Lançadores e buscadores

Por Guilherme Ramos, para o TechTudo


É possível evitar fake news (notícias falsas) com a ajuda da busca do Google. A ferramenta permite checar conteúdos que estão na web, além de oferecer recursos para que usuário tenha mais contexto sobre determinados assuntos. Além disso, tópicos relacionados a saúde, notícias, política, finanças e eleições, por exemplo, são classificados pela plataforma como temas com maior necessidade maior de apuração. Por isso, a busca prioriza informações vindas de fontes relevantes como órgãos públicos e veículos de comunicação. A seguir, veja seis dicas para usar a busca do Google como forma de evitar a propagação de fake news.

Busca do Google tem ferramentas que ajudam a evitar fake news — Foto: Guilherme Ramos/TechTudo

Quer comprar celular, TV e outros produtos com desconto? Conheça o Compare TechTudo

1. Resultados no topo da busca

A busca do Google ajuda a encontrar informações relevantes sobre temas específicos, que vão desde, saúde e dúvidas eleitorais até filmes e jogos. Para apresentar dados confiáveis, a ferramenta prioriza sites de organizações oficiais, nos resultados das pesquisas.

Google disponibiliza informações de como votar no topo da busca — Foto: Reprodução/Guilherme Ramos

Além disso, em determinadas pesquisas, é possível ver uma caixa no topo da tela com orientações sobre aquele tema, antes mesmo de o usuário abrir os links dos resultados. Por exemplo, no caso das Eleições, ao pesquisar "Como votar", o eleitor consegue acessar de maneira rápida as orientações da Justiça Eleitoral e sanar as suas dúvidas. O mesmo acontece com consultas de saúde, principalmente sobre doenças, que trazem dados fornecidos por especialistas do Hospital Albert Einstein.

Veja também: Como identificar fake news? Veja sites para checar se notícia é verdadeira

Como identificar fake news? Veja sites para checar se notícia é verdadeira

Como identificar fake news? Veja sites para checar se notícia é verdadeira

2. Dados e informações oficiais

Algumas situações têm maior tendência a gerar desinformação, com dados que não condizem com a realidade. Nesse sentido, a busca do Google pode auxiliar o usuário mostrando informações visuais, gráficos e dados sobre determinados assuntos. Ao pesquisar "coronavírus", por exemplo, é possível identificar matérias sobre o tema, um mapa de contágio e o números de infectados de diversas cidades, estados e países.

Ao pesquisar sobre a pandemia no Google, o usuário terá diversos dados e informações logo de cara — Foto: Reprodução/Guilherme Ramos

Há ainda o "Alerta SOS", que mostra esses resultados direto no topo da busca. Dessa forma, é possível acessar rapidamente informações mais importantes, com links de fontes oficiais, números de telefones, mapas, entre outras.

3. Notícias falsas já verificadas

Na pesquisa do Google, as pessoas também podem encontrar o selo de verificação de fatos para as notícias que já foram desmentidas. Isso vale tanto para o Google Notícias quanto o Google Imagens. Essas informações passam por um sistema de checagem da ferramenta, que atua em conjunto com veículos de notícia e fontes oficiais. Assim, quando o usuário pesquisar algum assunto controverso, verá matérias esclarecedoras, que desmentem e explicam o fato.

Google fornece no topo da busca matérias que ajudam a desmentir informações falsas — Foto: Reprodução/Guilherme Ramos

4. Informações contextualizadas

Com a ferramenta de busca, depois de consumir uma notícia e se informar, o usuário pode seguir lendo sobre aquele tema. As sessões "Principais notícias", "Notícias relacionadas" e "Cobertura completa" reúne conteúdos de diversos veículos para que o leitor esteja contextualizado sobre o assunto. Com isso, é possível que as pessoas migrem entre matérias jornalísticas e entendam a evolução dos fatos.

Em pesquisas sobre as eleições americanas, o Google informa a data e dá notícias de diferentes portais — Foto: Reprodução/Guilherme Ramos

5. Conteúdo original e notícias exclusivas

As pesquisas do Google tendem a valorizar as notícias exclusivas de veículos jornalísticos. Isso faz com que o conteúdo apareça por mais tempo no topo dos resultados. Assim, o usuário pode conferir as matérias enquanto está em contato com artigos mais recentes sobre o mesmo tema. Em certas ocasiões, como em grandes eventos, isso pode auxiliar na checagem de fatos reportados em tempo real.

Resultado da busca destaca a informação, mas dá mais opções de notícias relacionadas para o usuário — Foto: Reprodução/Guilherme Ramos

6. Identifique agentes maliciosos e spam

Os algoritmos do Google tentam identificar quem burla as políticas da ferramenta e propaga notícias falsas. Desse modo, os conteúdos com caráter manipulativo são barrados. Por exemplo, um veículo que se identifica como sendo de Brasília não pode apresentar somente notícias relacionadas a Mato Grosso. O mesmo vale para anúncios nas plataformas: o texto publicitário não pode dizer uma coisa e a página do produto mostrar outra, pois será considerado como conteúdo fraudulento. Além disso, a ferramenta de busca está preparada para identificar e reportar comportamentos relacionados a spam.

Busca do Google pode identificar conteúdo manipulado e spam — Foto: Reprodução/Guilherme Ramos

Via Google

Como ganhar dinheiro com o Google? Veja dicas no Fórum do TechTudo

Mais do TechTudo