Segurança
Publicidade

Por Mariana Tralback, para o TechTudo


Apps suspeitos podem ser a porta de entrada para malwares, se instalados no celular. O risco existe até mesmo dentro das lojas oficiais de download, como Google Play Store e App Store, apesar dos mecanismos avançados de proteção das plataformas. Com isso, criminosos podem ter acesso a dados confidenciais, como mídias, senhas e dados bancários armazenados no smartphone, deixando-os expostos. Porém, existem formas de evitar o problema, como estar atento às avaliações do app e ao perfil do desenvolvedor. Confira detalhes a seguir.

Dicas ajudam a identificar aplicativos que não são confiáveis para download; veja como aumentar a proteção dos seus dados — Foto: Reprodução/Pexels

1. Download disponível em plataformas oficiais

O primeiro passo para proteção contra apps infectados é sempre realizar o download através de lojas oficiais, como a Google Play Store, para dispositivos Android, e App Store, para iOS. Embora ainda ofereçam riscos, as plataformas proporcionam uma maior segurança aos usuários, visto que possuem sistemas que avaliam os aplicativos antes que eles sejam disponibilizados.

Vale ressaltar que também existem muitas lojas não-oficiais para celulares Android e que as chances de adquirir apps com malware através delas são bem altas. Porém, se mesmo assim fizer um download em um serviço externo, é importante usar uma ferramenta de proteção que busque possíveis infecções nos arquivos, como a Metadefender.

Página inicial da Google Play Store, loja oficial de aplicativos para Android — Foto: Reprodução/Mariana Tralback

2. Se são feitas atualizações do app com frequência

Outro fator importante é estar atento às datas de atualização do aplicativo, já que um software desatualizado pode apresentar falhas e abrir brechas de segurança. Por isso, ao realizar o download de um novo app, verifique se ele costuma ser atualizado com frequência pelo desenvolvedor, o que o torna menos suscetível a ataques.

Também dê atenção aos apps já instalados e verifique nas plataformas de download se existem atualizações recentes para eles. Caso o processo não tenha sido realizado de maneira automática, faça manualmente para garantir mais segurança.

Demonstração de datas de atualizações recentes de aplicativos — Foto: Reprodução/Mariana Tralback

3. Se a reputação do desenvolvedor é boa

Analisar a reputação do desenvolvedor também é uma maneira de saber se um app é seguro. Dê preferência àqueles mais reconhecidos e, caso ainda esteja em dúvida, uma boa dica é pesquisar pelo nome do criador no Google, juntamente com o termo “mobile apps”. A partir dos resultados, dá para ter mais conhecimento sobre a confiabilidade.

Além disso, existem outros fatores a serem verificados. Caso o desenvolvedor possua muitos apps com poucas diferenças entre eles, como o nome ou a cor do ícone, pode indicar que foram criados de forma genérica, apenas com o objetivo de roubar informações. Ainda, fique atento a informações como o número total de downloads já realizados — se for muito baixo, é sinal de alerta.

Lojas oficiais mostram os apps criados pelos desenvolvedores e o número de downloads já realizados — Foto: Reprodução/Mariana Tralback

4. Verifique as permissões e políticas de privacidade do app

Ao instalar um app, é comum que ele solicite algumas permissões. Por isso, cheque se o que é pedido faz sentido com a funcionalidade do programa. Por exemplo, o Instagram solicita permissão para gravar áudios e capturar imagens, visto que é destinado a esse tipo de conteúdo. Caso as permissões pareçam suspeitas e não estejam de acordo com a proposta do aplicativo, é preciso ter cuidado.

Isso se mostra especialmente alarmante se as solicitações estiverem relacionadas à localização, arquivos armazenados, chamadas, mensagens de texto ou áudio/microfone. Essa pode ser uma maneira de acessar dados e colocar informações confidenciais em risco. Por isso, sempre verifique os detalhes na loja de aplicativos antes de realizar o download.

Ainda, preste atenção nas políticas de privacidade, já que os aplicativos maliciosos escondem riscos em meio aos termos e condições, pois sabem que a maioria das pessoas irá aceitá-los sem ler. Com isso, o usuário pode acabar permitindo ações perigosas como o compartilhamento de dados.

Aplicativos mostram suas listas completas de permissões para maior segurança — Foto: Reprodução/Mariana Tralback

5. Se for recomendado pelas lojas de apps

Outra dica é escolher apps para download que sejam indicados pelas lojas oficiais, o que é mais uma garantia de confiabilidade e segurança. Na Google Play Store, eles levam o selo “Escolha dos editores” e são facilmente encontrados na página inicial da loja. Já na App Store, podem ser encontrados na seção “Hoje”.

Páginas de aplicativos recomendados pela Google Play Store e App Store — Foto: Reprodução/Mariana Tralback

6. Se for bem avaliado por usuários

Analisar as avaliações dos usuários é mais uma forma de confirmar se um app é seguro. Antes de fazer a instalação, confira os feedbacks deixados nas páginas de download e saiba mais sobre a experiência das pessoas. Não se limite às opiniões em destaque: use filtros para conferir os comentários negativos. Se houver muitas opiniões indicando "farsa", não arrisque.

Outro fator a observar é se existe uma grande quantidade de avaliações positivas curtas e genéricas, que não citam recursos específicos, já que podem ter sido deixadas por bots.

Filtros de “Críticas” e avaliações "Positivas" sobre um app — Foto: Reprodução/Mariana Tralback

Com informações de MUO e WesternUnion

Veja também: Quatro dicas para proteger suas informações online

Quatro dicas para proteger suas informações online

Quatro dicas para proteger suas informações online

Mais do TechTudo