Streaming

Por Raquel Freire, para o TechTudo


O YouTube completa 16 anos de existência nesta segunda-feira (15). Ao longo deste tempo, a plataforma passou por muitas mudanças e reinventou o modo de assistir a vídeos na Internet. A compra pelo Google em 2006 foi um dos principais capítulos dessa história, que fez o site se tornar não apenas o maior de vídeos do mundo, mas o segundo maior motor de buscas da Internet, atrás apenas do próprio Google.

Lançada em 2005 por Chad Hurley, Steve Chen e Jawed Karim, ex-funcionários do PayPal, a plataforma passou de um lugar para compartilhar vídeos com amigos próximos para uma das principais ferramentas de marketing nos dias de hoje. A seguir, relembre os primeiros anos do YouTube e suas principais mudanças de visual e recursos.

Relembre o início do YouTube; plataforma de vídeos completa 16 anos — Foto: Raquel Freire/TechTudo

Quer comprar celular, TV e outros produtos com desconto? Conheça o Compare TechTudo

Página inicial do YouTube

Em 2005, a identidade visual geral da Internet era muito diferente do que é hoje, e isso se aplica também ao YouTube. A página inicial de sua primeira versão era bem enxuta, exibindo a logo da plataforma, um campo de buscas, algumas tags com categorias de vídeos e apenas cinco vídeos em destaque na parte inferior da tela.

Página inicial do YouTube em 2005, quando foi lançado — Foto: Reprodução/Web Design Museum

A primeira grande mudança na homepage aconteceu ainda em 2005. Em agosto, o site abandonou a presença dominante do branco no plano de fundo e ganhou muito mais elementos gráficos, incluindo abas. A seção "vídeos em destaque" passou a se chamar "Vídeos em destaque de hoje", indicando mais conteúdo e atualização.

Em 2006, o site foi comprado pelo Google por um valor estimado de US$ 1,65 bilhão. No ano seguinte, o YouTube exibia a logo da empresa na home. A partir desse momento, era possível fazer login com a conta da gigante de buscas, que reposicionou a barra de pesquisas para o centro da tela. Nela, os usuários ganharam a possibilidade de ver os resultados como thumbnails.

A página inicial ainda ganhou uma seção destinada aos vídeos que estavam sendo assistidos no momento. A disposição das informações dos vídeos em destaque também foi alterada, passando a ocupar menos espaço no display.

Home do YouTube em 2007, com login do Google — Foto: Reprodução/Web Design Museum

Nos anos que se seguiram, a homepage não passou por muitas mudanças drásticas. Um das mais significativas foi o abandono do ranqueamento dos vídeos por estrela, eliminando esse elemento gráfico da tela inicial. As abas ganharam um visual mais moderno e o site ficou mais limpo, de maneira geral, mas sem um design tão atraente até 2011.

Reprodutor de vídeos

O reprodutor de vídeo em si também passou por muitas mudanças. No início, o player exibia a logomarca do YouTube no canto inferior direito, em um tamanho nada discreto. A opção de tela inteira não existia na época, assim como a indicação de tempo na barra de reprodução. O campo de descrição trazia apenas texto, sem o nome do usuário ou canal, como acontece atualmente.

Player do YouTube em 2005 não tinha tela inteira nem exibia o tempo de reprodução — Foto: Reprodução/Jeremiah Owyang

No ano seguinte, a plataforma já registrava uma média de 100 milhões de visualizações de vídeo por dia, sucesso que fez com que os desenvolvedores implementassem melhorias rapidamente. Em 2006, o player ganhou o recurso de tela cheia e controles adicionais, como volume e timer. Ele também eliminou a marca do YouTube, que, no entanto, continuava a aparecer nos vídeos incorporados em outros sites.

A opção de pular cenas dos vídeos e assistir a partir de qualquer ponto só foi adicionada em 2007. Era possível utilizá-la mesmo que o conteúdo não tivesse sido carregado completamente. Também nessa época, os vídeos ganharam clipes relacionados, exibidos como thumbnails ao longo de sua reprodução, e setas para que o usuário pudesse pular para o próximo vídeo ou voltar para o anterior. Outra melhoria da época foi a adição do botão "Menu", que dava acesso ao código de incorporação ou à URL da página do vídeo no YouTube.

Em 2008, o reprodutor começou a suportar a resolução 480p e a inclusão de legendas pelos criadores, que podiam adicionar arquivos de vários idiomas. No final do mesmo ano, o Google incluiu a tradução automática com o uso do Google Tradutor. A geração de legendas automáticas, porém, só chegou em 2009, ano em que o player também ganhou conteúdo em 720p (HD).

Foi em 2010 que página do player viu surgir um dos ícones mais marcantes do YouTube: o botão de curtir com o dedo para cima. A plataforma também passou a dar mais destaque para as inscrições, introduziu as reproduções automáticas, otimizou a fila de vídeos e mudou a cara das playlists. Todas as ações eram pensadas para incentivar o hábito de assistir a um vídeo após o outro.

Recursos antigos

Como mencionado acima, o atual botão de like chegou ao YouTube apenas em 2010. Até então, os vídeos eram classificados por estrela, no clássico sistema de um a cinco. Em vez de "deixe seu like/joinha", os criadores pediam para o público "avaliarem com cinco estrelas". Além disso, outro recurso descontinuado foi a opção de criar grupos. Lançada em 2006, a função permitia participar de uma comunidade voltada para um assunto específico, como futebol, games e bandas.

Mas talvez uma das mudanças mais significativas do início da plataforma em relação aos dias de hoje é a inexistência de anúncios até agosto de 2006. A partir daquele momento, o YouTube começou a vender espaço em sua página para veicular publicidade em vídeo, que os usuários podiam avaliar com estrelas e compartilhar. Na ocasião, a companhia também criou canais oficiais para os anunciantes, como o de Paris Hilton.

Canal oficial de Paris Hilton lançado pelo YouTube em 2006 — Foto: Reprodução/Advertising Lab

Ainda em 2007, o serviço ganhou um recurso chamado Active Sharing (compartilhamento ativo), que permitia ver outros usuários que tinham visto o mesmo vídeo que você. Para isso, porém, ambos deveriam ter a funcionalidade ativada.

Além das legendas nos vídeos, 2008 foi o ano em que o YouTube lançou as anotações. As caixas de texto interativas, que permitiam escrever recados ou mesmo direcionar o espectador para outros endereços na Internet, foram descontinuadas nove anos depois.

Anotações, recurso introduzido pelo YouTube em 2008 e encerrado em 2017 — Foto: Reprodução/Daniel Ribeiro

Uma nova aba destinada a programas de TV deu as caras em 2009, inaugurando a era de aluguel de títulos pela plataforma. A seção, formulada em parceria com empresas de TV como a CBS, disponibilizou conteúdos como "A Família Addams" e os episódios de Star Trek, além de um catálogo de poucos filmes.

Em 2011, o recurso de transmissão de vídeo ao vivo foi disponibilizado. A funcionalidade foi muito usada durante a Primavera Árabe, acontecimento que eclodiu na mesma época.

Primeiros vídeos publicados

O primeiro vídeo do YouTube foi postado dia 23 de abril por Jawed Karim, um dos fundadores do site. Intitulado "Me at the Zoo" (eu no zoológico), o clipe de 19 segundos figura o executivo no zoológico de San Diego, Califórnia, falando sobre como "os elefantes são legais".

Apesar se ter se tornado popular pelo caráter histórico, o vídeo de Jawed não chegou a viralizar. O primeiro viral da plataforma foi uma dublagem da música "I Want It That Way", do grupo BackStreet Boys, feita por dois adolescentes. A brincadeira foi o 20º vídeo a ser publicado no YouTube e teve 6 milhões de visualizações. O número pode não ser o suficiente para que um clipe atual seja considerado um viral, mas, na época, foi considerado um grande sucesso.

A primeira marca a perceber o potencial de propaganda do YouTube foi a Nike, que produziu o primeiro vídeo comercial do portal. O clipe, que fez muito sucesso no Brasil e no mundo, mostrava Ronaldinho Gaúcho acertando a bola na trave repetidas vezes. O craque, naturalmente, calçava as chuteiras da empresa de itens esportivos.

Primeiro vídeo comercial do YouTube foi feito pela Nike e estrelava Ronaldinho Gaúcho — Foto: Reprodução/YouTube

Veja também: Como baixar uma playlist inteira de vídeos do YouTube

Como baixar uma playlist inteira de vídeos do YouTube

Como baixar uma playlist inteira de vídeos do YouTube

Primeiros canais de sucesso

O contraste entre os números atuais com 15 ou 16 anos atrás é impressionante. Em julho de 2006, o canal com mais inscritos era o LisaNova, que somava pouco mais de 1.200 inscritos e 99 mil visualizações. O canal continua ativo até hoje e reúne 510 mil inscritos.

O site também possibilitava customizar a página do canal de forma mais livre. Os criadores podiam alterar todo o esquema de cor, incluindo o plano de fundo, o que deixava cada canal com a "cara" do dono. Alguns anos depois, a plataforma resolveu uniformizar o layout, restringindo a personalização ao banner.

Página do canal era personalizável de acordo com a vontade do criador — Foto: Reprodução/Way Back Machine

E se você está se perguntando qual foi o primeiro canal da história do YouTube, a resposta é fácil de adivinhar: é o do cofundador Jawed Karim, onde foi postado o vídeo "Me at the Zoo" e que recebeu o nome de "Jawed". Até hoje, este permanece como a única postagem do canal. Ainda assim, Jawed possui 1,6 milhão de inscritos e 152 milhões de visualizações.

Mais do TechTudo