Celulares

Por Isabele Scavassa, para o TechTudo


O icônico celular Nokia 3310, conhecido por muitos como “tijolão”, fez aniversário em 1º de setembro. Para fechar bem a semana e celebrar a data, o TechTudo publica nesta sexta-feira (03) os fatos mais interessantes sobre o aparelho. O telefone que se destacou pela resistência e pela grande adesão logo no começo dos anos 2000, completou 20 anos. Com aproximadamente 126 milhões de unidades vendidas, ele foi produzido até 2005 e voltou com uma versão atualizada em 2017.

Famoso também pela durabilidade da bateria, o Nokia 3310 era constituído por um material resistente, mas que podia ser personalizado ao mudar a carcaça. Nas linhas a seguir, relembre os detalhes do queridinho da época.

Nokia 3310 marcou época e ganhou fama de indestrutível na Internet — Foto: Divulgação/Nokia

Mensagens mais longas

As preocupações em relação ao número caracteres das mensagens não são um problema nos aplicativos de conversa de hoje. A limitação de palavras atualmente acontece no Twitter, por exemplo, mas antes isso era uma realidade nas mensagens de texto. O Nokia 3310 era revolucionário em termos de SMS, uma vez que permitia o usuário enviar mensagens de até 459 caracteres, quase o triplo do que era possível anteriormente.

Para tentar contornar a dificuldade de digitar no teclado numérico – e não no alfabético, como os smartphones de hoje –, o Nokia 3310 inseriu a funcionalidade batizada de T9 para a sugestão de palavras. Com essa ferramenta, era possível prever as palavras que o usuário gostaria de digitar, baseado na sequência de teclas pressionadas.

Proteção de tela e papel de parede

Nokia 3310 permitia escolher diferentes papéis de parede e proteções de tela — Foto: Reprodução/Internet

Apesar de parecer uma função básica, alterar o papel de parede ou a proteção de tela era algo inusitado no momento. O Nokia 3310, por sua vez, trazia essa possibilidade nas ferramentas, dando pequenos passos rumo à personalização dos celulares. Mesmo com a tela monocromática verde, era possível selecionar uma personalização para a tela de 84 x 84 pixels.

Ainda sobre personalizar os celulares, esse modelo permitia trocar a carcaça, abrindo para outras possibilidades de cores. De certa forma, as customizações foram mantidas com as capinhas usadas nos aparelhos atuais, mas ao contrário dos smartphones sensíveis de hoje, o tijolão não precisava de tanta proteção, uma vez que era bastante resistente.

Bateria de NiMh

Esse modelo tinha uma bateria removível, de níquel metal hidreto, que contava com 900 mAh e outra interna de íon-lítio, que era de 1.000 mAh. Conhecida por revolucionar a autonomia de uso dos eletrônicos, a bateria de lítio substituiu a bateria de níquel, que era uma das modalidades usadas no Nokia 3310. Apesar de não ser uma boa combinação para os smartphones usados hoje, a bateria de níquel exerceu um ótimo papel nos modelos antigos, como foi o caso do tijolão.

Uma das características dessa versão do Nokia era a durabilidade da carga, que aguentava até 10 dias longe do carregador em modo de espera. O modelo aguentada até 4 horas e 30 minutos de conversação.

Ringtones

A evolução do toque monofônico para o polifônico foi um aspecto que marcou o avanço dos celulares. A tecnologia utilizava sons diferentes para simular uma música, tornando-se uma possibilidade, mesmo que por alguns segundos, de reproduzir o tom da canção desejada. Dessa forma, foi possível fazer com que o usuário selecionasse um toque personalizado para algum contato.

A aquisição dos toques podia ser feita pelo próprio aparelho. Também era possível compartilhá-los com amigos via Bluetooth ou transferir com a ajuda de um computador. A febre do toque polifônico era tão grande que a função chegou a ser divulgada em comerciais televisivos.

Jogos

Jogo "Snake" ficou popular com o Nokia 3310 — Foto: Reprodução/Internet

É impossível falar dos celulares da Nokia sem relembrar o Snake. No caso do tijolão, ele trazia na versão de fábrica quatro opções de jogo, como Pairs II, Space Impact, Bantumi e Snake II. O “jogo da cobrinha” assumiu a posição de clássico, sendo reverenciado em uma exposição no Museu de Arte Moderna de Nova York em 2012.

Na versão de 2017 do telefone, o jogo não só foi mantido, como teve funcionalidades incrementadas, como a possibilidade de usar os botões numéricos 2, 6, 8 e 4 para direcionar a cobra no jogo.

Com informações de Wired

Cinco dicas para você organizar o seu celular

Cinco dicas para você organizar o seu celular

Mais do TechTudo