Produtividade

Por Paulo Alves, para o TechTudo


O Airbnb é atualmente a principal plataforma de aluguel de estadias por temporada do mundo, mas não está livre de armadilhas. A empresa anuncia cerca de sete milhões de acomodações em 191 países, superando a oferta das cinco principais redes de hotéis do planeta juntas. Por noite, são duas milhões de pessoas que se hospedam em quartos e locais inteiros com intermediação do serviço.

Os números podem gerar sensação de confiança, mas é preciso manter o alerta ligado não cair ciladas. Veja, a seguir, quais são os golpes mais comuns no Airbnb e como se proteger para não se tornar uma vítima.

Veja dicas para se proteger de fraudes no Airbnb — Foto: Karen Malek/TechTudo

Quer comprar celular, TV e outros produtos com desconto? Conheça o Compare TechTudo

Golpes mais comuns

Golpes mais recorrentes no Airbnb costumam envolver a solicitação de um pagamento por fora. Ao pagar pela hospedagem por transferência bancária, por exemplo, o golpista pode ter acesso ao valor imediatamente sem precisar de fato alugar nada. Além disso, alguém mal-intencionado não precisa nem mesmo finalizar o processo de aluguel da propriedade no site, o que impede que a vítima possa ao menos fazer uma avaliação ruim.

Em outros casos, golpes mais sofisticados podem ter a transação efetuada pelo Airbnb e envolver algum tipo de esquema para enrolar o hóspede a tempo de receber a transferência vinda da plataforma. Uma situação relatada no The New York Times em outubro parece ter sido nesses moldes: o hóspede é informado momentos antes do check-in que há algo de errado com a acomodação e lhe é oferecido um local provisório. Tudo para evitar que o Airbnb bloqueie o pagamento para o anfitrião.

Às vezes, o anfitrião pode nem existir. O caso reportado pelo jornal americano acabou revelando uma rede de golpistas com vários anúncios falsos usando números de telefone descartáveis, fotos roubadas da Internet e até avaliações falsificadas — com vários anúncios ativos, a rede gerava bons reviews para suas próprias acomodações para parecer real.

Como se proteger

1. Verifique avaliações da propriedade

As avaliações da propriedade devem ser sempre o ponto de partida para analisar uma acomodação no Airbnb. Leia com atenção as avaliações de hóspedes anteriores para checar não só a veracidade das fotos do anúncio, como também descobrir eventual comportamento inapropriado do anfitrião.

Para evitar falsas avaliações, verifique o perfil dos usuários que deram cinco estrelas e tente descobrir se eles também anunciam acomodações. Desconfie se uma pessoa diz que se hospedou na mesma cidade onde tem um local para alugar.

Explore as avaliações feitas por outros hóspedes — Foto: Reprodução/Paulo Alves

2. Busque outras avaliações do anfitrião

Não se atenha às avaliações do anúncio. Clique na foto do anfitrião para acessar seu perfil e confira se há reviews feitos por pessoas que se hospedaram em outras propriedades anunciadas por ele. A medida ajuda a saber se a pessoa teve problemas no passado e decidiu anunciar o mesmo lugar de novo para evitar mostrar avaliações ruins.

Do mesmo modo, ao buscar mais reviews do anfitrião é possível saber se ele é confiável mesmo que a acomodação tenha sido anunciada recentemente — uma só pessoa pode ter vários locais para alugar na plataforma. Em geral, anfitriões com o selo “Super Host” são mais confiáveis.

3. Desconfie de preços baixos demais

Casas novas, com decoração requintada e localização imperdível em cidades muito turísticas costumam ter preço alto. Por isso, desconfie se um local com essas características estiver barato demais. Golpistas se aproveitam da alta demanda em cidades muito movimentadas para atrair quem procura custo-benefício, por isso é importante pesquisar bastante para saber qual é a média de preços do local para a data escolhida: se o valor estiver muito mais baixo que o normal, é importante redobrar a análise do anfitrião para se certificar de que o anúncio é de um local legítimo.

Veja se anfitrião tem comentários de outras propriedades — Foto: Reprodução/Paulo Alves

4. Em caso de dúvida, pesquise a propriedade no Google

Uma maneira de se certificar de que um anúncio do Airbnb é real é pesquisando a autenticidade das fotos. Baixe as imagens do anúncio e faça uma busca reversa no Google para saber se elas aparecem em outros sites. Se o mesmo quarto, casa ou apartamento aparece anunciado em outro lugar, é possível se tratar de fraude.

5. Comunique-se sempre por meio do Airbnb

É importante manter todas as comunicações com o anfitrião sempre na ferramenta de chat do próprio Airbnb. Com o histórico de conversa disponível no serviço, a empresa pode intermediar mais facilmente um eventual conflito com um anfitrião e proceder mais rapidamente com um reembolso, se for o caso. Por isso, é importante evitar falar por telefone, WhatsApp ou e-mail.

Use o chat para conversar com o anfitrião antes da reserva e tire dúvidas sobre a acomodação. Pergunte sobre a localização do apartamento e as comodidades oferecidas para reduzir as chances de decepção na chegada. Na data de entrada, combine o horário do check-in e saiba se haverá alguém lhe esperando — às vezes, a entrada é liberada por um funcionário ou um código de acesso. Ao sair, certifique-se de que tudo ficou em ordem e informe sobre a entrega das chaves.

Use o chat do Airbnb para se comunicar com o anfitrião — Foto: Reprodução/Paulo Alves

6. Documente e informe eventuais problemas rapidamente

Caso haja algum problema na acomodação, registre o problema no chat da empresa e fotografe o local se for necessário. Se algo não está em ordem, comunique o proprietário imediatamente para se certificar de que nada lhe será cobrado na saída. Problemas com a limpeza, por exemplo, podem ser comprovados mediante fotos capturadas logo no primeiro dia e informadas por meio do comunicador do Airbnb.

Mas, se houve conversas pelo WhatsApp, não as dispense: faça prints e envie no chat do Airbnb se for necessário comprovar algo. Vídeos e documentos em papel, como recibos e contas cobradas à parte, também ajudam a robustecer uma reclamação. Mesmo que tudo pareça correr bem, mantenha-se devidamente respaldado para o caso de ser necessário ingressar com uma queixa quanto a estadia terminar.

7. Nunca faça pagamentos fora do site

Nunca faça pagamentos por transferência e outros métodos não intermediados pelo Airbnb. Isso vale principalmente na hora da reserva, mas também é possível haver cobranças enquanto uma estadia está em curso, seja para prolongar uma reserva ou pagar impostos e cauções exigidos pelo anfitrião — cobranças adicionais, vale lembrar, devem sempre estar descritas no anúncio para que o hóspede saiba de antemão. Independentemente do motivo, sempre pague usando o Airbnb.

No meio de uma reserva, abra o menu “Viagens” do app ou do site e selecione a opção “Enviar dinheiro” na tela da acomodação. O anfitrião receberá o valor normalmente e o cliente estará seguro de que o Airbnb terá conhecimento da transação e poderá se envolver para intermediar uma eventual disputa entre as partes.

Como rescindir um contrato de compra de imóvel? Tire dúvidas no Fórum do TechTudo.

99POP: como pagar uma corrida em dinheiro

99POP: como pagar uma corrida em dinheiro

Mais do TechTudo