Sistemas operacionais

Por Filipe Garrett, para o TechTudo


O sistema Linux vem sendo cada vez mais adotado em computadores domésticose chegou a registrar uma participação de 3,61% nos computadores do mundo de junho, de acordo com dados da NetMarketShare. Pode parecer uma parcela pequena, mas corresponde a um recorde histórico dos sistemas operacionais do tipo e reflete uma trajetória de alta, já que o anterior era de 3,17% e fora registrado em maio.

Os usuários que cogitam trocar de sistema operacional e adotar a distribuição podem acabar com dúvidas recorrentes sobre quão seguro é o Linux, o que são termos como Gnome ou KDE, se há suporte para jogos ou qual o nível de oferta de apps para o sistema, por exemplo. Pensando nisso, o TechTudo preparou uma lista com todos os detalhes sobre a plataforma. Descubra, a seguir, se o sistema Linux é bom e veja tudo que você precisa saber antes de instalar em seu computador.

Altamente customizável, Linux permite a criação de ambientes gráficos de trabalho funcionais e caprichados — Foto: Reprodução/Filipe Garrett

Quer comprar celular, TV e outros produtos com desconto? Conheça o Compare TechTudo

Como funciona o sistema operacional Linux

Linux é o núcleo comum de dezenas de sistemas operacionais livres e gratuitos, como o Ubuntu (foto) — Foto: Divulgação/Dell

Linux é um termo usado para classificar um kernel utilizado em diversos sistemas operacionais. Seu diferencial é que ele é oferecido de forma completamente gratuita e criado por um esforço concentrado de milhares de desenvolvedores mundo afora.

O kernel é o núcleo do sistema operacional e é encarregado de fazer a ponte entre as aplicações que você roda e o hardware. Como é totalmente livre, o Linux acaba encorajando empresas e grupos de usuários a aplicarem o componente na confecção de sistemas operacionais variados, com focos específicos e sempre gratuitos. Esses diferentes sistemas operacionais são as chamadas distribuições.

O que são distribuições Linux?

Distribuições são diferentes em termos visuais e em recursos, mas usam o mesmo kernel Linux — Foto: Reprodução/Filipe Garrett

O Linux é fragmentado em diferentes versões que são chamadas distribuições. Um exemplo é o Ubuntu, que é utilizado como base em outras diferentes distribuições. Ele oferece instalação padronizada, que é mais fácil de entender e não exige conhecimentos mais aprofundados na hora de atualizar e realizar manutenção. Dessa forma, sua experiência de uso se aproxima do Windows. O ponto negativo, no entanto, é que a instalação pode vir com diversos componentes que não são tão importantes para o seu dia-a-dia.

Veja também: Coisas que você nunca deve fazer em uma rede Wi-Fi pública

Coisas que você nunca deve fazer em uma rede Wi-Fi pública

Coisas que você nunca deve fazer em uma rede Wi-Fi pública

Outros exemplos de distribuições de grande qualidade são Fedora, Manjaro (uma versão mais simplificada do Arch), Linux Mint (baseado no Ubuntu), elementary OS (baseado no Ubuntu e com forte apelo na experiência de uso sólida), Debian, OpenSUSE, Antergos, Pop_OS!, Zorin OS e muitos outros.

O que são os desktops, como Gnome, KDE e Cinnamon

Além das distros, sistemas Linux também podem variar em interface gráfica — Foto: Reprodução/Filipe Garrett

O Linux é fragmentado em diferentes interfaces gráficas. Por isso é possível ter um Ubuntu com Gnome, ou com KDE (com o nome Kubuntu). Há Manjaro com interface gráfica Cinnamon, a mesma do Linux Mint, assim como há Manjaro com Gnome ou Xfce.

Essas interfaces correspondem apenas ao aspecto visual do sistema operacional e à forma como ele se comporta. Enquanto o KDE valoriza de forma bem marcante a personalização, o Gnome visa uma experiência de uso mais comum entre seus usuários. Uma interface como o Xfce, por outro lado, é econômica em hardware e pode pesar um pouco no sistema operacional, o que a torna comum nas distribuições desse tipo.

Há variedade de programas compatíveis?

Chances são grandes de que você irá encontrar tudo que precisa no Linux — Foto: Reprodução/Filipe Garrett

A questão da oferta de programas e alternativas a software disponível no Windows era uma grande restrição para muitas pessoas interessadas em migrar. No entanto, o Linux hoje tem uma posição melhor no que diz respeito ao catálogo de programas: quando a ferramenta ou app utilizado no Windows não possui versão para Linux, há grandes chances de encontrar equivalentes tão bons quanto.

Em todo caso, talvez o exemplo mais conhecido de software para Windows sem versão no Linux são as ferramentas da Adobe, importantes para profissionais de diversas áreas. Nesse caso, há aplicações equivalentes encontradas no Linux. Além disso, em algumas situações, é possível arriscar rodar programas da Adobe por meio de virtualização ou com ferramentas como o Wine, que expande a compatibilidade do Linux com o Windows e permite rodar aplicativos nativos do sistema da Microsoft.

Como funciona o Linux para jogos

Steam oferece catálogo de jogos para Linux — Foto: Reprodução/Filipe Garrett

No que diz respeito a jogos, o Linux ainda não compete com o Windows 10 em termos de catálogo. Ainda assim, existe um crescente interesse de desenvolvedores e consumidores pela plataforma, que vem ganhando cada vez mais versões nativas de games famosos. Sucessos como Hitman, Metro 2033 e Shadow of the Tomb Raider são alguns exemplos dessa tendência.

Outro fator que pode ajudar a convencer alguns gamers são iniciativas como o Proton da Steam. Essa tecnologia permite que o Linux execute games originalmente criados para Windows sem muitas complicações para o usuário. A lista de jogos compatíveis é grande, e embora existam alguns títulos com algumas limitações de compatibilidade, a maioria funciona normalmente, permitindo jogar sucessos como a série The Witcher, PUBG e GTA 5.

O Linux é seguro?

Linux é afetado por malware em menor intensidade do que o Windows 10 — Foto: Pond5

Sistemas operacionais baseados em Linux tendem a ser mais seguros porque são usados por uma base de usuários menor, e acabam também como uma prioridade menor no radar dos criminosos. Isso não significa que o sistema seja à prova de hacks, mas apenas que a chance de acabar infectado por um malware ou alvo de um criminoso é menor.

Ainda assim, o sistema operacional conta com opções de antivírus e eventuais falhas e brechas de segurança tendem a ser corrigidas com agilidade. As atualizações de sistema costumam chegar aos usuários de forma rápida, no mesmo padrão que a Microsoft e Apple fazem quando é necessário corrigir alguma vulnerabilidade em suas plataformas.

Como instalar e migrar para o Linux

Apps como o Rufus permitem criar pendrive bootável do Linux — Foto: Reprodução/Filipe Garrett

É possível fazer o download gratuito de uma cópia de qualquer distribuição Linuz sem precisar de uma licença de uso válida, como ocorre com o Windows ou macOS. Para instalar, é preciso gravar a imagem do sistema operacional escolhido em um pendrive, inicializar o computador por USB e dar início ao processo de instalação. Se o usuário quiser dividir o computador entre Windows e Linux, será necessário particionar o disco rígido para criar um espaço para o novo sistema de forma a preservar o Windows 10 intacto, garantindo que os dois sistemas funcionem de forma independente.

Há exigências e especificações de hardware?

Versátil, o Linux tem versões para vários perfis e formatos de hardware — Foto: Divulgação/Raspberry Pi Foundation

Milhares de desenvolvedores ao redor do mundo são atraídos num esforço concentrado para tornar o sistema mais amigável, eficiente e compatível com novas plataformas. O resultado é que o Linux funciona em praticamente qualquer hardware: ao instalar em um tablet ou celular, é possível encontrar opções para dar vida nova a um PC antigo e lento e também escolher algo ideal para funcionar em algo como o Raspberry Pi.

Diferenciais do Linux

Super computadores mais rápidos do mundo usam Linux, assim como boa parte da infraestrutura da Internet — Foto: Divulgação/Governo chinês

Os potenciais do sistema operacional são bem variados e é possível que cada tipo de usuário encontre uma vantagem específica. Quem deseja apenas tentar algo diferente e sair do Windows, encontra no Linux um sistema operacional bastante variado, com opções simples de começar a usar e entender. Há grande facilidade na customização e a oferta de apps e games não deve deixar ninguém na mão.

Usuários mais curiosos irão encontrar uma plataforma que permite aprender mais sobre computadores por oferecer controle total do sistema operacional. O Linux também tem diferenciais significativos para quem possui um computador com hardware mais simples e deseja dar uma sobrevida ao aparelho. Com uma infinidade de opções, é possível encontrar sistemas leves, que economizam em recursos e deixam até mesmo computadores com processadores simples e pouca memória RAM com melhor performance.

O sistema também se destaca pela alta confiabilidade e é a principal escolha em programas espaciais do mundo inteiro na hora de preparar missões tripuladas ou não. Além disso, é usado na maioria dos supercomputadores mais rápidos do mundo e desponta como o sistema operacional base em que boa parte de toda a Internet funciona nos dias de hoje.

Via Linux, OMG Ubuntu (1 e 2), ProtonDB, HelpDesk Geek, OpenSource

Qual é o melhor sistema operacional? Descubra no Fórum do TechTudo

Mais do TechTudo