Por Vitória Bernardes, para o TechTudo


Comprar um eletrônico usado pode ser vantajoso para quem procura produtos mais baratos. Porém, é importante que os consumidores se atentem sobre a procedência do aparelho e o estado em que ele se encontra.

É fundamental conferir se o site ou vendedor particular é de confiança e se as informações anunciadas condizem com o item, por exemplo. Quanto maior for a precaução, mais segura será a compra. Por isso, o TechTudo separou uma lista com oito dicas de cuidados antes de comprar qualquer eletrônico usado.

Aplicativos para venda de objetos usados são uma opção para quem quer comprar com preços reduzidos, mas é preciso tomar alguns cuidados — Foto: Helito Beggiora/TechTudo

1. Procure a reputação do vendedor

Os e-commerces que revendem produtos usados disponibilizam avaliações e comentários sobre cada vendedor. Com as informações, deve ser mais fácil identificar quando a pessoa é de confiança ou quando o item em segunda mão não vale a pena comprar. Sites como OLX e Mercado Livre oferecem este recurso que ajuda bastante na avaliação inicial.

Caso o vendedor esteja na sua primeira postagem, os clientes conseguem verificar as informações pessoais para tentar identificar se vale a pena arriscar ou não. Nesta situação ou em caso de compras particulares, é necessário seguir outros critérios, como indicações de amigos, para avaliar se realmente é uma compra de confiança.

OLX oferece possiblidade de ver a reputação do vendedor — Foto: Caroline Parreiras/TechTudo

2. Encontre o vendedor em um local público

Ao fechar negócio e finalizar a compra, combine de encontrar com o vendedor em locais públicos. Poucos fazem o envio da mercadoria devido aos valores altos dos fretes, preferindo entregar pessoalmente. Na ocasião, opte por praças, shoppings, zonas comerciais ou outros lugares movimentados.

Evite passar o seu endereço pessoal para a entrega. Além de ser uma decisão arriscada, já que o dono do eletrônico geralmente não é uma pessoa conhecida, pode ser difícil até mesmo para o deslocamento do vendedor. O ideal é optar por uma região de fácil acesso e segura para os dois.

É essencial encontrar com o vendedor em lugares públicos — Foto: Daniel Dutra/TechTudo

3. Teste o item

Mesmo que o eletrônico aparente estar em boas condições, nunca deixe de testá-lo. O estado de conservação por fora nem sempre indica que as peças internas funcionam normalmente. Se for algum aparelho com conexão à internet, a primeira etapa é verificar se o Wi-Fi não está com nenhum problema e se consegue identificar as redes mais próximas.

É importante também averiguar se o aparelho apresenta algum travamento. Se for um smartphone, pergunte ao vendedor se pode baixar um aplicativo de teste. Em caso de lentidão, verifique se o eletrônico tem configurações que justifiquem a característica ou se pode ser alguma avaria.

Teste o item antes de finalizar qualquer compra — Foto: Thássius Veloso/TechTudo

4. Verifique o IMEI dos smartphones

Os smartphones são acompanhados de uma numeração chamada IMEI. A sigla vem do inglês “International Mobile Equipment Identity” ("Identidade Internacional de Equipamento Móvel", em tradução livre), que representa um código que todo celular possui. O número é uma forma que a Anatel utiliza para registrar cada aparelho fabricado e controlar aqueles que circulam pelo país.

É importante verificar o IMEI do smartphone, pois em casos de roubo, o verdadeiro dono pode repassar o código para polícia e bloquear o celular. Além disso, é recomendado consultar se existe algum impedimento legal contra o telefone.

É possível descobrir o IMEI do celular pela caixa do smartphone — Foto: Wallace Nascimento/TechTudo

5. Formate, sempre

Quando a compra for realizada, formate o aparelho assim que estiver com ele em mãos. Pode acontecer do antigo dono deixar aplicativos e programas com contas abertas, fotos salvas no Google Fotos, formas de pagamento atreladas aos sites, entre outras situações.

Fique atento também às informações de login, endereço e pagamento em lojas de aplicativos, como Google Play Store e Apple Store. Como se tratam de bens pessoais, é importante apagar tudo caso o antigo proprietário ainda não o tenha feito. A formatação também é essencial para deixar o eletrônico mais rápido. Muitas vezes o eletrônico pode apresentar lentidão quando o armazenamento está cheio.

Formatar o aparelho é importante para tirar todas as contas antigas e deixar o eletrônico mais rápido — Foto: Melissa Cruz/TechTudo

6. Exija a nota fiscal

Para ter certeza sobre a procedência do aparelho, exija do vendedor a nota fiscal. Mesmo que o eletrônico seja usado, muitas pessoas guardam a documentação na forma física ou virtual para garantir trocas e reparos em lojas autorizadas. O papel também é uma forma de comprovar a origem legal do eletrônico, sem que o comprador se preocupe em ser um aparelho roubado ou fruto de contrabando.

Caso o vendedor não possua mais a nota, muitas vezes é possível solicitar uma segunda via pela internet. Para isso, ele deve acessar o site da empresa onde comprou o eletrônico e fazer o pedido da nova emissão. Grandes marcas como Samsung, LG ou até mesmo Apple oferecem esta opção.

É possível tirar segunda via de nota fiscal pela Internet — Foto: Ana Letícia Loubak/TechTudo

7. Compare o preço e desconfie

Avaliar o preço é uma forma de entender se o eletrônico realmente é de procedência confiável. Quando o valor está muito abaixo do mercado, geralmente os aparelhos vêm com algum tipo de avaria. Se não for o caso, o vendedor precisa explicar o porquê do preço tão fora da curva. Quando não houver nenhuma justificativa, desconfie.

Antes mesmo de se encontrar pessoalmente, converse com o vendedor e veja se a média de preço bate com a de outros itens semelhantes e com o mesmo período de uso vendidos no mercado.

Sempre faça a comparação do preço antes de finalizar a compra — Foto: Marvin Costa/TechTudo

8. Só pague depois de confiar

É importar só realizar o pagamento assim que certificar que o aparelho está nas condições combinadas previamente. Caso haja qualquer inconsistência, converse com o vendedor e pague assim que o problema for resolvido. É importante também guardar as trocas de mensagens por WhatsApp, e-mail e outros meios de comunicação. Qualquer prova registrada pode servir em caso de ação judicial se ocorrer algum problema.

No entanto, caso todos os oito passos da lista forem seguidos, é improvável que seja necessário recorrer a este tipo de ajuda. Com os cuidados necessários, os eletrônicos usados podem ser uma boa alternativa de compra para quem deseja economizar.

Após confirmar todas as informações, faça o pagamento — Foto: Pond5

6 fatos sobre o iPhone 13! Preços, novidades e tudo que você precisa saber!

6 fatos sobre o iPhone 13! Preços, novidades e tudo que você precisa saber!

Mais do TechTudo