Por Bruna Telles, para o TechTudo


Nos jogos competitivos, como League of Legends (LoL), Rainbow Six: Siege (R6), Street Fighter 5, Mortal Kombat 11 e Arena of Valor, é comum existir personagens odiados pela comunidade. Os motivos variam: eles podem causar grande dano aos adversários e serem difíceis de enfrentar, por exemplo. Em outros casos eles são até bons campeões, mas por serem escolhidos por players inexperientes, ganham má fama por "feedar. Relembre, a seguir, cinco personagens odiados em jogos competitivos por diferentes motivos.

Karin

Retornante da série SF Alpha, a milionária Karin é sinônimo de poder e graciosidade em suas lutas — Foto: Reprodução/Capcom

Karin Kanzuki é uma das forças de Street Fighter 5. Não é difícil achar tópicos em fóruns reclamando sobre como a personagem é forte. Karin consegue se mover pela tela com liberdade, é ágil, causa grande dano e tem um dos melhores neutrais (fase do jogo livre para andar, atacar e defender). Ela é ainda mestre dos footsies - o controle do espaço em médio alcance. Odiada por ser forte e difícil de enfrentar, Kanzuki virou escolha frequente de players como Victor "Punk" Woodley, Justin "JWong" Wong e Masato "Bonchan" Takahashi em torneios.

Jacqui Briggs

Jacqui Briggs é filha de Jax, personagem icônico da franquia Mortal Kombat — Foto: Divulgação/NetherRealm Studios

Mortal Kombat 11, a exemplo de Mortal Kombat X, traz variantes para cada lutador que proporcionam habilidades diferentes, combos específicos e criam estilos de jogo variados. Já odiada por ser poderosa na forma normal, Jacqui Briggs tornou-se mais polêmica na variante "Upgraded". Nela, a luradora consegue executar combos que causam dano massivo ao adversário. O ódio dos players foi tão longe, que muitos pediram sua remoção de MK11. Não à toa Jacqui recebeu um grande nerf em março 2020, mudando a forma dos players usarem a variante e repensando as estratégias.

Quer comprar jogos, consoles e PC''s com desconto? Conheça o Compare TechTudo

Lion

Depois de ser banido do competitivo de Rainbow Six: Siege, o operador Lion recebeu um aguardado rework para ficar menos apelão — Foto: Divulgação/Ubisoft

Lion é conhecido pela comunidade do R6 por ser um operador "apelão". A fama se deu em grande parte ao seu gadget: com o EE-One-D, Lion pode escanear o mapa e detectar as posições dos inimigos, informando ao seu time. Considerada uma habilidade "quebrada", o operador chegou a ser chamado de "problemático" e "o maior erro do jogo" pelo time de desenvolvimento. Como resultado, Lion foi banido na primeira fase da ESL Pro League Season 9. Em abril de 2019, finalmente veio o rework: agora, o operador é considerado viável, menos injusto, e não mais uma escolha que pode funcionar em quase todo tipo de situação.

Valhein

O atirador Valhein é popularmente associado com a falta de habilidade dos jogadores de Arena of Valor — Foto: Divulgação/Tencent

O atirador de Arena of Valor tem alta mobilidade, velocidade de ataque, capacidade moderada de controle de grupo, e é um ótimo duelista. Em condições normais, Valhein é um bom campeão. Entretanto, por ser o primeiro personagem dado aos players que iniciam no jogo, o Caçador de Demônios passou a ser odiado pela comunidade. Escolhido frequentemente por jogadores iniciantes e que já pensam saber controlá-lo, muitas vezes o resultado é um Valhein que feeda o time adversário, ao invés de ajudar a própria equipe.

Yasuo

Yasuo é popular, mas difícil de ser controlado. Com isso, o campeão passou a ganhar má fama em League of Legends — Foto: Reprodução/Riot Games

Segundo o site League of Graphs, Yasuo é um dos cinco campeões mais banidos do LoL desde 2016. Por que os jogadores banem tanto o Imperdoável? Embora considerado forte, suas mecânicas são difíceis. Por também ser popular, ele é muitas vezes escolhido por players que não dominam as habilidades do campeão. O resultado é similar ao Valhein: um Yasuo que feeda o time inimigo e prejudica o próprio. O site ainda aponta que jogadores de Yasuo são os que mais abandonam partidas (ou ficam AFK).

Mais do TechTudo