Por Filipe Garrett, para o TechTudo


A origem da Black Friday é bastante interessante. O termo é antigo, mas nem sempre foi usado para se referir ao dia de promoções e ofertas realizado anualmente no fim de novembro. Nascida no século XIX, a expressão "Black Friday" foi usada pela primeira vez para marcar uma sexta-feira negativa para o mercado financeiro. Foi só a partir da década de 1980 que o termo começou a ser utilizado pelo setor comercial, com o sentido que conhecemos hoje.

Não há dúvidas sobre a importância da Black Friday para o comércio — o evento reuniu R$5,1 bilhões em vendas em 2020. O que muitos desconhecem, porém, é a existência de iniciativas para conscientizar parte da população em relação ao consumismo desenfreado impulsionado pelo evento. O TechTudo lista, nas próximas linhas, essa e outras curiosidades sobre a Black Friday, que acontece na próxima sexta-feira (26).

Black Friday 2021: lista apresenta curiosidades sobre o evento — Foto: Carol Fernandes/TechTudo

Como comprar em lojas na Black Friday? Participe no Fórum do TechTudo

1. O termo 'Black Friday' era originalmente associado a crises no mercado financeiro

A origem do termo "Black Friday" está associada a um episódio ocorrido em 1869, quando dois homens tentaram aplicar um golpe para lucrar sobre o mercado de ouro dos Estados Unidos. A ação falhou, mas teve um impacto profundo no mercado, causando diversos colapsos e perdas milionárias em uma sexta-feira.

A imprensa acabou se encarregando de espalhar o termo “Black Friday”, que então passaria a simbolizar um dia de catástrofe na bolsa e no mercado financeiro. Em inglês, “Black” é preto, e “Friday” significa sexta-feira.

Black Friday nem sempre esteve associada com compras de fim de ano e grandes promoções — Foto: Filipe Garrett/TechTudo

Em uma interpretação mais contemporânea, o termo também tem vínculo com os registros contábeis das lojas. No tempo em que as informações eram registradas em papéis, o vermelho simbolizava prejuízo e perdas, mas quando substituído pela tinta preta, marcava o lucro causado pelo aumento expressivo das vendas por conta da chegada das compras de fim de ano.

2. Origem da Black Friday

Entre os anos de 1950 e 1960, a polícia da cidade de Filadélfia, nos Estados Unidos, começou a denominar uma sexta-feira seguinte ao Dia de Ação de Graças, data comemorativa bastante importante na cultura norte-americana, como “Black Friday”.

O termo carregava uma conotação mais negativa: ele servia para marcar o dia de crise causado pelo grande influxo de turistas na cidade, gerado por conta de um jogo de futebol americano entre equipes da marinha e do exército. Mas a visita dos turistas não provocava apenas aumento no número de ocorrências e problemas de trânsito: eles também estavam em busca de bons negócios no comércio local.

Black Friday passou a ser associada a compras de fim de ano na década de 1980 — Foto: TechTudo

Percebendo que a data era importante para os negócios, os comerciantes de Filadélfia tentaram cunhar o termo “Big Friday” naquela época. A “Grande Sexta-feira”, em tradução livre, acabou não se popularizando.

Em meados da década de 1980, os comerciantes americanos passaram a empregar o termo com uma conotação mais positiva. A partir de então, a tradição de ofertas na última sexta-feira de novembro passou a ser comum no país, servindo como ponto de partida para as compras de fim de ano.

3. Movimento #OptOutside

Em 2015, uma cadeia de lojas americanas criou uma campanha chamada #OptOutside. A iniciativa convidava os clientes a evitar o caos gerado pelas compras realizadas na Black Friday e optar por passar o dia em contato com a natureza. Mais do que isso, as lojas deram o exemplo: passaram a fechar todas as suas unidades na sexta-feira, não processando nenhuma compra online e oferecendo folga remunerada a todos os 12 mil funcionários.

Movimento convida consumidores a ficarem longe das compras e curtirem a natureza durante Black Friday — Foto: Europa Press News/Getty Imagens

A ideia conquistou o apoio de outras lojas e organizações, e persiste ainda hoje como um movimento que incentiva o público a evitar o consumismo desenfreado. Em edições mais recentes, houve convites a ações paralelas, como contribuir para limpar parques, praias, áreas de mata e espaços públicos.

4. Black Friday 2020 concentrou maior volume de vendas já registrado no Brasil em todos os tempos

Mesmo conturbado pela pandemia, o ano de 2020 registrou um recorde em termos de volume de vendas na Black Friday, segundo números da Neotrust/Compre&Confie. As estimativas são de que o evento realizado no ano passado representou um crescimento de 31% frente à edição 2019, contabilizando um total em vendas de mais de R$ 5,1 bilhões. O ticket médio também cresceu, batendo R$ 668,70, valor 5,1% maior do que em 2019.

Black Friday: 2020 configurou o melhor ano do evento no Brasil — Foto: Reprodução/Paulo Alves

Fatores como restrições de circulação de pessoas podem explicar o grande volume de compras online no período. Além disso, o amadurecimento da relação entre consumidores e lojistas, com realização de iniciativas para coibir "promoções pela metade do dobro" também contribuem para o resultado final encontrado na Black Friday 2020.

5. A 'pior Black Friday da história' aconteceu em 2008

O ano de 2008 foi marcado por uma grave crise no mercado financeiro que teve repercussões na economia mundial: nos Estados Unidos, muita gente perdeu emprego e, no geral, o varejo tinha expectativas bem sombrias em relação às vendas de fim de ano.

No fim das contas, o volume acabou superando expectativas e a Black Friday 2008 registrou cerca de US$ 10 bilhões em vendas, resultado muito expressivo no contexto de um ano de grande recessão econômica.

Black Friday 2008 teve episódios de violência durante a realização do evento — Foto: Chesnot/Getty Images

Entretanto, o dia de promoções e frenesi consumista acabaria marcado negativamente por uma série de episódios. Em um deles, um funcionário da Walmart acabou perdendo a vida ao ser pisoteado pela massa de consumidores, que, esperando a abertura da loja, invadiram o espaço assim que as portas foram abertas.

Numa unidade da Toys-R-Us, loja de brinquedos famosa em todo os Estados Unidos, dois homens acabaram sacando armas e matando um ao outro. Tudo começou com uma confusão entre duas mulheres, ligadas aos dois atiradores. Eles sacaram as armas, trocaram tiros e correram pela loja até que sucumbissem pelos ferimentos.

Veja também: conheça os vencedores do prêmio melhores do ano TechTudo 2021

Conheça os vencedores do prêmio melhores do ano TechTudo 2021

Conheça os vencedores do prêmio melhores do ano TechTudo 2021

Mais do TechTudo