Redes sociais

Por Ana Letícia Loubak, para o TechTudo


O Bumble é um aplicativo de relacionamento para Android e iPhone (iOS) com funcionamento semelhante ao Tinder, mas que se destaca do rival por oferecer às mulheres o poder exclusivo de dar o primeiro passo após o match. O Bumble apresenta outras funções adicionais, como verificação de usuários para evitar a criação de contas fake, e um recurso para combater a prática de ghosting, que é quando alguém deixa de dar sinais de vida e some da conversa como um verdadeiro fantasma. O TechTudo traz, na lista a seguir, oito curiosidades sobre o aplicativo de namoro "feminista".

Bumble é app de relacionamento rival do Tinder — Foto: Divulgação/Bumble Bumble é app de relacionamento rival do Tinder — Foto: Divulgação/Bumble

Bumble é app de relacionamento rival do Tinder — Foto: Divulgação/Bumble

Quer comprar celular, TV e outros produtos com desconto? Conheça o Compare TechTudo

1. Origem do nome

Bumble é aplicativo de relacionamento rival do Tinder — Foto: Divulgação/Bumble Bumble é aplicativo de relacionamento rival do Tinder — Foto: Divulgação/Bumble

Bumble é aplicativo de relacionamento rival do Tinder — Foto: Divulgação/Bumble

O nome do aplicativo vem do verbo “bumble”, em inglês, que faz referência ao zumbido produzido pelas abelhas e significa “falar ou mover-se de forma confusa”. Para Whitney Wolfe, uma das fundadoras do app, a escolha foi um “acaso feliz”. Em entrevista ao site Esquire, ela explicou que passou semanas usando um gerador de palavras russo para que, ao final, um membro da equipe simplesmente sugerisse o nome atual.

“A princípio, todos nós reviramos os olhos”, confessou Wolfe, que é ex-funcionária do Tinder, na entrevista. “Mas então pensamos sobre isso. Espere um segundo. Bumble — como a sociedade das abelhas. Há uma abelha rainha, a mulher está no comando, e é uma comunidade realmente respeitosa. É tudo sobre a abelha rainha e todos trabalhando juntos. Foi um acaso muito feliz.”

2. Mulheres devem enviar mensagem primeiro

No Bumble, mulheres têm o poder exclusivo de enviar a primeira mensagem — Foto: Pond5 No Bumble, mulheres têm o poder exclusivo de enviar a primeira mensagem — Foto: Pond5

No Bumble, mulheres têm o poder exclusivo de enviar a primeira mensagem — Foto: Pond5

Se nas colmeias tudo gira em torno da abelha-rainha, no Bumble são as mulheres que têm o poder de iniciar uma conversa. Em um match entre pares de sexos diferentes, a primeira mensagem deve ser, obrigatoriamente, enviada por elas. A funcionalidade, que rendeu ao app o título de feminista, tem o objetivo de empoderar mulheres e permitir que decidam com quem querem conversar. Desta forma, o recurso evita o bombardeio de mensagens desrespeitosas e sexistas enviadas pelos homens, prática comum em aplicativos de relacionamento concorrentes.

3. Casais homossexuais são bem-vindos

Homossexuais também podem encontrar parceiros no Bumble — Foto: Divulgação/Bumble Homossexuais também podem encontrar parceiros no Bumble — Foto: Divulgação/Bumble

Homossexuais também podem encontrar parceiros no Bumble — Foto: Divulgação/Bumble

O Bumble não exige que os usuários definam a sexualidade para usar o aplicativo. Basta informar se você está interessado em homens, mulheres, ou ambos, e o aplicativo exibirá os perfis adequados. Para matches entre casais homossexuais, não se aplica a regra descrita no item acima: qualquer um dos interessados pode iniciar a conversa.

4. É possível buscar por amigos ou fazer networking

Bumble BFF e Bumble Bizz permitem achar amigos e conexões comerciais — Foto: Divulgação/Bumble Bumble BFF e Bumble Bizz permitem achar amigos e conexões comerciais — Foto: Divulgação/Bumble

Bumble BFF e Bumble Bizz permitem achar amigos e conexões comerciais — Foto: Divulgação/Bumble

Ao contrário de serviços similares, o Bumble não foca apenas em relacionamentos amorosos. Os usuários que não quiserem encontrar parceiros românticos podem mudar o aplicativo para o “modo BFF” (sigla para best friends forever, melhores amigos para sempre em inglês), que indica pessoas em busca de amizade. Neste caso, qualquer um pode ser o primeiro a iniciar a conversa.

Com o objetivo de atender a necessidades de diversos públicos, o Bumble oferece também o modo “Bizz”, abreviação informal da palavra “business” (negócio, em inglês). O recurso funciona de forma semelhante ao modo “BFF”, mas é voltado para quem procura conexões profissionais.

5. Verificação de contas

O Bumble tem um recurso que verifica a autenticidade da identidade dos usuários. Quem se cadastra no aplicativo precisa tirar uma foto de si mesmo fazendo determinado movimento solicitado pelo app. Quando a identidade é confirmada, o sistema adiciona um ícone azul ao perfil, indicando aos demais usuários que a conta é autêntica. Com isso, o app previne bots e golpes de catfish na plataforma.

6. Não há espaço para “ghosting”

Usuários precisam responder mensagens em 24 horas para que o match não expire — Foto: Divulgação/Bumble Usuários precisam responder mensagens em 24 horas para que o match não expire — Foto: Divulgação/Bumble

Usuários precisam responder mensagens em 24 horas para que o match não expire — Foto: Divulgação/Bumble

Para combater o fenômeno conhecido como ghosting, que ocorre quando alguém “desaparece” da conversa online sem motivo aparente, o Bumble exige que as mensagens enviadas sejam respondidas dentro de 24 horas. Em um match heterossexual, por exemplo, a mulher precisa iniciar o chat nesse intervalo de tempo, caso contrário o match será desfeito, como se nunca tivesse existido. O mesmo vale para os homens que, após receberem a primeira mensagem, não respondem dentro do prazo determinado.

Vale ressaltar que o aplicativo permite que os homens estendam a combinação por mais 24 horas caso a mulher não envie a primeira mensagem no período esperado. O recurso só pode ser usado em um match por dia, a menos que o usuário faça o upgrade para o Bumble Boost, versão premium do app.

7. Batalhas judiciais com o Tinder

O aplicativo Bumble e o Grupo Match, responsável pelo Tinder, enfrentam uma série de batalhas judiciais há mais de dois anos. Tudo começou em junho de 2017, quando a segunda empresa ofereceu uma oferta de compra de sua concorrente por US$ 450 milhões. Pouco tempo depois, o valor foi rejeitado por ter sido considerado abaixo do mercado — o Bumble fora avaliado em mais de US$ 1 bilhão na época.

Tinder e Bumble estão em batalha judicial desde 2017 — Foto: Marvin Costa/TechTudo Tinder e Bumble estão em batalha judicial desde 2017 — Foto: Marvin Costa/TechTudo

Tinder e Bumble estão em batalha judicial desde 2017 — Foto: Marvin Costa/TechTudo

Em 2018, o Grupo Match processou o Bumble, alegando que este se apropriara de funcionalidades patenteadas pelo Tinder, como a aceitação mútua (o chamado "match") e os gestos baseados em arrastar para o lado para aceitar ou rejeitar o pretendente em potencial. É o caso, por exemplo, do SuperSwipe do Bumble, que traz as mesmas características do Super Like do Tinder. Como dois fundadores do Bumble trabalharam no Grupo Match, este argumentou que eles desenvolveram o app enquanto ainda eram seus funcionários.

Mais tarde, em março de 2018, foi a vez de o Bumble processar o Grupo Match em US$ 400 milhões, afirmando que o rival estaria se aproveitando das negociações para obter segredos comerciais. Em novembro, no entanto, o acusador desistiu da ação.

8. Move Makers

Um diferencial do Bumble é o recurso “My Move Makers”, que ajuda os usuários na paquera. Além de escolher fotos e escrever uma bio de até 300 caracteres, quem usa o app de relacionamento tem a opção de escolher três dentre uma lista de 39 perguntas sobre hábitos e personalidade para responder. “Balada ou Netflix?”, “Se eu pudesse ter um superpoder, seria...” e “Meu crush famoso na infância era...” são alguns exemplos de tópicos à escolha do usuário para incrementar o perfil.

App Spy Likes, para o Tinder funciona mesmo? Descubra no Fórum do TechTudo.

O que é e como funciona o Tinder

O que é e como funciona o Tinder

Mais do TechTudo