Sistemas operacionais

Por Paulo Alves, para o TechTudo


O Windows 10 tem vários recursos nativos que precisam dos dados do usuário para funcionar. Mais conectado do que o Windows 8 e versões anteriores, o sistema atual da Microsoft precisa coletar uma quantidade maior de informações e enviá-las aos servidores da empresa. Da mesma forma, aplicativos modernos também lançam mão de permissões que podem ser intrusivas.

Por outro lado, o software do PC permite configurar os ajustes de privacidade manualmente para impedir eventuais abusos. Veja, a seguir, dez dicas para proteger informações pessoais no Windows.

Como programar um computador Windows para desligar sozinho

Como programar um computador Windows para desligar sozinho

Quer comprar celular, TV e outros produtos com desconto? Conheça o Compare TechTudo

1. Desativar a localização

O Windows 10 acessa a localização do computador para alimentar funções do sistema, como o mapa integrado e o Edge, assim como para fornecer dados solicitados por aplicativos de terceiros. Na hipótese de o usuário não usar o PC para buscar locais próximos – se apps de mapa forem acessados com frequência pelo celular, por exemplo – é possível desativar por completo o monitoramento feito pelo software da Microsoft. Para tanto, abra o menu “Privacidade” no app de configurações e desligue a chave no item “Localização”.

Desative a localização no Windows 10 — Foto: Reprodução/Paulo Alves Desative a localização no Windows 10 — Foto: Reprodução/Paulo Alves

Desative a localização no Windows 10 — Foto: Reprodução/Paulo Alves

2. Desabilitar a Cortana

A assistente virtual Cortana precisa coletar muitos dados para funcionar, como voz, localização, textos digitados e histórico de aplicativos usados. Desligar totalmente o recurso é uma alternativa para evitar que esses dados sejam enviados à Microsoft. Acesse o menu da “Cortana > Conversar com a Cortana” nas configurações e desligue todas as chaves. Depois, em “Permissões”, clique em “Gerenciar informações que a Cortana pode acessar neste dispositivo” e revogue todas as autorizações. Outra medida aconselhável é remover o histórico da assistente. Em último caso, é possível também desinstalar completamente o recurso do PC.

Revogue permissões da Cortana — Foto: Reprodução/Paulo Alves Revogue permissões da Cortana — Foto: Reprodução/Paulo Alves

Revogue permissões da Cortana — Foto: Reprodução/Paulo Alves

3. Cancelar personalização de publicidade

O Windows também coleta dados destinados à personalização de publicidade com base em algoritmos. Para isso, a tecnologia precisa analisar padrões de uso e ter acesso a tudo que você faz no PC. Desligar essa opção não tem consequência grave, pois só faz com que banners de propaganda e apps sugeridos tenham menos relevância. Desligue o ID de anúncio nas configurações gerais do menu de “Privacidade” e, em seguida, acesse “Diagnósticos e comentários” e desabilite a função “Experiências personalizadas”.

Desative as experiências personalizadas do Windows 10 — Foto: Reprodução/Paulo Alves Desative as experiências personalizadas do Windows 10 — Foto: Reprodução/Paulo Alves

Desative as experiências personalizadas do Windows 10 — Foto: Reprodução/Paulo Alves

4. Impedir o envio detalhado de diagnósticos

Na mesma tela de “Diagnósticos e comentários” das configurações de privacidade do Windows 10, é possível mudar o perfil dos diagnósticos enviados pelo computador periodicamente à Microsoft. Segundo a empresa, os dados ajudam a melhorar a segurança do PC. No entanto, por padrão, o sistema compartilha um pacote muito detalhado, que inclui histórico de navegação e até a maneira com que o usuário lida com aplicativos instalados. Marque a opção “Básicos” para deixar o relatório com menos informações pessoais.

Deixe mais simples os relatórios de bugs enviados à Microsoft — Foto: Reprodução/Paulo Alves Deixe mais simples os relatórios de bugs enviados à Microsoft — Foto: Reprodução/Paulo Alves

Deixe mais simples os relatórios de bugs enviados à Microsoft — Foto: Reprodução/Paulo Alves

5. Limpe histórico da área de transferência

Desde a atualização de outubro de 2018, o Windows 10 mantém um histórico dos últimos textos, links e fotos copiados com o comando Ctrl+V no computador. Embora o recurso possa ser muito útil para copiar e colar vários conteúdos de uma vez, ele pode manter material indesejado gravado no PC sem que o usuário perceba. Para desabilitar a função, desligue as chaves presentes no menu “Sistema > Área de Transferência” das configurações.

Desligue o histórico e a sincronização da área de transferência  — Foto: Reprodução/Paulo Alves Desligue o histórico e a sincronização da área de transferência  — Foto: Reprodução/Paulo Alves

Desligue o histórico e a sincronização da área de transferência — Foto: Reprodução/Paulo Alves

6. Verificar permissões de microfone

O Windows 10 não tem um menu consolidado com aplicativos e todas as permissões que utilizam, então, é preciso explorar cada função do sistema para descobrir se há algum programa coletando dados indevidamente. Um dos principais pontos de vulnerabilidade é o microfone, cujo acesso realizado por apps sem a anuência do usuário pode vazar conteúdo sigiloso.

Nas configurações de privacidade, clique no menu “Microfone” e role até o final para verificar se algum aplicativo desconhecido acessou o recurso recentemente. Caso haja suspeita de invasão, desinstale o programa acusado pelo Windows e desligue a chave abaixo de “Permitir que os aplicativos da área de trabalho acessem seu microfone” – a ação, vale lembrar, pode impedir de enviar áudios no WhatsApp Web e fazer chamadas do Skype Web em navegadores como Chrome e Firefox.

Desative o microfone para programas se houver suspeita de acesso indevido — Foto: Reprodução/Paulo Alves Desative o microfone para programas se houver suspeita de acesso indevido — Foto: Reprodução/Paulo Alves

Desative o microfone para programas se houver suspeita de acesso indevido — Foto: Reprodução/Paulo Alves

7. Checar apps em segundo plano

Na mesma lista de permissões do menu de privacidade do Windows 10, acesse o item “Aplicativos em segundo plano” e desative programas menos importantes, cujas funções não precisam estar ativas o tempo todo. Dessa forma, o sistema impede que eventuais programas suspeitos possam coletar dados mesmo quando não estão sendo usados ativamente.

Impeça o funcionamento de aplicativos em segundo plano — Foto: Reprodução/Paulo Alves Impeça o funcionamento de aplicativos em segundo plano — Foto: Reprodução/Paulo Alves

Impeça o funcionamento de aplicativos em segundo plano — Foto: Reprodução/Paulo Alves

8. Controlar o histórico de atividades

O Windows 10 sincroniza as tarefas do usuário em múltiplos dispositivos e ajuda a começar algo no PC e terminar em outro. O recurso, porém, depende que os dados sejam continuamente enviados aos servidores da Microsoft. Para impedir que a Microsoft tenha acesso a essas informações, acesse o menu “Histórico de Atividades” nas configurações de privacidade e desligue a chave “Enviar o meu histórico de atividades à Microsoft”.

Cancele o envio do histórico de tarefas no PC à Microsoft — Foto: Reprodução/Paulo Alves Cancele o envio do histórico de tarefas no PC à Microsoft — Foto: Reprodução/Paulo Alves

Cancele o envio do histórico de tarefas no PC à Microsoft — Foto: Reprodução/Paulo Alves

9. Desativar a Linha do Tempo

Uma das utilidades do controle de atividades é proporcionar o funcionamento da Linha do Tempo, recurso que mostra arquivos e programas abertos nas últimas vezes em que o PC foi usado. Quando ativada, a função pode revelar os passos do usuário para outras pessoas em PCs compartilhados e gerar problemas de privacidade. Para desligar o recurso, acesse o menu “Sistema > Multitarefas” nas configurações e desligue a chave abaixo de Linha do Tempo.

Desative o recurso Linha do Tempo para não sincronizar dados com outros PCs — Foto: Reprodução/Paulo Alves Desative o recurso Linha do Tempo para não sincronizar dados com outros PCs — Foto: Reprodução/Paulo Alves

Desative o recurso Linha do Tempo para não sincronizar dados com outros PCs — Foto: Reprodução/Paulo Alves

10. Desligar o reconhecimento de voz

O sistema de reconhecimento de voz da Microsoft precisa se conectar com a nuvem para processar o ditado e transformar em comandos ou textos digitados. O recurso, portanto, cria uma ponte contínua entre o que o usuário fala e os servidores da empresa. Desde que esteja disposto a abdicar de funções acionadas apenas com a voz, é possível evitar o compartilhamento de dados desabilitando a chave no menu “Privacidade > Controle por voz” das configurações.

Desligue o recurso de reconhecimento de voz do Windows 10 — Foto: Reprodução/Paulo Alves Desligue o recurso de reconhecimento de voz do Windows 10 — Foto: Reprodução/Paulo Alves

Desligue o recurso de reconhecimento de voz do Windows 10 — Foto: Reprodução/Paulo Alves

Qual é o melhor editor de vídeos grátis? Opine no Fórum do TechTudo

Mais do TechTudo