Atletas

Por Leandro Eduardo, para o TechTudo


Free Fire é um Battle Royale desenvolvido pela Garena disponível para download em dispositivos Android e iPhone (iOS). Embora novo no cenário competitivo dos esports, o jogo já tem episódios de jogadores e times banidos da Liga Brasileira de Free Fire (LBFF). O torneio é a principal competição de Free Fire no Brasil, e é dividido em Séries A, B e C. Entre os motivos para suspensão estão fraudes, ameaças a terceiros em lives e publicação de informações caluniosas e desonrosas. Veja, a seguir, times e pro players do Brasil que foram banidos pela Garena.

Embora recente, o cenário competitivo de Free Fire no Brasil já coleciona diversos casos de suspensões — Foto: Divulgação/Free Fire Esports BR

Quer comprar jogos, consoles e PC's com desconto? Conheça o Compare TechTudo

UBiTa

Everton “UBiTa” Lima foi vencedor da Free Fire Pro League Season 2 pela New X e campeão mundial do Streamers Showdown 2019. A carreira de sucesso, no entanto, foi interrompida em março de 2020 depois que ele foi suspenso por tempo indeterminado de toda as competições e atividades organizadas pela Garena. O jogador, que até então representava a paiN Gaming, foi punido pois proferiu ofensas e ameaças a terceiros enquanto participava de uma transmissão ao vivo.

O ex-jogador da paiN Gaming, UBiTa, foi suspenso por tempo indeterminado após proferir ofensas e ameaças a terceiro em live — Foto: Divulgação/paiN Gaming

A Garena alegou que UBiTa é reincidente em penalidades relacionadas ao comportamento, o que provocou o agravamento da situação e penalidade. Em comunicado divulgado na época, a paiN Gaming afirmou que “sempre moveu esforços para construção de um cenário cada vez mais respeitoso e ético”.

VgzinnN

O jogador Vagner “VgzinnN” Alexandre também foi banido em 19 de março de 2020 por comportamento e atitudes inadequadas. Segundo a Garena, o jogador da paiN Gaming publicou em suas redes sociais informações inverídicas e que desvalorizava a Liga Brasileira de Free Fire e a própria desenvolvedora. VgzinnN foi suspenso até o final da segundo split da LBFF, que veio a ser cancelado posteriormente.

Jogador da paiN Gaming é banido após comentários depreciativos sobre a LBFF — Foto: Reprodução/Leandro Eduardo

Na ocasião, a Garena salientou que os jogadores são representantes indiretos do torneio, e que são modelos de comportamento para toda comunidade. Por isso, a conduta de Vagner foi inaceitável. Além disso, a desenvolvedora ressaltou que o jogador “teve várias oportunidades de retornar ao torneio e demonstrar que estava disposto a seguir o regimento, mas seguiu cometendo infrações”. No dia 13 de março, VgzinnN já havia sido suspenso do torneio após exibir a camisa do companheiro de equipe UBiTa enquanto comemorava um Booyah!.

Peaky e SKS

A equipe Peaky Esport, que havia conquistado vaga para a Série A da Liga Brasileira de Free Fire após finalizar a Série C entre as oito melhores, foi desclassificada da competição após compartilhamento de conta. Durante a final da Série C, que aconteceu no dia 22 de março de 2020, determinados jogadores e o técnico da equipe SKS teriam participado do torneio jogando nas contas dos atletas da Peaky. A prática é proibida pelo regimento da Série C e também infringe os termos de uso do Free Fire.

Jogadores e o técnico da SKS foram banidos após jogar partidas da Série C da LBFF com conta dos players da Peaky — Foto: Reprodução/Garena

Além da desclassificação da Peaky, os jogadores da SKS e Peaky foram suspensos até o final da temporada e de todas atividades relacionadas à LBFF. A vaga da Peaky na Série A foi transferida para a ONE SHOT, nona colocada na classificação da Série C.

De acordo com a Garena, a Peaky pode participar da próxima etapa da série C com novos jogadores. A equipe da SKS não foi desclassificada, pois não identificaram o envolvimento ou omissão dos proprietários da organização no caso. A SKS tinha participado da Série A da LBFF, no entanto, não conseguiu um bom desempenho e terminou a competição em último lugar na tabela, sendo rebaixada junto com a PRG.

Bounce

A Bounce foi desclassificada da Série A da Liga Brasileira de Free Fire após jogadores praticarem fraude — Foto: Divulgação/Free Fire Esports BR

O time da Bounce, que também garantiu vaga para Série A pela campanha efetuada na Série C, foi desclassificado em março de 2020 da Liga Brasileira de Free Fire por fraude. Um jogador da equipe também foi suspenso até o término da temporada. A suspensão aconteceu após os oficiais da LBFF descobrirem que durante a final da Série C, em 22 de março, o jogador da Bounce Kadu teria permitido que o atleta Lovexl jogasse em sua conta.

O jogador não pode ser inscrito por nenhuma organização até o final da temporada 2020 e, futuramente, os oficiais da LBFF avaliarão se estará capacitado para retornar à Liga. A Bounce foi desclassificada e a vaga foi transferida para próxima equipe da lista de classificação da Série C. De acordo com a Garena, a Bounce poderá se inscrever na próxima etapa da Série C novamente. A Bounce havia finalizado a terceira divisão da LBFF em quarto lugar, atrás apenas do Santos, Peaky e SS Esports.

Via Liga Brasileira de Free Fire (1, 2, 3)

Qual é o melhor jogo de tiro na sua opinião? Comente no Fórum TechTudo

Mais do TechTudo