Por Filipe Garrett, para o TechTudo


Jogos como Diablo 3, No Man’s Sky e Wolfenstein 2 contam com a mecânica de morte permanente. Nesse modo, a dificuldade tende a subir e entra em cena um elemento extra: não há chance de continuar caso você morra ao longo de uma batalha. Em títulos como Don’t Starve, DayZ, Hades, essa característica garante um nível de tensão constante ao gameplay, já que um erro significa a perda de itens, habilidades e todo o progresso realizado. O TechTudo separou sete games de estilos diferentes e que contam com modo permadeath.

Diablo 3, jogo de RPG da Blizzard, tem modo de morte permanente; lista traz games com permadeath — Foto: Reprodução/Eurogamer

Procura um smartphone bom e barato na promoção? Vem ver essa oferta do AliExpress

1. Wolfenstein: The New Colossus

Wolfenstein: The New Colossus conta com modo opcional de dificuldade alta e morte definitiva — Foto: Divulgação/Bethesda

Disponível em PlayStation 4 (PS4), Xbox One, Nintendo Switch e PCs, Wolfenstein 2 (2017) conta com um modo de jogo que emprega a mecânica de permadeath. Batizado de “Mein Leben” (“Minha Vida” em alemão e um easter-egg em referência ao clássico de 1992), a dificuldade é elevada e a morte, definitiva: errar a dose em um dos vários cenários de confrontos com os nazistas do jogo pode levar você de volta ao começo do game.

Como Wolfenstein 2 é um jogo mais difícil do que os games de tiro em primeira pessoa típicos, o desafio é considerável: há diversos momentos do game em que é necessário administrar uma grande quantidade de inimigos na tela – alguns equipados com armas poderosas. O modo Mein Leben acabou famoso porque há um troféu associado e que acaba virando uma pedra no sapato dos jogadores interessados em completar o game.

2. No Man's Sky

Permadeath pode sair caro para quem tem muitas horas investidas em No Man's Sky — Foto: Divulgação/Hello Games

Em uma de suas incontáveis atualizações gratuitas, No Man’s Sky (2016) ganhou um modo de jogo alternativo que oferece a mesma experiência do gameplay de sobrevivência, com o adicional de morte definitiva. No Man’s Sky não é necessariamente um jogo difícil, mas a natureza aleatória dos planetas gerados pelo game pode criar combinações terríveis de ambientes tóxicos o suficiente para surpreender mesmo jogadores experientes.

Como o jogo se desenvolve em torno da ideia de exploração e criação de itens, morrer em definitivo pode ser uma péssima notícia para quem for longe, já que acabará perdendo todo o inventário de objetos, upgrades, bases, cargueiros, veículos e naves. No Man's Sky está disponível para PS4, Xbox One e PCs.

3. Don't Starve

Morte permanente eleva o nível de desafio de Don't Starve — Foto: Divulgação/Klei Entertainment

Um dos primeiros fenômenos do gênero de sobrevivência em mundo aberto, Don’t Starve (2013) é diferente dos jogos anteriores porque o mecanismo de permadeath aqui não é um modo de jogo: ele é o jogo. O objetivo é manter Wilson, o personagem controlado pelo jogador, bem alimentado, saudável e mentalmente estável em um mundo gerado aleatoriamente, cheio de perigos e com recursos escassos.

Don’t Starve não é um jogo fácil, já que equilibra a dificuldade na exploração de recursos, construção de bases e defesas com sorte e azar. Seu sucesso a cada tentativa varia diretamente da proximidade do personagem de recursos úteis. O game é cheio de surpresas, tende a ficar progressivamente mais difícil e morrer depois de algumas semanas de sobrevida no limite não é algo difícil de acontecer. O título está disponível para PlayStation 3 (PS3), PS4, Xbox One, Nintendo Wii U, Android, iPhone (iOS) e PCs.

4. DayZ

Necessidade de encontrar comida, além de zumbis e ataques de outros jogadores tornam a tarefa de nunca morrer quase impossível em DayZ — Foto: Divulgação/Bohemia Interactive

Em 2018, o jogo de sobrevivência em um mundo infestado de zumbis da Bohemia Interactive foi um dos primeiros grandes lançamentos a apostar na mecânica de morte definitiva como um diferencial. Segundo Dean Hall, designer do jogo em entrevista à revista Wired, permadeath faz com que os jogadores usem raciocínio emocional, em vez de lógico, na hora de resolver problemas.

Em DayZ, o personagem pode morrer com facilidade a partir do ataque de zumbis, pela falta de comida e água, ou pelas mãos de outros jogadores em busca de recursos, cenário de conflito bem comum no game. Na lógica do jogo, morrer representa perder não apenas o avatar completamente, mas também todos os itens e recursos carregados pelo personagem, algo que impõe não só um custo emocional à perda, mas também material. DayZ pode ser encontrado para PS4, Xbox One e PCs.

5. Hades

Morte definitiva é um elemento central de Hades — Foto: Divulgação/Supergiant Games

Hades (2020) é uma mistura de RPG de ação com roguelike, onde os jogadores precisam explorar o ambiente para conseguir itens e tem que lidar com morte definitiva. O game funciona com um modo de permadeath que, sem cerimônias, devolve o jogador descuidado de volta ao começo para uma nova tentativa. Porém, mais do que o simples ciclo constante de tentativa e falha, Hades faz da morte permanente um elemento da narrativa, solução criativa que é um dos componentes centrais do grande sucesso do título.

Como há diversos estágios do game em que o jogador deve morrer, a ciência dessas situações acaba se manifestando em diálogos e nas reações que NPCs têm quando reencontram o jogador. Antes de ser uma simples forma de intensificar o desafio do jogo, a ideia de mortes recorrentes e de recomeço o tempo todo são uma forma de Hades contar a sua história. O título conta com versões para Nintendo Switch e PCs.

6. FTL (Faster Than Light)

Faster Than Light é um simulador de nave espacial com morte permanente, que significa perder o avanço — Foto: Divulgação/Subset Games

Simulador de nave espacial, FTL (2012) consiste no controle de uma tripulação e sua nave espacial, encarregada de levar a notícia de um ataque iminente de rebeldes espaciais. Como o jogo é roguelike, os cenários são completamente randômicos e podem misturar ataques, desastres naturais, piratas espaciais e até alienígenas na lista de obstáculos entre o jogador e o objetivo.

Ao longo do gameplay, o jogador é encorajado a fazer upgrades na nave e morrer significa perdê-los, além de toda a tripulação. Bastante desafiador, FTL é um tipo de jogo indicado para quem curte a ideia de morte definitiva e o constante aperfeiçoamento de estratégias, exigidos para se dar bem em um roguelike. O título conta com versões para iOS e PCs.

7. Diablo 3

Modo Hardcore eleva dificuldade, traz morte permanente, mas promete compensar os jogadores com loot melhor — Foto: Divulgação/Blizzard

Semelhante a Wolfenstein 2 e No Man’s Sky, Diablo 3 (2012) conta com um modo de morte permanente. Chamado de “Hardcore”, esse cenário de maior dificuldade impõe o risco constante de permadeath do personagem. Como o game é um RPG de ação, isso significa se despedir completamente do personagem, atributos e equipamento reunidos ao longo de dezenas – ou mesmo centenas – de horas.

O modo Hardcore traz uma dificuldade maior justamente para acentuar o risco da morte permanente ao longo da campanha, mas também tem benefícios: o jogo fica mais generoso com a qualidade dos drops de cada boss derrotado, algo que pode compensar a tensão constante. O RPG da Blizzard está disponível em PS3, PS4, Xbox 360, Xbox One, Nintendo Switch e PCs.

Com informações de WhatCulture, PlayStation, Wired, RedBull e GameRant

Quais são os melhores jogos estilo Diablo para jogar offline? Tire suas dúvidas no Fórum do TechTudo

Cinco games amados pelos fãs, mas que ficaram sem suas continuações

Cinco games amados pelos fãs, mas que ficaram sem suas continuações

Nota de transparência: AliExpress e TechTudo mantêm uma parceria comercial. Ao clicar no link da loja, o TechTudo pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação. Os preços mencionados podem sofrer variação e a disponibilidade dos produtos está sujeita aos estoques.

Mais do TechTudo