Video game

Por Filipe Garrett, para o TechTudo


O Xbox Series X foi revelado em dezembro de 2019 pela Microsoft, confirmando uma série de rumores e desmentindo outros a respeito da plataforma. Ao contrário do que se dizia na Internet, o Series X tem especificações mais poderosas do que o PlayStation 5 (PS5), conta com drive para discos Blu-Ray para jogos e filmes em 4K e permite que o usuário substitua o SSD por um de maior capacidade.

Nas linhas a seguir, o TechTudo relembra as verdades já confirmadas sobre o console, bem como os rumores que já foram desmentidos pela Microsoft. Vale lembrar que a data de lançamento e o preço ainda não foram divulgados.

Xbox Series X chega no fim do ano — Foto: Divulgação/Microsoft

Quer comprar jogos, consoles e outros produtos com desconto? Conheça o Compare TechTudo

VERDADES

Vai rodar jogos do Xbox One

Programa da Microsoft permite comprar jogos para Xbox One e ter acesso às edições de Series X sem precisar pagar mais — Foto: Divulgação/CD Projetk RED

A Microsoft já confirmou que o Series X chega ao mercado com a capacidade de rodar toda a biblioteca de games lançados para Xbox One desde o lançamento do console, em 2013. Além disso, o novo Xbox Series X também pode rodar os jogos do programa de compatibilidade, estendendo assim a oferta de títulos aos games de Xbox e Xbox 360 que já fazem parte do programa.

Outro detalhe importante é o programa Smart Delivery. Com ele, é possível comprar jogos para Xbox One e, no futuro, ter acesso às versões para Series X sem precisar pagar nada. Se você comprar Cyberpunk 2077, para Xbox One, terá acesso à versão para Series X quando ela chegar sem precisar pagar mais.

Suporte a ray tracing

Suporte ao ray tracing faz parte do arsenal de recursos do novo Xbox — Foto: Divulgação/Nvidia

Outro aspecto já confirmado pela Microsoft, e inclusive demonstrado em alguns trailers e vídeos, é a oferta de ray tracing acelerado por hardware no novo console. O efeito, que consiste em uma técnica de simulação do comportamento dinâmico da luz ao incidir sobre superfícies e se espalhar por ambientes, é um recurso apontado como essencial para garantir gráficos mais realistas aos jogos de nova geração.

Até agora, essa tecnologia estava restrita a algumas poucas placas de vídeo da Nvidia e, em virtude dos custos, distante da grande maioria do público. Com o uso da tecnologia nos consoles, o ray tracing pode ser tornar lugar comum e aparecer em mais jogos.

Efeitos de HDR e gráficos melhores aplicados em games antigos

Jogos antigos do primeiro Xbox e do Xbox 360 terão melhorias, como HDR e gráficos a 120 FPS — Foto: Divulgação/Microsoft

Como vimos, o Xbox Series X vai funcionar com os jogos do programa de compatibilidade. No entanto, mais do que simplesmente rodar games do primeiro Xbox e do Xbox 360, a Microsoft promete a capacidade de injetar efeitos como HDR nesses games antigos com a proposta de realçar gráficos de jogos mais rodados. Além disso, esses títulos podem ser executados a taxas mais altas de até 120 FPS.

De forma simples, o termo HDR define o uso de uma técnica que acentua brilho e oferece uma paleta de cores mais ampla, mas depende de que sua TV seja compatível. Com esse tipo de efeito, jogos antigos devem ter gráficos realçados com cores mais vibrantes, algo que pode dar vida nova mesmo a sucessos de quase 20 anos atrás, no caso dos jogos para Xbox.

Mais poderoso que o PS5

Xbox Series X é graficamente mais poderoso que o PS5, ao contrário do que muitos rumores sugeriam em 2019 — Foto: Divulgação/AMD

O circuito de rumores que antecedeu a revelação das especificações de Xbox Series X e PS5 apostava em um PlayStation 5 que seria mais poderoso que o rival por conta de processador e GPU mais velozes. No fim das contas, a confirmação dos dados técnicos dos dois consoles indica que o Xbox leva vantagem na capacidade gráfica.

A comparação de ficha técnica mostra a vantagem em números. O Xbox tem um processador gráfico de 52 unidades computacionais – algo como os núcleos de processamento – e que podem atingir velocidades de 1,825 GHz, entregando uma performance computacional bruta de 12 teraflops. Já o PS5 tem 36 unidades computacionais que aceleram a até 2,23 GHz, que rendem 10,28 teraflops de capacidade computacional bruta.

Saiba mais: confira tudo sobre o futuro concorrente do Xbox Series X, o PlayStation 5 (PS5)

PS5: saiba tudo sobre o novo console

PS5: saiba tudo sobre o novo console

MITOS

Sem entrada para discos Blu-Ray?

Ao contrário do que sugeriam alguns rumores, o novo Xbox tem drive para discos Blu-Ray — Foto: Reprodução/Microsoft

Uma das apostas que acabou desmentida indicava que a Microsoft lançaria seu novo console sem a capacidade de rodar discos. Isso restringiria o acesso a games a compras via Internet, downloads e por meio de streaming.

O rumo se comprovou falso. O console vem equipado com drive para Blu-Ray, capaz não só de rodar games por meio de disco, mas também filmes no formato UHD. A questão ainda fica em aberto a respeito do possível Xbox de entrada, que poderia aparecer sem o drive.

SSD e HD externo?

Consumidor poderá aumentar o espaço do console com SSDs vendidos separadamente — Foto: Divulgação/Microsoft

Outra incógnita até a apresentação oficial do Series X era de que forma o usuário poderia aumentar a capacidade de armazenamento do console. Havia quem sugerisse que o uso de SSDs restringiria essa possibilidade, já que o drive seria soldado no console e não poderia ser removido.

No fim das contas, a Microsoft apresentou um modelo próprio de SSD que lembra um “memory card”. A ideia é que o consumidor possa comprar esses SSDs separadamente em busca de unidades com maior capacidade e depois os instale no console. Além dessa possibilidade, o Series X continua permitindo o uso de HD externo por USB para backups – embora rodar jogos a partir dessas unidades esteja fora de cogitação em virtude da baixa velocidade dessas mídias.

Mais do TechTudo