Publicidade

Por Róbson Martins, para o TechTudo


A viagem no tempo é retratada de diversas maneiras na ficção e, muitas vezes, é um recurso utilizado para criar histórias emocionantes e reflexivas. Não à toa, a temática está presente em jogos que são sucessos de crítica e público, como o clássico Chrono Trigger, Life is Strange e Deathloop, que se aproveitam do assunto tanto no enredo quanto para inovar na gameplay. Esses títulos, porém, não são os únicos a usar o conceito para desenvolver histórias e mecânicas criativas e mirabolantes. Pensando nisso, o TechTudo criou uma lista com games sobre o tema que você precisa conhecer. Confira:

Life is Strange é um clássico quando o assunto é viagem no tempo — Foto: Divulgação/Steam

👉 Quais os games com melhor história? Comente no Fórum TechTudo

The Legend of Zelda: Ocarina of Time (1998) é o primeiro título com gráficos 3D da aclamada e revolucionária série de aventura e RPG. O jogo conta a jornada do jovem Link, que deve obter o poder da lendária Triforce para resgatar a Princesa Zelda das garras do maléfico Ganondorf. Com a ajuda de muitos aliados e do artefato conhecido como "Ocarina do Tempo", o herói enfrentará calabouços no presente e no futuro para salvar o Reino de Hyrule.

Originalmente lançada para Nintendo 64, a obra ganhou uma versão remasterizada para o console portátil Nintendo 3DS em 2011. Atualmente, o game está no catálogo do serviço Nintendo Switch Online, programa que oferece benefícios a usuários do console por R$ 20 mensais.

The Legend of Zelda: Ocarina of Time é considerado um dos melhores jogos da história — Foto: Divulgação/Nintendo

Day of the Tentacle é um clássico lançado pela LucasArts (The Secret of Monkey Island) em 1993. Como uma sequência do clássico Maniac Mansion, a aventura traz elementos de quebra-cabeça aliados à mecânica de point and click. Na trama, um grupo de três amigos tentam usar uma máquina do tempo para impedir um tentáculo mutante roxo de dominar o planeta.

Após falharem, cada membro fica preso em um período distinto e tem que achar, por conta própria, uma maneira de escapar e deter o monstro. A versão remasterizada do jogo pode ser encontrada para PS4, PS5, Xbox One, Xbox Series X/S, iOS, Mac, Linux e PC via GOG e Steam por R$ 27,99.

O remaster de Day of the Tentacle foi lançado em 2016 com gráficos atualizados — Foto: Reprodução/Steam

Life is Strange (2015) é uma aventura da Dontnod Entertainmet dividida em cinco capítulos que segue o modelo de "escolha e consequência", famoso graças à Telltale Games (The Walking Dead). Vencedora do BAFTA Games Awards 2016, a história acompanha a vida de Max Caulfield, uma estudante de fotografia que descobre que é capaz de alterar passado, presente e futuro ao salvar a melhor amiga, Chloe Price.

Juntas, as meninas investigam o desaparecimento enigmático de outra estudante e percebem que manipular o tempo pode gerar graves consequências. O título está disponível para Nintendo Switch, PS4, PS5, Xbox One, Xbox Series X/S, Mac, Linux, PC, Android e iPhone (iOS).

Life is Strange traz uma narrativa profunda e reflexiva ao tratar de temáticas como destino e efeito borboleta — Foto: Divulgação/Steam

Prince of Persia: The Sands of Time (2003) é um jogo eletrônico de ação em terceira pessoa desenvolvido pela empresa Kudosoft em parceria com a Ubisoft. No game, o jogador assume o papel do príncipe do Império Persa em posse de uma antiga adaga cujo poder permite ao portador reverter o tempo. Com a ajuda do artefato, é preciso saltar por labirintos, ultrapassar obstáculos e superar inimigos para salvar o reino do ardiloso conselheiro Vizier.

Vale lembrar que o título está indisponível para os consoles da nova geração, como o Xbox Series X/S e o PS5, mas um remake está em produção no momento. Lançado originalmente para PS2, Prince of Persia: The Sands of Time pode ser jogado no PC, custando R$ 29,99 no Steam e na Ubisoft Store.

Prince of Persia: The Sands of Time mescla fases de exploração e de combate em terceira pessoa — Foto: Divulgação/Steam

Desenvolvido pela Arkane Studios e publicado pela Bethesda Softworks (Doom Eternal), Deathloop (2021) é um shooter em primeira pessoa que mistura elementos do gênero de ação e mecânicas de looping. O título coloca o jogador no papel de Colt, um assassino preso em uma distorção temporal cuja missão é eliminar oito alvos na ilha de Blackreef durante um período de 24 horas. Caso falhe, todo o progresso será perdido, sendo necessário usar o conhecimento adquirido no ciclo anterior para tentar novamente. Até agora, o jogo só chegou para PS5, por R$ 299,90, e PC, saindo a R$ 249,95 no Steam.

Em Deathloop, o jogador aprende a cada derrota graças à mecânica de looping — Foto: Reprodução/Steam

Chrono Trigger (1995) é considerado um dos melhores RPGs já lançados para videogames, desenvolvido pelos criadores de Dragon Quest, de Final Fantasy e de Dragon Ball. A trama segue o protagonista Crono e seus amigos em viagens por várias eras para evitar que Lavos destrua o mundo e grande parte da humanidade. Para isso, será preciso derrotar inimigos que residem em cavernas pré-históricas, castelos medievais e galerias subterrâneas pós-apocalípticas.

O game da Square Enix tem 13 finais, destravados conforme suas ações ao longo do percurso, e conta com versões para Nintendo DS, SNES, Wii, PS1 e outras plataformas. Atualmente, pode ser baixado em celulares Android ou iPhone (iOS), PC, via Steam, e Nintendo Switch, por meio do Nintendo Switch Online.

Chrono Trigger é considerado um clássicos do jogos em 16 bits — Foto: Reprodução/Steam

7. Twelve Minutes

Neste suspense interativo do português Luís António, desenvolvedor independente com passagens por Rockstar Games (GTA 5) e Ubisoft (Assassin’s Creed), o tempo é seu recurso mais escasso. Twelve Minutes (2021) é um point and click que coloca o jogador em um looping temporal de 12 minutos que, muitas vezes, o conduz à morte. A única alternativa é descobrir como romper o ciclo, enquanto desvenda o mistério do suposto assassinato que envolve a sua esposa.

O jogo está disponível para download nos consoles Nintendo Switch, PS4, PS5, Xbox One e Xbox Series X/S, além de PC. Cabe destacar que Twelve Minutes também está catálogo do Xbox Game Pass.

Para desvendar os segredos de Twelve Minutes, é necessário muita atenção aos diálogos e detalhes do cenário — Foto: Divulgação/Steam

Com informações de TheGamer, Game Rant e Steam (1, 2, 3, 4, 5 e 6)

Mais do TechTudo