Antivírus

Por Filipe Garrett, para o TechTudo


O Windows Defender é o antivírus que vem instalado no Windows 10. Desenvolvido pela Microsoft, o antivírus do Windows é grátis, fácil de usar e oferece bom nível de proteção contra malwares, de acordo com testes de entidades como a AV-Test. Apesar disso, o Defender tem suas limitações, que incluem a falta de recursos mais avançados e ferramentas complementares, como gerenciadores de senha, presente em alternativas pagas de desenvolvedores como Kaspersky, Avast, McAfee e outros. Abaixo, você vai ver o que é o Windows Defender, como ele funciona e quais são seus pontos fortes e fracos.

Windows Defender é integrado ao Windows 10 e oferece bom nível de proteção — Foto: Filipe Garrett/TechTudo

Quer comprar celular, TV e outros produtos com desconto? Conheça o Compare TechTudo

O que é Windows Defender

Windows Defender é o antivírus da Microsoft e que faz parte do Windows 10, além de vir também em edições anteriores do sistema. A presença do recurso significa que o usuário não precisa instalar um antivírus de terceiros, já que o Defender dá conta de serviços básicos de proteção contra infecções por malwares de diversos tipos.

Embora seja funcional e totalmente integrado ao sistema operacional, o Windows Defender pode acabar sendo insuficiente para usuários mais exigentes e para quem espera mais recursos de uma plataforma de segurança. Por outro lado, é uma solução completamente gratuita, simplesde usar e deve atender às necessidades da grande maioria das pessoas.

Em termos de qualidade, testes da AV-Test colocam o Windows Defender entre os melhores antivírus disponíveis para Windows no momento. A edição de agosto de 2020 dos comparativos da entidade mostra o Defender com pontuação máxima em usabilidade, performance e proteção.

Veja também: como programar um computador Windows para desligar sozinho

Como programar um computador Windows para desligar sozinho

Como programar um computador Windows para desligar sozinho

Recursos do Windows Defender

O Windows Defender é um antivírus básico e que oferece recursos como verificação de disco rígido atrás de infecções, além de detecção em tempo real e remoção de malwares. A Microsoft, assim como empresas especializadas no setor, cria novas definições de vírus que são repassadas ao programa continuamente por meio do Windows Update. Dessa forma, o recurso fica sempre em dia com as novas formas de ataque em exploração por criminosos.

Windows Defender tem os recursos necessários para deixar o PC seguro — Foto: Reprodução/Filipe Garrett

Além dessas funções básicas, o Windows Defender tem ferramentas como agendamento de verificações e motores de proteção direcionados ao combate específico a ramsonwares. O antivírus da Microsoft também oferece modo para games, em que o Defender diminui o nível de exigência do sistema como forma de garantir maior performance ao computador.

Além disso, o programa conta com alguns recursos de proteção à navegação na Internet, mas que são integrados ao Microsoft Edge apenas. Há modos para proteção de dados durante uso de sites de bancos e lojas, além de um monitor de segurança que verifica endereços de Internet para garantir sua segurança.

Como ativar e desativar o Windows Defender

Para desativar a verificação em tempo real contra vírus e ameaças, basta abrir o painel de Segurança do Windows. Você pode chegar lá pelo app de “Configurações”, em “Atualizações e Segurança”. Outra opção é pesquisar “defender” na busca do Windows 10.

É possível ativar e desativar o Defender durante o uso — Foto: Reprodução/Filipe Garrett

Depois, na tela “Configurações de proteção contra vírus e ameaças”, clique em “Gerenciar configurações”. Na nova tela, você pode desativar ou reativar recursos do Windows Defender, como “Proteção em tempo real”, que efetivamente desliga o antivírus, e a “Proteção fornecida na nuvem”, que usa a Internet para checar amostras de potenciais ameaças identificadas no seu computador.

Windows Defender vs outros antivírus

Com relação às funções básicas, como a capacidade de detecção e remoção de malwares, o Windows Defender terá performance similar a concorrentes, pagos ou não. Há modos diferentes de verificação, monitoramento em tempo real para bloquear infecções e a Microsoft libera atualizações de detecção de novos vírus com frequência.

Defender é simples em relação aos recursos adicionais encontrados em rivais pagos — Foto: Reprodução/Filipe Garrett

A grande diferença para softwares independentes está no fato de que produtos como Kaspersky, Avast ou McAfee agregam funcionalidades extras em suas modalidades pagas. Alguns exemplos são as licenças que você pode aplicar em mais de um dispositivo, gerenciadores de senhas, VPNs e protetores mais avançados para navegação na Internet.

Outros recursos ausentes no Defender são proteções integradas e em tempo real para apps de e-mail e tecnologias para destruição de dados na hora de excluí-los do seu computador. Além disso, a integração com navegadores é limitada ao Edge.

Em contrapartida a essa simplicidade, está o fato de que o antivírus é completamente gratuito e funciona normalmente no sistema operacional, sem que você precise realizar nenhuma alteração ou configuração.

Windows Defender Browser Protection

Windows Defender Browser Protection é uma extensão para navegadores derivados do Google Chrome e do Mozilla Firefox. A ferramenta traz maior integração entre o antivírus e browsers diferentes do Microsoft Edge.

Complemento da Microsoft aumenta integração entre Windows Defender e navegadores de Internet — Foto: Reprodução/Filipe Garrett

A extensão atua monitorando páginas e endereços de Internet em busca de potenciais riscos ao usuário, como esquemas de phishing, além de sites falsos que podem tentar capturar dados do usuário ou distribuir malwares.

Windows Defender é bom em 2020?

A solução de antivírus da Microsoft mostra bom retrospecto em testes independentes, como os realizados periodicamente pelo instituto responsável pelo site AV-Test. Na última rodada de comparativos, divulgada em agosto de 2020, o Defender atingiu pontuação máxima nas categorias de usabilidade, que atesta o quão fácil é a usabilidade do produto e se ele não gera muitos falsos positivos. O antivírus também se destacou em performance, que verifica se o antivírus não pesa muito no sistema; e em detecção, que afere sua capacidade de encontrar e agir contra diversos tipos de malwares.

Windows Defender oferece mesmo nível de proteção do que alternativas pagas, segundo AV-Test — Foto: Reprodução/Filipe Garrett

Em resumo, se você precisa de um antivírus apenas para ficar de olho no que acontece no seu computador para identificar potenciais ameaças, o Windows Defender será suficiente. Se, por outro lado, você tem um perfil de uso que requer mais recursos e ferramentas, talvez a solução integrada da Microsoft acabe se mostrando limitada.

O Defender fica atrás de rivais pagos quando o assunto é o nível de recursos adicionais da plataforma. A solução da Microsoft é mais focada em proteger o computador, enquanto antivírus pagos de Kaspersky, McAfee, Symantec e outros focam em garantir recursos de segurança que transcendem a proteção do computador e chegam ao celular. Além disso, oferecem recursos adicionais, como oferta de VPNs e gerenciadores de senhas, por exemplo.

Mais do TechTudo