Por Bruno Magalhães, para o TechTudo


No Brasil, o mercado de jogos indie vive uma crescente notável nos últimos anos, destacada por nomes como Dandara: Trials of Fear, Blazing Chrome e A Lenda do Herói. Os games alcançaram renome fora do país, e, hoje, a perspectiva é de que cada vez mais projetos promissores e banhados em criatividade venham à luz em solo nacional.

Apenas neste primeiro trimestre, títulos como Dandy Ace e Kaze and the Wild Masks conquistaram a mídia especializada e são exemplos que ressaltam a competência dos desenvolvedores brasileiros. A temporada de lançamentos, no entanto, está apenas começando. Veja, na lista a seguir, dez jogos indie brasileiros para você conhecer em 2021.

Pocket Bravery, Asleep, Unsighted e mais: conheça os jogos indie brasileiros de 2021 — Foto: Reprodução/Bruno Magalhães

Quer comprar jogos, consoles e PCs com desconto? Conheça o Compare TechTudo

1. Kaze and the Wild Masks

Desenvolvido pelo estúdio PixelHive, de Porto Alegre, Kaze and the Wild Masks apela aos fãs de jogos de plataforma 2D com suas grandes semelhanças com a trilogia Donkey Kong Country, um dos maiores ícones do gênero. Ele foi lançado em 26 de março para PC (via Steam), PlayStation 4 (PS4), Xbox One e Nintendo Switch.

No game, o personagem-título deve salvar seu amigo Hogo de uma terrível maldição que caiu sobre o arquipélago Crystal Islands e transforma os vegetais em criaturas enfurecidas. Para dar conta do problema, é preciso coletar as chamadas Wild Masks, que concedem poderes de tigre, águia, lagarto e tubarão ao protagonista para superar os obstáculos únicos de cada estágio.

Kaze é um carismático coelho que brilha em um dos primeiros lançamentos indie brasileiros de 2021 — Foto: Divulgação/Steam

Kaze and the Wild Masks chama a atenção, também, pelo seu estilo artístico em pixel art, com animações fluidas. Além disso, o título interessa pelo seu fator replay, pois oferece recompensas aos jogadores que cumprirem todos os requisitos ao término das fases.

2. Dandy Ace

Influenciado pelo sucesso de Hades, Dandy Ace é um novo rogue-like com ambientação em um mundo mágico e cheio de personalidade. Na trama, o Ilusionista de Olhos Verdes, Lele, cede à ganância e aprisiona o incrível herói Dandy Ace em um espelho amaldiçoado. Agora, o protagonista deve atravessar o palácio do vilão, combinando habilidades especiais de cartas enquanto avança pelas salas.

Dandy Ace, do estúdio brasileiro Mad Mimic, traz muita ação no estilo roguelike no PC e consoles — Foto: Divulgação/Steam

A promessa do game está nas mais de mil combinações possíveis, que possibilitam aos jogadores criar seus próprios estilos. As fases também sempre mudam a cada jogatina, tornando a experiência fresca a cada nova tentativa. Caso o jogador morra, ele consegue aproveitar algumas melhorias permanentes para ajudar no seu caminho rumo ao Ilusionista de Olhos Verdes.

O game foi desenvolvido pelo estúdio paulista Mad Mimic, conhecido também por No Heroes Here. Hoje, está disponível para PC (via Steam), PlayStation 4, Xbox One e Nintendo Switch.

3. Guns N’ Runs

Primeiro lançamento do estúdio carioca Statera, Guns N’ Runs é uma experiência desafiadora que mira entusiastas de speedrun. O jogo busca inspiração em nomes como Mega Man, Metal Slug, Super Meat Boy e Celeste para entregar 200 desafios e 23 batalhas contra chefões — todas muito dinâmicas e criativas. No momento, Guns N’ Runs está disponível somente no Steam.

Na história, o jogador assume controle de membros do Esquadrão Conspiracy, que são enviados para uma missão de invasão em um bunker misterioso no deserto do Atacama, no Chile. O local é comandado por um tecnopata terrorista chamado Adrian, que é o principal suspeito do sequestro de uma outra tecnopata chamada Sofia, ocorrido há 17 anos.

Runs N' Guns apresenta até 200 salas com desafios intensos para serem superados — Foto: Reprodução/Bruno Magalhães

De início, quatro personagens com habilidades especiais únicas estão disponíveis, enquanto outros quatro são desbloqueáveis. O gameplay apresenta comandos simples, como atirar, pular e dash, mas a curva de dificuldade exige cada vez mais precisão em uma corrida contra o tempo – que é, inclusive, o principal empecilho ao longo das fases.

4. Pocket Bravery

Também desenvolvido pela Statera Studio, Pocket Bravery é abraçado como o principal carro-chefe do estúdio. Ele foi o primeiro projeto anunciado pela desenvolvedora, sendo revelado muito antes de Guns N’ Runs. Descrito como um jogo de luta com visual SD (Super Deformed), o game é totalmente desenhado à mão, em pixel art, e conta com um sistema de combate baseado em clássicos dos anos 90 – como The King of Fighters, por exemplo.

Pocket Bravery é um jogo de luta brasileiro com belos gráficos em pixel art e inspirado em clássicos dos anos 90 — Foto: Divulgação/Statera Studio

Entre as mecânicas de gameplay já confirmadas, estão corrida, back dash, recuperação rápida e pulo normal e longo. Todos os personagens têm poderes que variam de especiais a super especiais, incluindo também super cancelamentos e mecânicas originais que os diferenciam entre si. Tudo isso é parte de uma jogabilidade dinâmica e responsiva, com grande foco nas animações para maior fluidez durante as partidas.

A princípio, Pocket Bravery chega somente ao Steam, com lançamento previsto para 2021, mas sem uma data exata divulgada. Falando com exclusividade ao TechTudo, o estúdio confirmou que um Beta está previsto para acontecer em maio, com quatro lutadores jogáveis: Nuno, Sebastian, Hadassa e Ndidi. Todos os interessados podem acompanhar notas de desenvolvimento às segundas, quartas e sextas-feiras nas redes oficiais do título.

5. Fobia - St. Dinfna Hotel

Fobia - St. Dinfna Hotel é um dos nomes mais recorrentes quando se fala em jogos indie brasileiros atualmente. Desenvolvido pela Pulsatrix Studios, ele é descrito como uma jornada imersiva de suspense e investigação, com perspectiva de gameplay em primeira pessoa. O jogador deve lidar com uma seita tecnologicamente avançada, que conduz, secretamente, experiências de aperfeiçoamento humano, com modificações genéticas e realidades paralelas.

Fobia é um jogo de terror brasileiro que promete muito suspense e quebra-cabeças — Foto: Divulgação/Steam

Os jogadores devem encarar quebra-cabeças com resolução aleatória e desvendar os mistérios de uma grandiosa e antiga construção. Há ainda mecânicas que dão acesso a diferentes mundos, combinam itens para melhorá-los e utilizam armas para defesa contra ameaças.

Fobia ainda não tem uma data de lançamento definida, mas está em desenvolvimento para Steam, PlayStation 4, PlayStation 5 (PS5), Xbox One e Xbox Series X/S. Uma versão de demonstração está disponível para download na plataforma da Valve.

6. Unsighted

Unsighted, desenvolvido pelo Studio Pixel Punk, é um projeto que está em andamento desde 2018 e se passa em um universo Cyberpunk pós-apocalíptico. Em produção para PC e consoles, o game busca inspiração em nomes como The Legend of Zelda e Metroid, de modo que recompensa os jogadores pela exploração e conhecimento do cenário.

Na história, controlamos Alma, uma robô que vive em uma corrida contra o tempo para não se tornar uma Unsighted, que funciona como um zumbi robótico gerado pela escassez de Anima, a energia que dá consciência às máquinas. Após um meteoro de energia atingir Arcadia, a raça humana começou a explorar a fonte de força indispensável aos robôs, e a protagonista agora tem o dever de salvar a sua raça.

7. No Place for Bravery

No Place for Bravery foi um grande destaque nos eventos indies ao longo de 2020 e é um dos principais lançamentos brasileiros marcados para 2021. Desenvolvido pelo estúdio Glitch Factory, o jogo chega para PC e Nintendo Switch e funciona como um RPG de ação feito totalmente em pixel art. Ele abraça mecânicas de jogos como Dark Souls e Bloodborne, entregando combates punitivos e desafiadores.

O jogo é ambientado em um mundo assolado por uma guerra. Nele, o protagonista Thorn está à procura da sua filha desaparecida. No Place for Bravery traz, ainda, elementos de metroidvania e jogos de plataforma, que o diferenciam. Ao longo da jornada, é preciso adquirir habilidades ou armas específicas para acessar áreas até então bloqueadas.

8. Asleep

Asleep é um novo game de terror psicológico desenvolvido pelo estúdio Black Hole Games, do Piauí, e que está em campanha de financiamento coletivo no Catarse. Ambientado no nordeste brasileiro dos anos 90, o jogo busca abordar temas como distúrbios psicológicos. Nele, é apresentado o dilema de Ana Lúcia, uma garota solitária e confusa que deve enfrentar seus pesadelos, que estão cada vez mais reais.

O gameplay acontece sob uma perspectiva 2D e point and click. Além disso, ele é altamente inspirado em Silent Hill, colocando a protagonista apenas em posse de uma lanterna. É necessário ser perspicaz para superar as criaturas horripilantes que aparecem pelo caminho. Segundo os desenvolvedores, o sistema de iluminação é utilizado como mecânica de jogabilidade, pois serve para atrair inimigos e se proteger. Há ainda um sistema de vida baseado na sanidade de Ana Lúcia, além de quebra-cabeças inovadores e narrativa densa, com diferentes desdobramentos e finais possíveis.

9. Wind Runners

Previsto para a primeira metade de 2021, Wind Runners é um jogo de nave focado em dogfights, que apresenta belos gráficos em pixel art, com efeitos de reflexo no cenário. A ação se passa no Sistema Zarah Igna, que sofre com a tirania do chamado Realm. No jogo, ele utiliza o medo e sua superioridade militar para manter todo o lugar sob seu controle. Para combatê-lo, um grupo de pilotos rebeldes e com grandes habilidades em combate aéreo, conhecido como Wind Runners, assumirá a linha de frente para trazer a liberdade a todos aqueles que vivem sob a luz da opressão.

Segundo os primeiros detalhes divulgados pelo Ludic Studios, os jogadores podem selecionar naves com armas únicas, além de evoluí-las com equipamentos e outras melhorias adquiridas com o passar das fases, que são ao estilo rogue-like. Além de enfrentar outros pilotos, será preciso lidar com bestas metálicas gigantes chamadas de "The Torments", que estão espalhadas pelos cenários.

10. Moonrider

O talentoso estúdio JoyMasher, que entregou sucessos como Blazing Chrome e Oniken, trabalha atualmente em Moonrider. Embora siga sem uma previsão de lançamento nem plataformas anunciadas, o game faz uma homenagem a clássicos como Shinobi e Strider e apresenta um gameplay de ação 2D frenético. Seu protagonista é uma espécie de ninja robótico, que vive em um mundo futurista.

Como é tradição nos games do estúdio, a estética da geração do Mega Drive salta aos olhos logo de início, seja no estilo gráfico, nos sons ou nas animações. Os jogadores também podem esperar por muitos desafios, especialmente nas batalhas contra chefes. Vale acompanhar os desenvolvedores nas redes sociais para conferir prévias de gameplay, além de outras atualizações sobre sua produção.

Qual o seu jogo Indie preferido do PS4? Comente no Fórum do TechTudo.

Among Us: veja curiosidades e 'segredos' sobre o game

Among Us: veja curiosidades e 'segredos' sobre o game

Mais do TechTudo