Publicidade

Por Filipe Garrett, para o TechTudo


Hollow Knight, Hades, Life is Strange e Cuphead são jogos que conquistaram a crítica e uma grande base de fãs. O que nem todos sabem, no entanto, é que esses games são exemplos de jogos indie, ou seja, desenvolvidos por estúdios menores, com menos recursos financeiros e maior liberdade criativa. Alguns títulos independentes fazem tanto sucesso que fica fácil esquecer suas origens modestas, em alguns casos colecionando prêmios importantes e até mesmo dando origem a novos gêneros.

Disco Elysium , por exemplo, foi criado por um escritor estoniano. Celeste foi desenvolvido por apenas duas pessoas e Among Us demorou anos para se tornar um game conhecido, mas já virou inspiração para diferentes títulos atualmente. Pensando nisso, o TechTudo fez uma lista com 10 jogos famosos que são indies e muitas pessoas não sabem. Confira a seguir:

Hollow Knight segue a fórmula "metroidvania" e chama a atenção pela dificuldade — Foto: Divulgação/Team Cherry

Hollow Knight é um jogo indie de aventura da Team Cherry no estilo metroidvania side-scroll de 2017 que foi muito bem recebido por crítica e jogadores. Nele, os jogadores assumem o papel de um um pequeno cavaleiro que se depara com uma cidade que sofre com uma infecção misteriosa. Reconhecido pela alta dificuldade e elogiado pelo combate, gameplay, história e universo rico em que a aventura se passa, Hollow Knight vendeu mais de três milhões de cópias até dezembro de 2020. No Metacritic, o jogo tem avaliação em 85 pontos pela crítica e de 100 pontos pelos jogadores.

O jogo venceu alguns prêmios em competições regionais e apareceu entre os finalistas da categoria de Melhor Jogo Indie de Estreia na edição de 2017 do The Game Awards, evento conhecido como o “Oscar da indústria dos games”. Com pacotes DLC disponíveis e uma continuação já confirmada, Hollow Knight está disponível para PCs, PlayStation 4 (PS4), Xbox One e Nintendo Switch.

Celeste recupera arte de games antigos e narra história complexa — Foto: Reprodução/Felipe Vinha

Idealizado por Maddy Thorson e programado em conjunto com Noel Berry, Celeste é um game indie de aventura em 2D que conta a história de uma garota chamada Madeline em sua jornada para subir uma montanha. Mas, para isso, ela precisa encarar seus demônios. Grande sucesso de 2018, o jogo entrou na lista de melhores do ano de muita gente e é reconhecido até hoje por conta da gameplay desafiadora, trilha sonora e história carregada de emoção.

Disponível para PCs, PS4, Xbox One e Nintendo Switch, o título superou a casa de 1 milhão de cópias vendidas ainda em 2019. Entre as premiações de destaque, o game foi finalista na categoria de “Melhor do Ano” e “Melhor Música” no The Game Awards de 2018 e saiu vitorioso nas categorias de “Melhor Jogo Independente do Ano” e em “Jogos de Impacto”.

Hades é um grande sucesso do gênero roguelike — Foto: Divulgação/Supergiant Games

Hades é um rogue-like inspirado na mitologia grega que apareceu em 2020 para PC e Nintendo Switch. Posteriormente, o game ganhou versões para PS4, PS5 e plataformas Xbox One e Xbox Series X/S. No game, o jogador assume o papel de Zagreus, que quer escapar do submundo e, para isso, terá de desafiar o próprio Deus da Morte.

Concorrente na categoria de "Jogo do Ano" no The Game Awards, o título da Supergiant Games já soma mais de 1 milhão de cópias vendidas e foi elogiado por conta de aspectos como direção de arte e história, além de implementar o estilo rogue-like.

Hades venceu as categorias de “Melhor Indie” e “Melhor Ação” do The Game Awards de 2020. Já no Metacritic, as médias agregadas do título o colocam entre um dos melhores jogos da última década: a pontuação chega a 93 na avaliação da mídia especializada e a 100 – nota máxima – no critério popular, e isso tudo independente da plataforma.

O charme da direção de arte de Cuphead atraiu muita gente e deu espaço até ao surgimento de uma série de animação na Netflix — Foto: Reprodução/Rafael Monteiro

Cuphead, título feito pelo Studio MDHR, é um sucesso de crítica e público desde seu lançamento como exclusivo para PCs e Xbox, ainda em 2017. Famoso pela direção de arte que recupera o traço de animações clássicas e pela jogabilidade com grande nível de dificuldade, o jogo indie já soma mais de três milhões de cópias vendidas. O game acabou ganhando versão para Nintendo Switch, PS4, PS5 e até mesmo baseou uma série de animação disponível na Netflix.

No game, os jogadores acompanham as aventuras dos irmãos Cuphead e Mugman, que perderam uma aposta com o diabo e precisam recuperar suas almas. A mistura de uma estética única com gameplay que recompensa precisão e memória fazem do título algo especial e sem muito paralelo de comparação. Em termos de premiações, Cuphead faturou 17 prêmios de destaque no ano de lançamento. Os mais importantes deles são “Melhor Direção de Arte” e “Melhor Indie” na edição de 2017 do The Game Awards.

Among Us era um game praticamente anônimo até 2020 — Foto: Reprodução/PlayStation

Among Us tem uma particularidade na comparação com os jogos listados até aqui: em vez de se tornar um sucesso instantâneo, o game precisou de um tempo para conquistar o público e virar uma febre. Disponível originalmente para Android, iPhone (iOS) e PCs, a criação da InnerSloth LLC tem gráficos simples e um multiplayer cuja missão é descobrir quem é o tripulante impostor em uma nave espacial.

O título indie começou a se destacar apenas em 2020, quando streamers do Brasil e da Coreia do Sul começaram a dar espaço ao game em seus canais. Com o confinamento por conta da pandemia e a interação simples e acessível mesmo em celulares baratos, o título acabou virando febre. “Melhor Jogo Mobile” de 2020, Among Us já vendeu mais de 15 milhões de cópias, considerando apenas PCs e tem hoje edições para consoles PS4, PS5, Xbox One, Xbox Series X/S e Nintendo Switch.

Stardew Valley mostra que não é preciso qualidade cinematográfica para contar histórias e envolver jogadores — Foto: Reprodução/Tais Carvalho

Stardew Valley pode enganar com a apresentação simples dos gráficos estilo retrô. No entanto, por trás da estética, funciona um RPG de simulação ambicioso em que o jogador experimenta uma jornada sem fim definido. O jogo começa com a tarefa de recuperar uma fazenda e permite que o usuário plante, crie, explore, comercialize sua produção e interaja com NPCs, inclusive podendo casar e ter filhos.

Muito bem recebido no lançamento para PCs em 2016, o jogo indie vendeu 400 mil cópias em apenas duas semanas no mercado, criando uma legião de fãs. O interesse público foi tanto que incentivou o surgimento de edições para celulares e consoles. Hoje, o título também está disponível para PS4, PS5, Xbox One, Xbox Series X/S , Nintendo Switch, Android e iPhone (iOS). Em termos de reconhecimento da mídia, Stardew Valley apareceu como finalista em várias premiações naquele ano e estima-se que já tenha totalizado mais de 15 milhões de cópias comercializadas.

Outlast não é um jogo para quem tem medo do escuro — Foto: Divulgação/Sony

Outlast é um jogo de terror em primeira pessoa que se destacou no início da geração de PS4 e Xbox One. Apontado como “O Melhor da E3” em 2013, o título foi elogiado pela atmosfera, elementos usados para criar um universo aterrorizante e pela gameplay. O jogo da Red Barrels acabou sendo um grande sucesso de crítica e público, o que incentivou o lançamento de Outlast 2 em 2017.

No game indie, o jogador controla as ações de um jornalista que vai até um hospital psiquiátrico alvo de várias denúncias e episódios misteriosos. Os cenários assustadores, os ambientes escuros e a vulnerabilidade do jogador, que tem apenas uma câmera filmadora como "arma", fez com que o título assombrasse muitas pessoas. O título está disponível para PS4, PS5, Xbox One, Xbox Series X/S , Nintendo Switch e Android.

Inside, assim como Limbo, usa uma gameplay que brinca com a ideia de luz e sombra — Foto: Divulgação/Playdead

Limbo e Inside são games indie de quebra-cabeça e plataforma em 2D criados pela Playdead. Os dois games constroem um ambiente opressivo em que a história e o desfecho da narrativa ficam abertos a teorias. Em termos de apresentação, os dois jogos usam com maestria efeitos de luz, sombra e contraste para encaminhar o jogador no cenário e para contar uma história sem cenas e diálogos.

Limbo, o mais antigo dos dois, apareceu no Xbox 360 e foi um dos jogos digitais mais vendidos da plataforma no ano de estreia. Já Inside, de 2016, venceria como “Melhor Direção de Arte” e “Melhor Indie” no The Game Awards no mesmo ano, além de ter colecionado uma enorme lista de nomeações e vitórias em outras premiações de destaque. O game bateu de frente com títulos como Horizon Zero Dawn e The Legend of Zelda: Breath of the Wild, entre outros.

Hoje em dia, ambos estão disponíveis para PS4, PS5, Xbox One, Xbox Series X/S , Nintendo Switch, iPhone (iOS) e PCs. Limbo também tem versões para PS3 e PS Vita, além do Xbox 360.

Life is Strange conta história com mistério e ficção científica — Foto: Reprodução/Microsoft Store

Life is Strange é uma série de games no estilo aventura, com elementos que remontam aos tradicionais “point-and-click” e que conquistou fãs por conta da narrativa envolvente e da trilha sonora. No game, o jogador assume o papel de Max Caughfield, uma garota que descobre que tem o poder de voltar no tempo ao tentar impedir que sua melhor amiga de infância, Chloe Price, seja baleada.

Distribuídos em formato episódico, o primeiro game da série saiu em 2015 para PS3, PS4, Xbox One, Xbox 360 e PCs. Depois dele, foi lançado o prequel Life is Strange: Before The Storm, a sequência Life is Strange 2 e, mais recentemente, Life is Strange: True Colors, em 2021, além de um remaster do título original.

Os jogos da série são bem avaliados no Metacritic, com médias altas tanto de público como no critério da mídia. Em relação aos prêmios, o primeiro título da série levou o de “Melhor Jogo de Impacto” em 2015 (feito repetido por Life is Strange: True Colors em 2021), além de ter sido finalista em categorias de melhor performance e narrativa. O game está disponível atualmente para Android, iPhone (iOS) e PCs.

Disco Elysium é um jogo de aventura e RPG no qual jogadores precisam resolver um assassinato através de diferentes abordagens — Foto: Reprodução/ZA/UM

Lançado em 2019 pela ZA/UM, Disco Elysium, é um RPG com narrativa que gira em torno de temas maduros e que discutem a realidade atual. Criado com uma perspectiva que remonta a antigos games isométricos, Disco Elysium apresenta uma estética bem própria, evocando pinturas a óleo, bastante diálogo, construção de personagens e interação do jogador com a história. No game, o jogador assume o papel de um detetive que buscar desvendar os mistérios de uma cidade interrogando seus habitantes e analisando os locais.

Criação original para PCs, o game indie acabou conquistando crítica e público, o que o levou às adaptações para consoles. Com avaliação 91 no Metacritic, o jogo enfileirou prêmios em 2019: “Melhor Narrativa”, “Melhor Jogo Independente”, “Melhor RPG” e melhor jogo indie inédito no The Game Awards, além de uma série de nomeações e vitórias em outras premiações de destaque. O título está disponível para PS4, PS5, Xbox One, Xbox Series X/S , Nintendo Switch , além dos PCs.

Mais do TechTudo