Câmeras

Por Lucas Santos, para o TechTudo

Divulgação/Motorola

As câmeras de segurança Wi-Fi são opções interessantes que prometem facilitar a gestão da segurança em casa, ganhando cada vez mais espaço no Brasil. Modelos com conexão sem fio permitem visualizar as imagens em tempo real no celular, agendar horários para ativação, entre outras funcionalidades. Por aqui, Xiaomi, Positivo e Intelbras, entre outras marcas, oferecem diferentes tipos de câmera. Essa última traz opções como a Mibo IC4, com visão 360º, infravermelho e interação por voz, que custa a partir de R$ 299.

Outro destaque da Intelbras é a iM5, com visão noturna de até 30 metros, microfone interno e proteção IP67 contra água e poeira, disponível na Amazon por a partir de R$ 499. O TechTudo preparou uma lista com perguntas e respostas que podem ajudar o usuário na hora de escolher um novo modelo.

Câmera de segurança residencial: entenda sobre homologação da Anatel e veja preços — Foto: Divulgação/Positivo

Como funciona uma câmera de segurança Wi-Fi?

As câmeras de segurança são dispositivos comuns em estabelecimentos e em residências. Com o avanço da tecnologia, alguns dispositivos passaram a trazer suporte a conectividade Wi-Fi, permitindo acompanhar as imagens em tempo real diretamente pelos celulares Android e iPhone (iOS). Usuários também podem parear os dispositivos a serviços de casa conectada e acompanhar tudo por smart speakers com tela, como as Echo Show, e até TVs com suporte à integração.

Câmera de segurança com Wi-Fi tem transmissão em tempo real no smartphone — Foto: Divulgação/Wyze

Essas câmeras de segurança Wi-Fi podem ser conectadas à rede e configurada por aplicativos das respectivas fabricantes. Por meio dos apps, é possível controlar o funcionamento do dispositivo, acompanhar gravações, movimentar a câmera e até conversar com quem está do outro lado, em alguns casos. Essa opção pode ser utilizada, por exemplo, na porta de casa para a comunicação quem chegar, como uma espécie de interfone.

Vale a pena importar? Quais os riscos?

Ao considerar a importação de qualquer produto eletrônico é importante verificar se o dispositivo é homologado pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) para comercialização no Brasil. O processo de homologação de comércio certifica que o produto foi testado pelo órgão e pode ser utilizado no país sem problemas.

Câmera de segurança com áudio: é preciso que o produto seja legalizado pela Anatel — Foto: Divulgação/D-Link

É importante que os consumidores estejam atentos antes de importar câmeras do tipo tanto por conta de riscos à saúde, envolvendo choques elétricos, exposição a campos eletromagnéticos acima dos limites recomendados pela OMS, vazamento de materiais tóxicos e explosões, quanto à segurança. Como são eletrônicos que gravam a todo momento, garantir a proteção dos conteúdos e das informações relacionadas à instalação e ao aplicativo em si é essencial.

De qualquer forma, os usuários devem lembrar que dispositivos do tipo podem estar sujeitos aos valores do ICMS (Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços), que varia em cada estado, despacho alfandegário e frete. Além disso, se a compra for feita com o cartão de crédito, é cobrado o IOF (Imposto Sobre Operações Financeiras) de 6,38%.

3. Porque comprar um produto homologado?

Segundo a própria Anatel, que garante a homologação dos eletrônicos no Brasil, esse processo é a garantia de que os equipamentos eletrônicos foram submetidos a testes para analisar a segurança e os padrões de qualidade estipulados pela empresa.

camera-segurança-intelbras — Foto: Reprodução/Intelbras

A homologação das câmeras de segurança Wi-Fi certifica que os produtos operam em frequências compatíveis com a regulamentação brasileira e que estes não causam interferências em outros serviços de comunicação, como os de controle de tráfego aéreo ou as redes de celulares.

Com isso, ao adquirir câmeras Wi-Fi que não sejam homologadas pela Anatel, o usuário pode comprometer o sinal emitido por outros dispositivos e também prejudicar o sistema de segurança, já que as câmeras podem interferir no sinal do roteador, por exemplo. Além disso, o mesmo também fica sujeito a multas caso de seu produto não homologado interfira em outros sistemas de comunicação.

4. Quais marcas oferecem câmeras do tipo no Brasil?

Câmera de segurança Xiaomi 1080P está à venda no Brasil — Foto: Pedro Vital/TechTudo

Uma das principais marcas que oferece câmeras de segurança Wi-Fi homologadas no Brasil é a Intelbras. Modelos como a iM5, que custa a partir de R$ 499, e a Mibo IC4, no valor de R$ 299, podem ser facilmente encontrados no Brasil.

Outra fabricante brasileira que tem destaque no fornecimento de produtos do segmento de segurança inteligente é a Multilaser. A fabricante oferece produtos com características de entrada, como a Liv SE 223, vista por R$ 178 e modelos mais avançados, como a Liv SE 227, vendida por R$ 849. A Xiaomi também oferece dispositivos do tipo, mas é importante confirmar se o produto da gigante chinesa é oferecido oficialmente pela marca no país.

Casa conectada: 4 lançamentos curiosos

Casa conectada: 4 lançamentos curiosos

Nota de transparência: Amazon e TechTudo mantêm uma parceria comercial. Ao clicar no link da loja, o TechTudo pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação. Os preços mencionados podem sofrer variação e a disponibilidade dos produtos está sujeita aos estoques.

Mais do TechTudo