Redes sociais
Publicidade

Por Raquel Freire, para o TechTudo


Criadores de conteúdo agora têm mais possibilidades de ganhar dinheiro com o Facebook e Instagram. Isso porque a Meta expandiu e lançou novas formas de monetização nas duas plataformas, com destaque para o Facebook Stars. O programa Estrelas, que antes era restrito a criadores selecionados, agora é aberto para creators que tenham mil seguidores por 60 dias. O recurso já está disponível no Brasil e pode ser acessado por meio do Meta for Creators.

A empresa também aproveitou a oportunidade para anunciar a ampliação do compartilhamento de NFTs em ambas plataformas. O comunicado, feito na última quarta-feira (22), diz que a iniciativa tem como objetivo permitir que os influenciadores se preparem para o metaverso. No mesmo texto, a Meta diz ainda que não cobrará parte da receita das Assinaturas, dos Selos, dos Eventos online pagos e do Bulletin até 1º de janeiro de 2024. A seguir, o TechTudo lista em detalhes todas as novidades na monetização do Facebook e Instagram.

Instagram e Facebook expandem e ganham novas ferramentas de monetização — Foto: Getty Images / SOPA Images

Como ganhar dinheiro com o Google? Tire dúvidas no Fórum do TechTudo

Expansão do Facebook Stars

O Facebook Stars, chamado em português somente de Estrelas, é um programa para monetização de conteúdo. Por meio dele, os fãs podem comprar estrelas da plataforma e enviá-las para os criadores diretamente nos vídeos. É possível mandar 50, 200, 500 ou um número personalizado de estrelas; para cada uma, a Meta paga ao criador de conteúdo US$ 0,01 (cerca de cinco centavos de real, em conversão direta).

Até o momento, o programa estava restrito a membros do programa Level Up, voltado para streaming de jogos, e parceiros gerenciados. O recurso também só estava disponível para transmissões ao vivo feitas pelo Facebook.

Programa de monetização Facebook Stars é expandido para mais criadores e formatos de vídeo — Foto: Divulgação/Facebook

Com a mudança, a Meta disponibiliza a monetização para qualquer conta ou página que tiver mil seguidores por pelo menos 60 dias, desde que esteja em território elegível — que é o caso do Brasil. Também é necessário que o perfil esteja em conformidade com as políticas de monetização de parceiros e políticas de monetização de conteúdo da plataforma.

As estrelas também passam a integrar, além do Facebook Live, vídeos sob demanda e do Reels do Facebook, lançado no ano passado e que funciona em integração com o Reels do Instagram. As estrelas no Facebook Reels ainda estão em fase de testes e, atualmente, são liberadas para uma quantidade limitada de criadores. A liberação total da funcionalidade será feita "nos próximos meses", segundo a Meta.

Novas formas de ganhar dinheiro com o Facebook Reels

No ano passado, a Meta lançou o programa de bônus Reels Play, que dá dinheiro por reprodução de vídeos qualificados postados no Facebook. O recurso era restrito a criadores de conteúdo convidados, mas esse público será expandido.

A partir de agora, haverá um processo de inscrição para ingressar no programa, por enquanto exclusivo para os Estados Unidos. Qualquer um que tenha pelo menos cinco Reels originais postados nos últimos 30 dias e no mínimo 100 mil reproduções no mesmo período poderá participar.

Criadores terão mais formas de ganhar dinheiro com Reels do Facebook — Foto: Divulgação/Meta

A empresa também vai passar a remunerar vídeos postados simultaneamente no Instagram e Facebook pelas duas plataformas. Dessa forma, uma pessoa que criar um Reels no Instagram e fizer a publicação também no Facebook poderá ganhar participação na receita de anúncios das duas redes sociais. A mudança ocorrerá "ao redor do mundo, em muitos mercados", de acordo com o comunicado oficial da Meta, e abrangerá os integrantes do programa de bônus Reels Play.

Outra novidade será o lançamento da etiqueta "Parceria paga com" no Reels do Facebook. O objetivo é tornar as propagandas dentro da plataforma mais atrativas para os anunciantes, que poderão converter a promoção em conteúdo de marca.

Marketplace para criadores de conteúdo no Instagram

Em breve, será lançado um marketplace para criadores de conteúdo do Instagram. A plataforma funcionará como uma ponte entre empresas e influenciadores, que poderão aproveitar o espaço para dizer para quais marcas e sobre quais assuntos têm interesse em criar conteúdo.

A seção também permitirá aos criadores descobrir oportunidades de parceria com empresas verificadas e gerenciar negócios em andamento. A plataforma ainda está testando a intermediação de pagamentos dentro do app, de maneira que as marcas possam pagar os influenciadores por meio do próprio Instagram.

Instagram vai ter marketplace para criadores encontrarem marcas para parceria — Foto: Divulgação/Meta

Usando o já existente Meta Business Suite, as empresas também poderão aplicar filtros demográficos e de interesse para procurar influencers com os quais desejem fazer parceria. Se um criador postar conteúdo oriundo de parceria firmada através do marketplace, a publicação aparecerá com rótulo de "parceria paga", com todas as permissões nesse sentido concedidas automaticamente.

O marketplace ainda contará com uma seção especial para troca de DMs entre criadores e marcas. A função será lançada em fase de testes para empresas e influenciadores selecionados dos Estados Unidos. O comunicado afirma que o recurso será expandido nos próximos meses, mas não menciona para quais países.

Grupos de Assinantes Interoperáveis

A Meta está lançando um novo recurso chamado Grupos de Assinantes Interoperáveis. O objetivo é permitir que os fãs de plataformas online diversas enviem pagamentos para seus criadores favoritos no Facebook; estes, por sua vez, podem oferecer aos seguidores acesso a recursos exclusivos na mesma rede social.

A plataforma vai começar a testar a função com os grupos de Facebook exclusivos para assinantes. Dessa forma, uma pessoa que pague para apoiar um podcast, por exemplo, poderá ser inclusa automaticamente no grupo fechado deste podcast no Facebook.

Neste momento, a funcionalidade é restrita a criadores selecionados e a plataformas parceiras. O Facebook afirma que pretende expandir as plataformas futuramente, mas não menciona quando isso acontecerá. O comunicado também não cita nenhuma grande plataforma atual, como OnlyFans ou os canais de assinatura paga do YouTube, somente redes menores, como Acast e MemberPress, um plugin de associação e assinatura para o WordPress.

Recurso "Grupos de Assinantes Interoperáveis" permitirá converter fãs de outras plataformas online para grupos do Facebook — Foto: Divulgação/Meta

O Facebook anunciou ainda novas ferramentas para criadores que têm conteúdos de assinaturas pagas no Facebook. A partir de agora, o aplicativo móvel dará acesso às assinaturas e permitirá compartilhar um post visível apenas para assinantes, duas funcionalidades antes exclusivas da versão desktop.

A plataforma também adicionou um modelo de publicação para celebrar novos assinantes, que pode ser compartilhado em formato de post ou story, e passa a recomendar comentários de alta prioridade.

Compartilhamento de NFTs

Por fim, a Meta está ampliando o compartilhamento de NFTs para mais criadores do Instagram. O recurso, porém, continua em fase de testes e restrito a usuários selecionados, em apenas alguns lugares do mundo.

A empresa também anunciou que vai lançar a mesma ferramenta no Facebook, em caráter experimental, com criadores selecionados dos Estados Unidos. A Meta ainda vai introduzir o compartilhamento de colecionáveis digitais no Instagram Stories "em breve". Os itens digitais serão criados com o Spark AR, software de realidade aumentada do Facebook.

O comunicado garante que não serão cobradas taxas pela postagem ou compartilhamento de NFTs no Instagram. Os criadores também não poderão transformar posts de itens digitais em anúncios, pelo menos por enquanto.

Em sua empreitada rumo ao metaverso, a Meta produziu um guia sobre o NFT e sua importância para a próxima fase da web3. O texto, em inglês, trata de explicar o conceito dos tokens não fungíveis para leigos e como criar e vender NFTs, além de ser recheado de posts de arte digital no Instagram.

Com informações de Meta, Mark Zuckerberg (1, 2), Facebook (1, 2, 3, 4, 5, 6), Instagram (1, 2)

Veja também: Quatro coisas que você nunca deve postar nas redes sociais

Quatro coisas que você nunca deve postar nas redes sociais

Quatro coisas que você nunca deve postar nas redes sociais

Mais do TechTudo