Redes sociais

Por Daniel Dutra, para TechTudo


O WhatsApp foi assunto de várias polêmicas ao longo do ano de 2019. Mudanças nas versões para Android e iPhone (iOS), integração com outros aplicativos do Facebook e brechas de segurança mobilizaram usuários nas redes sociais e geraram discussões sobre o mensageiro.

O anúncio do banimento de usuários sem a idade mínima de 13 anos, o fim do suporte a celulares com sistemas operacionais muito antigos e referências ao grupo de Mark Zuckerberg estão entre os principais assuntos polêmicos. Confira, a seguir, a lista que o TechTudo preparou com dez polêmicas do WhatsApp em 2019.

WhatsApp foi assunto de polêmicas em 2019; veja lista — Foto: Rodrigo Fernandes/TechTudo

Quer comprar celular, TV e outros produtos com desconto? Conheça o Compare TechTudo

1. Grafia da palavra 'online'

Grafia da palavra 'on-line' no WhatsApp foi motivo de polêmica — Foto: Anna Kellen Bull/TechTudo

Muitos usuários reagiram à mudança realizada pelo WhatsApp na grafia da palavra "online", principalmente na versão para dispositivos Android. O app passou a mostrar "on-line", com hífen. Segundo o Vocabulário Ortográfico da Lingua Portuguesa (VOLP), da Academia Brasileira de Letras (ABL), a forma padrão da palavra é, de fato, separada. No entanto, a grafia original, sem hífen, é amplamente aceita e considerada correta na língua inglesa.

2. 'Mudança' de nome para "WhatsApp from Facebook"

Sinal explícito de pertencimento ao Facebook confundiu usuários do WhatsApp — Foto: Rubens Achilles/TechTudo

O WhatsApp passou a reforçar seu pertencimento à marca Facebook em 2019. Muitos usuários ficaram confusos com a "mudança" no nome do aplicativo, que passou a mostrar a mensagem "from Facebook" na tela inicial, em sua tela de configurações e nas lojas virtuais Google Play Store e App Store.

Embora o aplicativo tenha sido comprado pelo Facebook já em 2014, apenas neste ano a empresa decidiu deixar esse pertencimento mais claro. Usuários que ainda não haviam se atentado à compra ficaram surpresos e registraram suas reações de diversas formas, como por comentários no Twitter.

3. Banimento de usuários sem idade mínima

Desde abril de 2018, os termos de uso do WhatsApp foram alterados, passando a mencionar a possibilidade de banir usuários que não tivessem a idade mínima recomendada para o uso do aplicativo. O site especializado WABetaInfo notou recentemente que uma versão beta do app poderia começar a efetivamente expulsar contas de pessoas com menos de 13 anos, embora não tenha sido explicitado como a empresa faria essa identificação.

4. Falha de segurança com spyware

Em 2019, câmeras de dispositivos estiveram vulneráveis por meio do WhatsApp em função de spyware — Foto: Filipe Garrett/TechTudo

Uma grave falha de segurança atingiu o WhatsApp em maio, permitindo que um spyware acessasse câmera, microfone e arquivos dos dispositivos de usuários do app. A ameaça se chamava Pegasus e foi desenvolvida pela NSO, empresa israelense dedicada à tecnologia de espionagem. Para que o ataque fosse efetivado, bastava receber uma chamada de voz. O número exato de pessoas afetadas por esse spyware não foi divulgado, e a brecha foi corrigida com atualização.

5. Integração entre WhatsApp, Facebook e Instagram

Maior integração entre apps da marca Facebook foi um destaque em 2019 — Foto: Tainah Tavares/TechTudo

A integração entre WhatsApp, Facebook e Instagram foi divulgada por Mark Zuckerberg em março de 2019, tendo como foco a privacidade dos usuários. Novos mecanismos de comunicação entre os aplicativos foram anunciados, como a possibilidade de conversar em qualquer uma das plataformas sem a necessidade de ter cadastro ativo em todas as redes sociais, por exemplo. A criptografia de ponta-a-ponta, iniciada no WhatsApp, também foi anunciada para os chats dos outros apps.

6. WhatsApp vai parar de funcionar em celulares antigos

Em setembro, foi anunciado o fim do funcionamento do WhatsApp em uma série de dispositivos antigos. Uma lista com versões que deixam de ser compatíveis a partir de fevereiro de 2020 foi anunciada na página de suporte do aplicativo. No comunicado, a empresa revelou que dispositivos com Android 2.3.7 ou mais antigo e iOS 8 ou anterior não vão mais funcionar com o app após o prazo divulgado. Vale lembrar que as versões já não permitem criar novas contas e verificar números cadastrados.

7. Boato sobre retorno do 'WhatsApp Gold'

Boato do vídeo "Martinelli" no WhatsApp começou na Espanha — Foto: Reprodução/Policia Nacional Espanhola

Uma nova tentativa de aplicar golpes por meio de uma suposta versão do aplicativo chamada WhatsApp Gold também foi um destaque em 2019. O golpe já havia aparecido em 2016, mas voltou a ser debatido em 2019 em função de um suposto vídeo chamado "Martinelli", cuja circulação foi noticiada pelo jornal britânico The Sun em janeiro de 2019.

Diferentemente do ocorrido anos atrás, quando o usuário era estimulado a clicar em um link para fazer o upgrade do WhatsApp e repassar a mensagem com contatos ou grupos, a nova versão exigiria apenas a reprodução do vídeo e, assim, o dispositivo já seria infectado. No entanto, a suposta ameaça foi apenas um boato, pois não houve evidências de que o vídeo em questão de fato existia. A suposta circulação do vídeo "Martinelli", por sua vez, já havia iniciado em 2017, na Espanha.

8. Aviso de mensagem encaminhada muitas vezes

WhatsApp começou a avisar sobre mensagens encaminhadas muitas vezes — Foto: Reprodução/TechTudo

Outra novidade importante do mensageiro em 2019 foi o fato de o WhatsApp passar a informar quando uma mensagem foi encaminhada muitas vezes. Um ícone de seta dupla fica visível, tanto para destinatários quanto para remetentes, quando um texto, vídeo, foto ou áudio é reencaminhado.

A novidade começou a ser testada em março de 2019 e foi liberada gradualmente a partir de agosto. O novo mecanismo foi uma reação do WhatsApp às polêmicas envolvendo o compartilhamento de spam e fake news, e faz parte de uma série de esforços da marca no sentido de combater compartilhamentos incômodos e a desinformação.

9. Banimento por GB WhatsApp e outros APKs não-oficiais

O GB WhatsApp é uma versão não oficial do aplicativo original — Foto: Anna Kellen Bull/TechTudo

O uso de APKs não-oficiais, como o GB WhatsApp e o WhatsApp Plus, gerou polêmica em 2019, já que o WhatsApp passou a promover o bloqueio de contas vinculadas a aplicativos desse tipo em março de 2019. A estratégia do mensageiro foi propor uma punição temporária, em que usuários perderiam o acesso por 72 horas. Em seguida, esses usuários teriam a oportunidade de migrar para o aplicativo oficial, podendo preservar suas contas. Caso não o fizessem, sofreriam com uma expulsão permanente.

Além disso, os usuários correm o risco de ter as mensagens trocadas em aplicativos alternativos expostas, em função da ausência de garantias de segurança. A migração para a plataforma oficial, por sua vez, também não garantia a preservação do conteúdo enviado e recebido anteriormente.

10. Falha com GIF malicioso

O compartilhamento de GIFs se tornou tema de uma polêmica envolvendo riscos — Foto: Marvin Costa/TechTudo

Outra brecha de segurança no mensageiro que ganhou destaque no ano foi o risco de invasão por meio do compartilhamento de um GIF malicioso. Uma vulnerabilidade no app, que já era de conhecimento de seus engenheiros, foi divulgada por um pesquisador em outubro de 2019. Segundo ele, por meio dessa falha, um invasor poderia ter acesso ao conteúdo dos chats no mensageiro caso convencesse seu interlocutor a compartilhar um GIF infectado.

Embora o número de pessoas infectadas não tenha sido registrado, a ameaça teve potencial para atingir 38,7% dos usuários do sistema na plataforma Android, especificamente em dispositivos que rodassem Android 8 (O) ou 9 (P). O bug, no entanto, foi corrigido a partir da versão 2.19.244, o que exigiu apenas a atualização do aplicativo por parte dos usuários.

Como usar Memojis no WhatsApp

Como usar Memojis no WhatsApp

WhatsApp: qual função ainda falta no app? Comente no Fórum do TechTudo.

Mais do TechTudo