Redes sociais
Publicidade

Por Carol Fernandes, para o TechTudo


O LinkedIn é a plataforma ideal para quem deseja estabelecer conexões com o mundo corporativo e conseguir emprego. O site, que foi considerado uma das redes sociais mais seguras da atualidade, abrange quase 800 milhões de usuários em busca de networking e colocação profissional.

Comprado pela Microsoft em 2016, o LinkedIn é gratuito, mas oferece uma versão premium com funcionalidades que ajudam profissionais a conquistarem vagas no mercado de trabalho. Na lista a seguir, confira cinco curiosidade sobre o LinkedIn.

O que significa LinkedIn? Rede social corporativa abrange quase 800 milhões de usuários — Foto: Divulgação/LinkedIn

LinkedIn: como configurar meu perfil? Participe no Fórum do TechTudo

1. Origem da rede social e do nome LinkedIn

Antes de idealizar o LinkedIn, Reid Hoffman, cofundador da rede social corporativa, criou um aplicativo chamado "Socialnet". Por meio da conexão entre pessoas, o app buscava incentivar o networking profissional, promover namoros online e reunir colegas próximos. Acontece que a falta de um objetivo principal impediu que o projeto de tornar a rede social famosa e abrangente deslanchasse.

Lançada em 2003, o LinkedIn é a maior rede social corporativa do mundo — Foto: Divulgação/LinkedIn

Anos depois, Hoffman decidiu lançar o LinkedIn, uma rede social totalmente focada em conexões profissionais. Baseada em networking e atrelada aos contatos comerciais, a plataforma permite que o usuário se conecte à sua rede profissional, proporcionando um maior acesso às oportunidades existentes no mercado. O nome da rede social traduz bem essa proposta: "linked" significa "conectado", e "in" abrevia a palavra "into" (a), em português.

2. Estatísticas sobre contratação e busca de emprego

O LinkedIn conta com mais de 774 milhões de membros. Semanalmente, cerca de 40 milhões de pessoas acessam o site em busca de uma vaga de trabalho. A rede recebe 81 candidaturas de emprego a cada segundo, chegando a aproximadamente 210 milhões por mês.

LinkedIn vagas: rede social permite que os usuários se candidatem a diversas oportunidades de emprego — Foto: Carolina Ochsendorf/TechTudo

Os números de contratação também são altos. A cada quatro minutos, uma pessoa é contratada por meio do LinkedIn. Em setembro de 2020, a rede social anunciou a criação de uma nova campanha para auxiliar os candidatos que buscam novas oportunidades. Desde então, candidatos que estão a procura de emprego podem colocar a hashtag '#OpenToWork' no perfil.

3. O engajamento no LinkedIn pode quintuplicar com o uso de mídias

Quando o assunto é engajamento, o algoritmo do LinkedIn não deixa a desejar. Segundo estatísticas divulgadas pela própria rede, as publicações com imagens podem receber duas vezes mais comentários. Colagens personalizadas com três ou quatro imagens em uma mesma publicação apresentam uma performance ainda melhor.

O que é LinkedIn: a rede social apresenta ótimo engajamento nas publicações compostas por mídias — Foto: Paulo Alves/TechTudo

Caso você queira alcançar um número maior de usuários, o ideal é investir em vídeos. Dados fornecidos pelo LinkedIn mostram que o engajamento em publicações com esse tipo de mídia pode ser cinco vezes maior do que em um post tradicional. Além disso, vídeos ao vivo chegam a aparecer 24 vezes mais na rede social.

4. LinkedIn é apontado como rede social mais confiável

De acordo com a Insider Intelligence, empresa que estuda a indústria de mídia, publicidade e marketing, o LinkedIn está em primeiro lugar quando o assunto é confiança na segurança de dados. Uma pesquisa realizada pela entidade mostra que 73% dos usuários do LinkedIn nos Estados Unidos concordam que a plataforma protege sua privacidade e informações. Logo após o LinkedIn aparecem Pinterest, Snapchat e Reddit. O Facebook figura em último lugar.

Como usar LinkedIn? Segundo usuários, a rede social é a mais confiável para obter um emprego — Foto: Rodrigo Fernandes/TechTudo

5. LinkedIn é a rede social mais velha da atualidade

O LinkedIn foi lançado em maio de 2003, nove meses antes do Facebook. Isso a torna a rede social "mais velha" da atualidade. Ao longo dos anos, a plataforma se tornou o maior serviço de nuvem profissional com foco em empregos do mundo. Em dezembro de 2016, a Microsoft adquiriu a rede social para gerir seus recursos.

Com informações de Rewind&Capture, LinkedIn e BusinessInsider

Veja também: como achar grupos de emprego no WhatsApp com plugin para Chrome

Como achar grupos de emprego no WhatsApp com plugin para Chrome

Como achar grupos de emprego no WhatsApp com plugin para Chrome

Mais do TechTudo