Por Victor de Abreu


Quake é uma franquia de jogos de tiro que foi um verdadeiro fenômeno na década de 1990. A primeira versão do game foi lançada em 1996 e logo virou uma "febre" entre os jogadores casuais. Desenvolvido pela id Software, Quake também protagonizou os primeiros grandes torneios de jogos eletrônicos e, por isso, é considerado um dos pioneiros dos esports. Veja, a seguir, cinco curiosidades sobre os pro players, campeonatos e prêmios do jogo. A lista reúne dados sobre o auge do game e seu cenário competitivo hoje em dia.

Quake Champions é o jogo em que os profissionais competem atualmente — Foto: Divulgação/Bethesda

Qual é o melhor jogo FPS? Opine no Fórum do TechTudo

Pioneirismo reconhecido pelo Guinness Book

Além de ter sido um jogo muito popular entre o público casual, o primeiro Quake criou um forte cenário competitivo e protagonizou grandes torneios. O destaque fica para uma competição chamada de Red Annihilation, que ocorreu em 1997, que contou com mais de 200 participantes e teve como premiação uma Ferrari 328 GTS.

O campeonato é visto como o primeiro evento verdadeiro de esportes eletrônicos e foi um grande passo para a criação de organizações focadas em competições do tipo, como a Cyberathlete Professional League (CPL). O campeão, Dennis "Thresh" Fong, é considerado pelo Guinness Book como primeiro jogador profissional de jogos eletrônicos da história.

Quake de 1996 foi um dos pioneiros dos esportes eletrônicos — Foto: Reprodução/Quake

Aparições da WCG e na ESWC

A fama do Quake fez com que a id Software lançasse novas versões do seu game. Com Quake II, lançado e dezembro de 1997, e Quake III: Arena, de dezembro de 1999, a franquia continuou a aparecer em grandes eventos dos esportes eletrônicos no final de anos 90 e nos anos 2000. Entre os destaques, aparecem a World Cyber Games (WCG) e a Electronic Sports World Cup (ESWC), dois dos principais eventos de esports no período.

Na WCG, também conhecida como as olimpíadas dos esports, Quake III apareceu na primeira edição, em 2000, e fez parte da line up principal até 2002. A ESWC já foi mais além e contou com Quake em sua line up do ano de 2003 até 2010, incluindo os outros games da franquia lançados nesse período, Quake 4 e o Quake Live.

Quake esteve na WCG até a edição de 2002 — Foto: Divulgação/World Cyber Games

Torneio com maior premiação

Até 2017, o Quake III: Arena, além de ser a versão favorita de muitos fãs da franquia, era o game com a maior premiação total dentre todas as versões do FPS. No entanto, ele foi ultrapassado por Quake Champions, a versão mais atual da franquia. Dentre todas as competições do jogo, se destaca a Quake World Championship 2017: Sacrifice Tournament, um campeonato entre equipes compostas por quatro jogadores que distribuiu US$ 660 mil (cerca de R$ 2,4 milhões).

Quake World Championship 2017 aconteceu durante a Quakecon do mesmo ano — Foto: Reprodução/PCGamer

Jogadores que mais lucraram em cada jogo da franquia

Veja, abaixo, os jogadores que mais se destacaram em cada edição da franquia. Os valores consideração o somatório das premiações recebidas na versão do game e a conversão aproximada em reais.

Jogadores que mais lucraram na franquia Quake

Jogo Jogador País Lucro em premiações
Quake (1996) Dennis "Thresh" Fong Estados Unidos US$ 12,5 mil (R$ 50 mil)
Quake II (1997) Kurt "Immortal" Shimada Estados Unidos US$ 15 mil (R$ 60 mil)
Quake III: Arena (1999) John "ZeRo4" Hill Estados Unidos US$ 149 mil (R$ 596 mil)
Quake 4 (2005) Johan "Toxjq" Quick Suécia US$ 144 mil (R$ 576 mil)
Quake Live (2010) Shane "rapha" Hendrixson Estados Unidos US$ 125 mil (R$ 500 mil)
Quake Champions (2017) Nikita "Clawz" Marchinsky Bielorrússia US$ 245 mil (R$ 980 mil)

Quer comprar jogos, consoles e PCs com desconto? Conheça o Compare TechTudo

Cenário competitivo atual de Quake

Como mencionado, o principal game da franquia atualmente é o Quake Champions. Lançado em 2017, o jogo conta com a participação de jogadores veteranos e novatos no cenário, mas ainda busca encontrar seu espaço nos esportes eletrônicos. Entre as principais competições, estão os Worlds Championships, geralmente realizados na QuakeCon, e eventos da DreamHack. Até agosto de 2019 o game distribuiu mais de US$ 2,1 milhões (cerca de R$ 8,4 milhões) em premiações.

O jovem Clawz é o grande destaque no cenário competitivo de Quake Champions — Foto: Divulgação/ESL

Recentemente, foi anunciada a criação da Quake Pro League. A primeira temporada do circuito começou em agosto de 2019 e vai durar um ano. Ela conta com a participação de jogadores da América do Norte, América do Sul e Europa. Por sinal, o único representante sul-americano é brasileiro. Filipe "nosfa" Barbosa está presente na primeira temporada da liga profissional de Quake e também é patrocinado pela Black Dragons e-Sports.

Mais do TechTudo