Por Filipe Garrett, para o TechTudo


Os fliperamas marcaram a primeira fase dos videogames, mostrando que jogos eletrônicos podiam ser divertidos e viáveis. Os primeiros títulos do gênero vieram já no início da década de 1970, mas ganharam maior fama em 1972, com a chegada de Pong! e seus inúmeros clones. Mantendo domínio do mercado por anos, o game foi o primeiro grande sucesso entre esse sistema.

Com o tempo, a inovação ganhou espaço entre esses videogames, com jogos de gráficos mais ambiciosos e controles específicos. Confira, nas linhas a seguir, os dez primeiros games de fliperama lançados no mundo.

O Micro Player é um mini game lançado em 2020, que revive a era dos fliperamas — Foto: Aline Batista/TechTudo

Quer comprar jogos, consoles e PCs com desconto? Conheça o Compare TechTudo

Vale lembrar que há inconsistência na historiografia dos games de fliperama. Por isso, o TechTudo optou por uma listagem que inclui apenas os primeiros jogos de cada gênero disponível no mercado. Além disso, porque muitos dos títulos iniciais eram basicamente cópias de Pong!, optamos por desconsiderá-los.

1. Computer Space – 1971

Criação dos dois fundadores da Atari, Nolan Bushnell e Ted Dabney, Computer Space é tido por muitos como o primeiro arcade, embora fosse basicamente uma reinterpretação de Spacewar!, jogo eletrônico lançado em 1962 por estudantes do MIT (Instituto Tecnológico de Massachusetts). Apesar de não ter sido o único clone de Spacewar!, Computer Space é considerado o primeiro fliperama. Ao todo, estima-se que um total de 1,5 mil unidades dele tenham sido vendidas.

Computer Space marca o início dos fliperamas com jogo de combate espacial — Foto: Reprodução/80LV

Com premissa bastante simples, em Computer Space, o jogador fica no controle de uma nave e deve usá-la para eliminar dois discos voadores controlados pela máquina. Além de tentar destruir o inimigo, o usuário também precisa fugir de tiros disparados pelos adversários. O sistema funcionava por tempo, com uma ficha dava direito a intervalos de até 150 segundos de jogo. Caso a pontuação final do player fosse superior ao recorde da máquina, ele ganhava mais uma partida. Se o total, no entanto, fosse inferior, era preciso inserir uma nova ficha e começar tudo novamente.

2. Pong! – 1972

Design atemporal da Atari e presente até hoje em games de celular, Pong! estreou em 1972 e foi um dos primeiros grandes sucessos da indústria. Até 1974, sua desenvolvedora somaria um total de oito mil gabinetes vendidos, número bastante relevante para um mercado ainda em formação. Isso, inclusive, sem contar as vendas totais dos clones, que geraram até mesmo versões domésticas para consoles e inflaram essa quantidade para cerca de 100 mil unidades.

Pong! foi um grande sucesso e que dominaria os fliperamas por anos — Foto: Domínio Público

Inspirado em tênis de mesa, o jogo consiste em um 2D em que o jogador controla o que seria uma raquete, representada por uma barra em orientação vertical. Neste game, é necessário rebater a bola, movimentando a "raquete" para cima e para baixo e usando os ângulos e limites da tela ao seu favor. O objetivo do jogo é somar 11 pontos primeiro.

3. Winner – 1973

Primeiro lançamento da Midway (que um dia seria responsável por Mortal Kombat), Winner foi um arcade clone de Pong! que teve grande destaque no mercado. Suas vendas totais estimadas passaram de sete mil unidades ao longo de seu ciclo de vida, marca que o faz uma das réplicas de maior impacto no período.

Winner é um clone de Pong! que marcaria o início da Midway nos games — Foto: Reprodução/Joe's Classic Video Games

Produzido sob licença, Winner era uma cópia completa de Pong!, inclusive a nível de hardware, já que sua placa interna e os controles da máquina eram os mesmos usados no original. Na época, o conceito de videogames era tão novo que os fabricantes imaginavam máquinas de fliperama na mesma linha de uma mesa de sinuca ou de um pebolim.

O formato de jogo era por fichas, sem muito espaço para inovação. Nesse raciocínio, Pong! funcionaria como um novo tipo de diversão para bares e shoppings, reproduzido indefinidamente.

4. Space Race – 1973

Segunda criação original da Atari, Space Race é o primeiro game de corrida da história e também o primeiro em que o objetivo dos jogadores é cruzar a tela evitando obstáculos. Este fliperama teria dificuldade de ganhar espaço no mercado, que até então era dominado pela febre dos arcades de tênis de mesa.

Por isso, segundo estimativas do "pai dos videogames", Ralph Baer, Space Race teria vendido em torno de 1,5 mil gabinetes. Asteroid, o clone produzido pela Midway, foi até mais bem sucedida que o game original, com duas mil unidades comercializadas.

Space Race é o primeiro jogo de corrida da história — Foto: Reprodução/XDavidXtreme. Editado por Filipe Garrett

Em termos de gameplay, Space Race consiste em um jogo de corrida disposto na vertical, em que dois jogadores controlam naves, cada um com sua metade do monitor. O objetivo é vencer o adversário, chegando o mais rápido possível até o topo do display e passando longe dos asteroides presentes ao longo do percurso.

5. Gotcha! – 1973

Mais uma inovação da Atari, Gotcha! foi o quarto game da história da desenvolvedora. Assim como outros fliperamas do período, o arcade implementava uma dinâmica de partida por tempo, com cada ficha permitindo até dois minutos de jogatina (embora o proprietário das máquinas pudesse regulá-las para disputas de 30 segundos apenas). Com três mil unidades vendidas, Gotcha! não seria considerado um grande sucesso e chegaria ao mercado com alguma dose de polêmica.

Gotcha! e seus controles polêmicos — Foto: Reprodução/ Chris NEO - The IRATE Gamer

Nascido do esforço da Atari em romper a dependência de Pong! e seus inúmeros clones, Gotcha! foi o primeiro jogo de labirinto. Desenvolvido para duas pessoas, funcionava de maneira assimétrica: enquanto um jogador controlava o perseguidor, outro ficava no papel de fugitivo. A arte de divulgação, com um rapaz agarrando uma garota por trás, além de não ter envelhecido bem, já na época do lançamento causou discussão.

Além disso, a primeira versão do gabinete vinha com controles que lembravam seios. Essa semelhança, na realidade, foi proposital, já que a Atari, cansada de ouvir que joysticks se assemelhavam ao órgão sexual masculino, achou que a mudança seria uma boa ideia.

6. Tank – 1974

Mais uma criação de sucesso da Atari, Tank é um jogo de labirinto que pretendia corrigir alguns dos problemas de Gotcha!. Por isso, ao contrário do antecessor, teve muito mais sucesso, com cerca de 10 mil unidades vendidas apenas em 1974. Distante das polêmicas, Tank envolveria dois jogadores em igualdade: ambos tinham a capacidade de fugir e atirar no adversário, com veículos que lembravam tanques de guerra quando vistos de cima.

Tank corrige falhas de Gotcha! e se transforma em mais um grande sucesso da Atari — Foto: Reprodução/Ebay Videos

Outra mudança notável na comparação com o título anterior é o mapa. Em Gotcha!, as paredes do labirinto mudavam o tempo todo na partida, representando uma camada a mais de desafio. Em Tank, no entanto, os mapas são estáticos e pré-definidos, encorajando abordagens com doses maiores de estratégia entre os oponentes.

7. TV Basketball – 1974

Criado pela japonesa Taito e também clonado pela Midway, Basketball é um jogo histórico, conhecido por ser o primeiro a representar jogadores reais na tela. Em vez de uma barra vertical representando uma raquete ou do mero contorno de uma nave espacial, TV Basketball mostrava atletas em cena. Além de personagens, o arcade japonês foi o primeiro game de basquete, e também foi pioneiro no uso de sprites como solução para gráficos mais ambiciosos (técnica que, mais tarde, dominaria os anos 1980).

TV Basketball é um dos títulos mais inovadores da lista — Foto: Reprodução/GiantBomb

As inovações não passaram despercebidas pelo público. Com 1,4 mil unidades vendidas já em 1974, TV Basketball se tornaria um sucesso de destaque, tendo êxito na tarefa de acabar com a dominância de Pong! e suas cópias. O jogo consistia em partidas por tempo, com times de dois jogadores. A cada adversário, cabia arremessar a “bola” em direção à cesta. Vencia quem terminasse o tempo com mais pontos somados.

8. Gran Trak 10 – 1974

Jogos de corrida não eram novidade, mas Gran Trak 10, da Atari, merece menção por ter sido o primeiro a usar carros em vez de espaçonaves. O gabinete vinha com controles específicos, como volante, câmbio e pedais, que davam mais imersão ao jogador. Embora o design inaugurado no título seja usado até hoje em games de corrida 2D, seus resultados para a Atari foram catastróficos. Isso porque, em 1974, a companhia teve um rendimento financeiro péssimo, sendo Gran Trak 10 o grande culpado pelas perdas.

Gran Trak 10 foi o primeiro jogo de corrida com carros — Foto: Reprodução/blinddog44

Em termos de gameplay, o arcade consistia em um jogo para um único jogador, que devia controlar um carro em uma pista vista de cima. O objetivo era pilotar o veículo, evitando colisões com postes no limite do circuito (representados por pontinhos) e manchas de óleo no asfalto. Versões aprimoradas, com controles mais responsivos e troca de marchas, acabaram reconquistando o público. Por isso, depois de um período de crise, Gran Trak 10 e seus clones firmaram um dos fliperamas mais rentáveis do período.

9. Gun Fight – 1975

Lançado nos Estados Unidos pela Midway (e originário da Taito, no Japão, onde é conhecido como Western Gun), Gun Fight foi o primeiro jogo da história a representar violência gráfica entre humanos. Inspirado na temática de velho-oeste, o game trazia um duelo entre dois pistoleiros armados. Nele, vencia o jogador que fosse mais rápido e preciso. Gun Fight seria a segunda principal máquina de fliperama no ano de 1976, de acordo com o volume de faturamento em fichas.

Gun Fight foi um grande sucesso e o primeiro jogo a representar violência entre humanos — Foto: Reprodução/vghchannel

O gameplay envolvia um cenário fixo, em que obstáculos, como cactos, por exemplo, podiam interceptar tiros e permitir que o adversário escapasse ileso. Quando um personagem era atingido, ele caía no chão, e a mensagem “GOT ME!” (“Me pegou!”, em tradução livre) surgia na tela. Estima-se que Gun Fight tenha vendido mais de 8,6 mil gabinetes apenas nos Estados Unidos.

10. Nurburgring 1 – 1976

Outros games foram lançados em 1975, alguns até antes de Nurburgring 1 – como é o caso de Destruction Derby, por exemplo. No entanto, ainda assim o arcade merece menção, devido à alta dose de inovação que gerou no mercado. Isso porque a máquina, criada na Alemanha por Reiner Foerst, foi o primeiro videogame de corrida em primeira pessoa da história.

Nurburgring 1 é o vovô dos Gran Turismo e Forzas da vida — Foto: Reprodução/Arcade Museum

O curioso é que o Dr. Reiner Foerst não estava tão interessado em criar um jogo, mas sim uma simulação completa da arte de dirigir. Usando hardware simples (o sistema sequer contava com um processador), Nurburgring 1 trazia um painel com velocidade, marcha e distância percorrida, além de controles que usavam volante e pedais. Bem recebido no mercado europeu, o "simulador" daria início a uma série com o mesmo nome, de gráficos cada vez mais complexos.

Com informações de E&T, Oldest, Bespoke Arcades, 80LV, Arcade Historian, GiantBomb, Arcade Museum (1 e 2), ShakeThatButton, Jalopnik e YouTube

TechTudo completa 10 anos: veja o que mudou no mundo da tecnologia e jogos

TechTudo completa 10 anos: veja o que mudou no mundo da tecnologia e jogos

Mais do TechTudo