Sistemas Operacionais
Publicidade

Por Clara Fabro, para o TechTudo

Thássius Veloso/TechTudo

O Android tem várias opções de ajustes de segurança que podem adicionar uma camada extra de proteção aos smartphones. No entanto, há também uma série de configurações que devem ser evitadas para manter seu celular seguro. Deixar o NFC ou Bluetooth ativados o tempo todo, ou permitir a atualização automática de aplicativos, são algumas medidas que podem trazer riscos ao seu smartphone. A seguir, veja cinco ajustes que devem ser evitados em celulares Android por motivos de segurança.

Android: lista traz cinco ajustes para evitar e deixar celular mais seguro; confira — Foto: Luciana Maline/TechTudo

Android não roda Internet no Windows? Veja como solucionar no Fórum do TechTudo.

1. Desativar o bloqueio instantâneo com a tecla liga/desliga

Para proteger o celular de pessoas curiosas ou maliciosas, o primeiro passo é bloqueá-lo com uma senha. Um PIN de quatro dígitos, um padrão de desenho ou um desbloqueio com a digital já são suficientes para proteger o smartphone. Assim, quando a tela do celular desligar, será necessário inserir a senha para poder utilizá-lo.

No entanto, o Android permite configurar para que a tela de bloqueio só apareça alguns segundos depois do display desligar. Desse modo, o celular pode ficar algum tempo desprotegido — o que é potencialmente perigoso. Nesse caso, o ideal é ativar o bloqueio instantâneo de tela, no botão liga/desliga.

Para isso, vá até as configurações do celular e acesse "Tela". Ali, você poderá modificar "Tempo de limite de tela" pelo menor tempo possível. Se houver a opção para bloqueá-lo automaticamente, também é interessante ativá-la para garantir que o celular fique protegido assim que a atividade da tela for suspensa.

Diminua o tempo limite de tela para o menor tempo possível — Foto: Reprodução/Clara Fabro

2. Deixar o NFC ativado o tempo todo

O NFC é uma tecnologia que permite a transferência de dados por aproximação. O recurso pode ser utilizado para efetuar pagamentos ou compartilhar informações entre dois smartphones. A função é frequentemente utilizada como carteira digital para transferir valores entre as carteiras digitais do Google, da Apple e de maquininhas de cartão.

Embora seja uma tecnologia segura e que funciona apenas em distâncias curtas (menores de 10 cm), o NFC, assim como o Bluetooth, pode ser interceptado por pessoas mal intencionadas para corromper os dados compartilhados e até mesmo instalar malwares no celular. Por esse motivo, se o seu smartphone for compatível com a tecnologia, é recomendado deixar o NFC desligado e ativá-lo apenas quando for utilizá-lo.

É recomendado desativar o NFC do celular para evitar possíveis riscos como interceptações por meio da tecnologia — Foto: Divulgação/Samsung

3. Atualizar aplicativos automaticamente

Permitir a atualização automática de aplicativos na Play Store ou App Store pode ser conveniente, já que não é necessário procurar e baixar manualmente as versões mais recentes dos apps. Apesar da praticidade, é recomendado que os updates dos apps sejam feitos pelo próprio usuário, uma vez que as últimas versões podem apresentar bugs ou instabilidades.

O ideal é esperar alguns dias após o lançamento da atualização para baixá-la. Assim, você pode se certificar que outros usuários não tiveram problemas com o update, e que o aplicativo não foi corrompido pela atualização. Embora não seja muito comum, já houve casos de apps famosos que, após um update, se transformaram em adwares, malwares que disparam publicidade agressivamente e podem causar problemas graves, como cliques em links maliciosos.

Por esses motivos, recomenda-se desativar a atualização automática de aplicativos na Google Play Store. Para isso, acesse a loja do Google e toque sobre sua foto, localizada no canto superior direito da tela. Em seguida, toque em "Configurações". Agora, em "Preferências de rede", toque sobre "Atualizar apps automaticamente". Para finalizar, marque a opção "Não atualizar apps automaticamente".

Não permita a atualização automática de apps na Play Store — Foto: Reprodução/Clara Fabro

4. Baixar aplicativos de fontes desconhecidas

O Android permite fazer download de programas de fontes desconhecidas — ou seja, além das aplicações disponíveis na loja oficial, é possível baixar apps em sites e plataformas de terceiros. O procedimento, no entanto, não costuma ser recomendado porque não há verificação de segurança de aplicativos de fontes não-oficiais.

Esses aplicativos podem vir acompanhados de vírus ou malwares, comprometendo a segurança do smartphone. Como esses apps não passam por uma análise ou crivo de proteção comum aos apps da Play Store, não há como aferir a segurança deles. Por isso, é recomendado não baixar programas fora da loja do Google, nem permitir o download de apps de fontes desconhecidas no celular.

Desative a instalação de apps de fontes desconhecidas — Foto: Reprodução/Helito Bijora

5. Permitir preenchimento automático de códigos de verificação por SMS

Permitir o preenchimento automático de códigos de verificação recebidos por mensagens pode trazer mais praticidade no Android. No entanto, algumas questões de segurança podem ser burladas com essa opção por meio de phishing. Esse golpe rouba códigos de segurança de dupla verificação, por exemplo, que são amplamente utilizados em apps de mensagens, plataformas de e-mail e até em sites de Internet Banking, e conseguem acesso a esses aplicativos.

Nesse sentido, é recomendado não permitir o preenchimento automático dos códigos recebidos por SMS a partir das opções de desenvolvedor do Android, ou pelas configurações da conta Google.

Android permite definir preenchimento automático de SMS — Foto: Reprodução/TechTudo

Com informações de MakeUseOf (1,2 e 3), Ranking Concepts, PSafe, GottaBeMobile, OneSpan e 9to5Google

NOVO ANDROID 12 - CONHEÇA AS NOVIDADES!

NOVO ANDROID 12 - CONHEÇA AS NOVIDADES!

Mais do TechTudo