Battle Royale

Por Matheus Fiuza, para o TechTudo


PlayerUnknown's Battlegrounds (PUBG) é um dos jogos mais populares do mundo. O Battle Royale está disponível para download tanto no PC, Xbox One e PS4 quanto em celulares com o PUGB Mobile, para baixar no Android e iPhone (iOS). Apesar do sucesso, o jogo já foi banido em alguns países do mundo, que alegaram que o título é viciante e violento. Em uma das nações, o jogo precisou mudar de nome e adaptar sua jogabilidade para ser liberado novamente. Veja, na lista a seguir, cinco países onde o PUBG já foi banido.

Por conta do game, jovens já foram presos por jogarem mesmo com o banimento em vigor — Foto: Divulgação/PUBG Corp

Quer comprar jogos, consoles e PCs com desconto? Conheça o Compare TechTudo

Índia

No segundo país mais populoso do mundo, o game não tem uma restrição nacional, apenas em alguns estados. Tudo começou em março de 2019, no Vellore Institute of Technology, na região de Tamil Nadu, sul da Índia. As autoridades do país alegaram que a versão mobile do game atrapalhava as atividades dos alunos e proibiu a sua reprodução dentro do campus, decisão que foi criticada pelos estudantes.

Na região de Ahmedabad, em Gujarat, extremo oeste da Índia, a versão para celulares também está restrita. Lá, o game virou até motivo de prisão. No mesmo mês, quatro garotos jogavam o game, já com a proibição em vigor, mas não pensavam que seriam detidos por policiais. Os jovens foram soltos após pagamento de fiança. As autoridades disseram que, após jogarem, traços violentos aumentam em jovens e crianças e a educação deles é afetada.

Nepal

O vizinho da Índia também decidiu banir o game. Em abril de 2019, após ordens do governo nepalês, a Autoridade de Telecomunicações do Nepal, agência reguladora do setor de telecomunicações do país, ordenou que todos os provedores de Internet e operadoras de telefones móveis bloqueassem a reprodução do jogo. As autoridades da nação do Himalaia alegaram que o game atrapalhava os estudantes e a violência causava um impacto negativo nas crianças e adolescentes.

Uma semana depois ao bloqueio, a Suprema Corte do Nepal decidiu suspender a proibição. O argumento foi que o jogo servia como um entretenimento para o público e o ato de jogar pela Internet estava relacionados à liberdade de expressão.

China

Game for Peace é a versão chinesa de PUBG — Foto: Divulgação/Tencent

O governo chinês considerava o PUBG Mobile um jogo excessivamente violento, que poderia influenciar a parte emocional dos jogadores. Por isso, o game foi desligado no país. O mercado chinês, no entanto, é enorme, e o banimento no país gerou um grande prejuízo para desenvolvedora. Para conseguir entrar no mercado, a Tencent lançou Game of Peace na China. O game é uma versão adaptada de PUBG com uma temática patriótica e que não "fere" as regras estabelecidas pelo país. A animação de morte dos personagens, por exemplo, mostra o oponente acenando ao cair no chão.

Vale lembrar que outros jogos já passaram por esse mesmo problema na China. Counter-Strike: Global Offensive (CS:GO) e DotA 2, desenvolvidos pela Valve, sofreram adaptações visuais para serem reproduzidos no país.

Iraque

Em abril, o Parlamento Iraquiano votou pela proibição e banimento do PUBG no país. O governo do Iraque defendeu efeitos negativos na saúde, segurança e cultura dos jovens iraquianos que jogavam o game. Os parlamentares barraram o acesso online e as transações financeiras relacionadas ao jogo. Segundo o clérigo e líder xiita, Moqtada al-Sadr, PUBG "não é um jogo de inteligência ou militar que fornece a maneira correta de lutar". Além dele, Fortnite, Battle Royale da Epic Games, também foi proibido na nação do Oriente Médio.

Jordânia

PUBG é banido por prejuízos à saúde dos jordanianos — Foto: Divulgação/PUBG Mobile

Em julho de 2019, a Comissão Reguladora de Telecomunicações da Jordânia alegou que o game causa "impactos negativos" nos jogadores. Segundo a comissão, um estudo determinou que PUBG trazia prejuízos à saúde dos players de todas as idades. Outros seis jogos, incluindo o Fortnite, entraram na lista de banimento.

Mais do TechTudo