partir deste sábado (1), a empresa coloca em funcionamento uma Mi Store no shopping Ibirapuera, em São Paulo, onde os usuários poderão conhecer os produtos e realizar a compra pessoalmente.

6. O que é o ecossistema Xiaomi?

Pulseira Mi Band pode se conectar com a Mi Bedside Lamp — Foto: Divulgação/Xiaomi Pulseira Mi Band pode se conectar com a Mi Bedside Lamp — Foto: Divulgação/Xiaomi

Pulseira Mi Band pode se conectar com a Mi Bedside Lamp — Foto: Divulgação/Xiaomi

O ecossistema Xiaomi é a definição utilizada para falar do conjunto de produtos que funcionam de forma integrada e ajudam a deixar a casa smart. Um exemplo é o funcionamento do Mi Smart Sensor: com o dispositivo, o usuário pode controlar outros aparelhos inteligentes da casa por meio de aplicativo.

A possível integração entre a Mi Band e a Mi Bedside Lamp também é um exemplo desse ecossistema. O usuário configura os dispositivos pelo aplicativo Mi Home de forma que a pulseira detecta quando a pessoa está dormindo e apaga as luzes automaticamente. A fabricante promete que o app para smartphones será capaz de concentrar todas essas operações, oferecendo uma experiência simples para o usuário.

7. A Xiaomi vai abrir uma fábrica no Brasil?

Durante o evento de lançamento, Luciano Barbosa, líder do projeto Xiaomi no Brasil, afirmou que, para garantir a agilidade na chegada dos produtos, a empresa vai trabalhar apenas com importação por meio da DL, e que ainda não há planos de abrir uma fábrica por aqui.

Xiaomi: saiba o verdadeiro significado da logo e mais 4 curiosidades

Xiaomi: saiba o verdadeiro significado da logo e mais 4 curiosidades

O celular Xiaomi é bom? É confiável? Tire suas dúvidas no Fórum do TechTudo

Mais do TechTudo