Redes sociais

Por Rodrigo Fernandes, para o TechTudo


O LinkedIn é uma rede social voltada para criar conexões profissionais e compartilhar assuntos relacionados a negócios e ao mercado de trabalho. A plataforma pode ser utilizada por trabalhadores de qualquer profissão e permite, entre outras coisas, publicar e visualizar currículos, encontrar vagas de trabalho em grandes ou pequenas empresas e acessar conteúdos voltados para a sua área de atuação. Assim como outras redes sociais, o LinkedIn permite publicar textos, artigos, fotos e vídeos, além de proporcionar a interação entre os contatos, que podem curtir e comentar os posts e conversar por meio de um chat privado.

Atualmente, o LinkedIn possui quase 675 milhões de usuários em todo o mundo, sendo 41 milhões de brasileiros. O serviço pode ser aproveitado de diferentes formas para se destacar no mercado de trabalho, como apresentar um portfólio, assistir a cursos profissionalizantes e pedir recomendações de suas competências e experiências para dar força ao perfil. Confira, a seguir, com funciona o LinkedIn e veja dicas para extrair as melhores possibilidades da ferramenta.

LinkedIn possui recursos que podem ajudar o usuário a criar uma boa reputação profissional online — Foto: Divulgação/LinkedIn

Quer comprar celular, TV e outros produtos com desconto? Conheça o Compare TechTudo

Veja também: como encontrar grupos de emprego pelo WhatsApp

Como achar grupos de emprego no WhatsApp com plugin para Chrome

Como achar grupos de emprego no WhatsApp com plugin para Chrome

1. Criar networking

O LinkedIn é uma excelente ferramenta para criar networking e explorar relações com outros profissionais do seu segmento. A plataforma permite se conectar com essas pessoas e compartilhar seus conteúdos, seja com colegas de trabalho, potenciais empregadores, funcionários, clientes e até concorrentes. Desta forma, você reforça o vínculo com pessoas próximas, aumenta seu círculo de contatos, conhece novos profissionais e se posiciona entre as pessoas de destaque na sua área.

A plataforma utiliza uma rede de conexões em que é possível descobrir se a pessoa possui contatos em comum com o seu perfil, apresentando cada perfil como uma conexão de 1º, 2º ou 3º grau, o que facilita na hora de se apresentar ou pedir indicações para algum conhecido. Uma ferramenta de busca permite pesquisar por perfis pelo nome, mas é possível usar filtros que facilitam a pesquisa, exibindo amigos em comum, a localização ou a empresa em que trabalha.

Criar conexões é fundamental para ter boa reputação no LInkedIn — Foto: Paulo Alves/TechTudo

Outro recurso que facilita a busca por novas conexões é a exibição da lista de pessoas que visualizaram o seu perfil recentemente. Sempre que alguém abrir sua página, você será notificado, e poderá acessar o perfil de volta. Caso haja interesse na conexão, essa é uma boa forma de iniciar uma conversa. Curtir e compartilhar conteúdos interessantes publicados por influenciadores do LinkedIn também pode fazer com que seu perfil seja percebido por outras pessoas.

2. Apresentar portfólio

O LinkedIn permite que você cadastre todas as suas informações profissionais no seu perfil para criar um currículo, exibindo a sua formação completa, todas as empresas pelas quais já passou e os cargos que ocupou, além das atribuições de cada função. Cada experiência também pode ser incrementada com mídias de trabalhos que você já realizou, como textos, imagens e links, criando um portfólio completo no seu perfil. Desta forma, recrutadores e outros profissionais poderão visualizar seus trabalhos sem precisar sair da rede social.

Edite suas experiências de trabalho em cada cargo no perfil do LInkedIn — Foto: Reprodução/Ana Letícia Loubak

Além das peças de portfólio, o perfil deve ser preenchido com uma boa foto, uma imagem de fundo personalizada, um título e um resumo objetivo, que chamem a atenção. A ferramenta também permite personalizar a URL direta para o seu perfil, fazendo com que outras pessoas encontrem suas informações de forma fácil. Publicar artigos no feed também vai mostrar para suas conexões que você entende do assunto, e poderá garantir uma boa reputação no ambiente.

Adicionar cursos e atividades extras, como idiomas que domina e ações de voluntariado, pode ser uma ótima maneira de mostrar outras habilidades e experiências que fazem o seu perfil se destacar entre outros profissionais.

3. Pedir recomendações

Usuários do LinkedIn podem escrever recomendações sobre outras pessoas, atestando que aquele profissional é gabaritado em determinada função ou atividade. Esses elogios são exibidos no perfil, para demonstrar que outras pessoas confiam no seu trabalho. Caso você ainda não tenha muitas recomendações, é possível pedir que amigos escrevam referências sobre você. Para isso, basta abrir o perfil da pessoa desejada e clicar em “Solicite uma recomendação”, podendo especificar para o que quer ser recomendado.

Solicite uma recomendação no LinkedIn — Foto: Reprodução/Ana Letícia Loubak

Uma dica importante é selecionar delicadamente as pessoas para as quais vai pedir recomendações, escolhendo profissionais que realmente conhecem e atestam a qualidade do seu trabalho. Enviar recomendações sobre outras pessoas também aumenta as chances de que elas retribuam os elogios às suas competências.

4. Aproveitar o mercado freelancer

Atualmente, mais de 20 milhões de vagas estão abertas no LinkedIn em todo o mundo. A seção LinkedIn Jobs permite filtrar as oportunidades de acordo com sua área de trabalho, localização e cargo que almeja. Entre as vagas disponíveis, estão trabalhos freelancer, que são oferecidos de forma temporária ou sem contratos formais. A ferramenta de busca de vagas permite especificar o tipo de regime de trabalho que você deseja. Algumas vagas também desse formato de trabalho não são adicionadas ao LinkedIn Jobs, sendo divulgadas em perfis de pessoas comuns, portanto, manter boas relações com contatos influentes pode garantir um job extra entre uma conversa e outra.

5. Acessar grupos com assuntos do seu interesse

Torne-se ativo em grupos do LinkedIn — Foto: Reprodução/ Taysa Coelho

O LinkedIn também possui grupos que reúnem profissionais com interesses em um mesmo tema. Essas páginas funcionam no mesmo formato dos grupos do Facebook, que permitem criar publicações para levantar discussões sobre assuntos relevantes, tirar dúvidas, divulgar trabalhos e também para fazer networking, reunindo, geralmente, profissionais de um mesmo segmento de mercado. Existem milhares de grupos disponíveis no LinkedIn, sobre diferentes temáticas, e qualquer membro pode criar um novo grupo quando quiser.

Para encontrar comunidades com temas interessantes, basta usar a ferramenta de busca da página inicial. Para visualizar os grupos que participa, acesse a aba de "Soluções", no menu superior. O próprio LinkedIn recomenda alguns grupos que podem ser compatíveis com os seus interesses, de acordo com o seu perfil profissional.

6. Seguir empresas

Empresas também podem criar perfil no LinkedIn — Foto: Reprodução/Rodrigo Fernandes

As empresas também podem criar perfis no LinkedIn, desenvolvendo uma página institucional que exibe a história do empreendimento e novidades sobre o negócio. Para o usuário comum, seguir empresas é uma boa maneira de encontrar mais informações sobre essas corporações, para entender o perfil corporativo adotado por elas, por exemplo. Por meio das páginas é possível descobrir se você tem alguma conexão que trabalha na companhia, acessar vagas disponíveis, além de conhecer empresas do mesmo segmento relacionadas a ela.

7. Acessar cursos profissionalizantes no plano pago

LinkedIn Premium dá acesso a cursos profissionalizantes online através da ferramenta LinkedIn Learning — Foto: Reprodução/Rodrigo Fernandes

O LinkedIn possui um plano pago, chamado LinkedIn Premium, que oferece alguns benefícios, como destaque em candidaturas e envio de mensagens inbox para pessoas que não são conexões. Além disso, a assinatura libera cursos profissionalizantes para o usuário assistir online, apostando na profissionalização dos candidatos para facilitar a conquista de uma vaga de emprego.

As temáticas dos cursos variam, abordando assuntos como “Como vencer a procrastinação” ou programas específicos, como técnicas sobre apresentações ou Excel, por exemplo. As aulas são ministradas por profissionais de todo o mundo, e estão disponíveis em português. O plano Premium do LinkedIn custa a partir de R$ 49,90 por mês.

Mais do TechTudo