Entrega
Publicidade

Por colaboração para o TechTudo


O iFood é mais um dos apps disponíveis para celulares Android e iPhone (iOS) que têm sido usados por criminosos para aplicar golpes, segundo furo divulgado pelo site Manual do Usuário na semana passada. A fraude é feita a partir de restaurantes falsos cadastrados na plataforma de delivery. Segundo relatos encontrados no Twitter, esses supostos estabelecimentos aceitariam os pedidos e, depois, simplesmente não os entregariam, deixando usuários no prejuízo. Para evitar esse golpe, veja a seguir como identificar e se proteger de restaurantes falsos no iFood.

Novo golpe no iFood de restaurantes falsos gera prejuízos aos usuários, que nunca recebem seus pedidos — Foto: Marvin Costa/TechTudo

Golpe no WhatsApp: como resolver? Descubra no Fórum do TechTudo

Como funciona o golpe do restaurante falso no iFood?

No golpe do iFood, os criminosos cadastram lojas falsas no app, montam um cardápio e, com ofertas atrativas, chamam a atenção de clientes. Usuários, então, fazem o pedido, pagando com antecedência via cartão de crédito, débito ou Pix. O pedido é aceito, e o valor é embolsado pelo "restaurante".

Em seus relatos, as vítimas alegam aguardar um longo período de tempo por pedidos que simplesmente nunca chegam. Tentam entrar em contato com os supostos estabelecimentos, mas não obtêm respostas e/ou encontram dados falsos, como telefone e endereços inexistentes. Quando conseguem completar a ligação, ela não é atendida. Assim, quem faz os pedidos a esses restaurantes falsos acaba saindo no prejuízo - já que só são aceitas solicitações em que o pagamento é antecipado.

Um fator que provavelmente possibilita esse tipo de golpe é o plano básico do iFood, modalidade em que o próprio estabelecimento fica responsável por levar os pedidos até o consumidor, sem acionar os entregadores da plataforma. Como o processo fica por conta da loja, é mais fácil declarar que a entrega foi realizada, ainda que isso não tenha acontecido.

Veja como se proteger de golpe do restaurante falso no iFood (Foto: Ana Marques/TechTudo) — Foto: TechTudo

Outra brecha para os criminosos é que, quando um novo restaurante é cadastrado no iFood, as avaliações não são exibidas. No lugar, é mostrado um selo de “Novo”, com a indicação de que o restaurante entrou na plataforma recentemente. Depois, quando as notas são liberadas, os restaurantes falsos já acumulam muitos feedbacks negativos e mensagens de alerta, mas pode ser que já seja tarde demais.

Em seus relatos, as vítimas alegam ainda não conseguir estorno pelo iFood. O TechTudo entrou em contato com o aplicativo para entender o posicionamento da empresa. À reportagem, o iFood explicou que “repudia desvios de conduta de qualquer usuário cadastrado no aplicativo” e que “tem se dedicado a criar mecanismos mais rigorosos para coibir essas práticas”.

Segundo informado pelo iFood, são checadas informações como CNPJ, endereço e CNAE antes da inserção de páginas na plataforma - medida que, em tese, reduziria a quantidade de estabelecimentos falsos. A empresa ainda afirmou que, em casos confirmados de fraude, os estabelecimentos são excluídos do aplicativo e encaminhados à investigação policial. Veja nota completa ao final da matéria.

Nas redes sociais, diversas vítimas afirmaram ter vivenciado o golpe. Confira abaixo.

Como identificar se um estabelecimento é verdadeiro?

Existem algumas maneiras de identificar a autenticidade de um restaurante cadastrado no iFood e, assim, evitar fraudes. É preciso primeiro atentar aos feedbacks dos clientes, já que a plataforma permite que as pessoas deixem uma opinião sobre sua experiência e uma avaliação que varia de 1 a 5 estrelas. Nos estabelecimentos falsos, normalmente serão encontrados diversos comentários negativos de usuários insatisfeitos por não receberem os pedidos, além de uma nota geral muito baixa.

No caso de restaurantes recém-chegados, que ainda não exibem as avaliações, uma forma de garantir mais segurança é pesquisar sobre o estabelecimento e verificar se ele é conhecido. Vale também checar no Google, no Reclame Aqui e em redes sociais - o que importa é ter a certeza de que a loja existe, está ativa e tem uma boa reputação antes de fazer o pedido.

Outra dica válida é colocar o pagamento para ser feito na hora da entrega. Assim, você já evita de antemão eventuais dores de cabeça relacionadas a pedidos nunca entregues.

Avaliações de restaurante fantasma, com a menor nota do app e diversas queixas sobre pedidos não entregues — Foto: Reprodução/Mariana Tralback

Caí no golpe do iFood, e agora?

Ao perceber o golpe em uma compra, é possível entrar em contato com o iFood pelo chat do app e solicitar o reembolso do valor. O processo pode levar até 72 horas para ser efetivado. Por outro lado, em muitas situações, a plataforma instrui o cliente a resolver o problema com os próprios restaurantes, principalmente quando as entregas não são realizadas por seus motoboys parceiros. Isso pode dificultar o estorno, já que os estabelecimentos, em tese, não existem.

Se você pagou pelo pedido por cartão de crédito, outro modo de tentar resolver o problema é entrar em contato com o banco responsável para relatar o golpe e, então, pedir o cancelamento da compra. Nesses casos, pode ser preciso reunir provas, como os prints das avaliações negativas no app e das tentativas malsucedidas de contato com a loja.

Já nos casos em que for selecionada a opção “Pagamento na entrega”, o único prejuízo será o tempo de espera do cliente, que nunca receberá seu pedido. Nessas situações, normalmente o entregador levaria a máquina de cartão juntamente com o pedido, e o pagamento só seria efetuado quando o cliente já estivesse com a refeição em mãos. Escolher essa modalidade pode ser uma boa maneira de evitar transtornos, porém, também é preciso ter muita atenção aos valores exibidos na tela antes de realizar a transação.

Segundo informado pelo iFood ao TechTudo, a plataforma recomenda aos usuários que tenham caído no golpe que peçam cancelamento dos pedidos a partir da aba “Ajuda”, disponível no próprio app.

O que diz o iFood?

O app de delivery enviou uma nota ao TechTudo explicando o posicionamento da empresa sobre esse golpe e os casos relatados na Internet, com indicações de como usuários devem proceder nesses casos. Veja abaixo.

"O iFood repudia desvios de conduta de qualquer usuário cadastrado no aplicativo, sejam consumidores, estabelecimentos parceiros ou entregadores independentes e está comprometido com a segurança de todos que usam o aplicativo. 

Em casos como o citado pela reportagem, ou na falta de comunicação do estabelecimento, recomendamos que o cliente entre em contato com o iFood e solicite o cancelamento do pedido pelo próprio aplicativo, clicando em seu Perfil, depois na aba “Ajuda”, indicando o pedido e selecionando a opção “pedido não entregue”. Para esse caso, a empresa informa que entrará em contato com os clientes mencionados. 

O iFood esclarece também que tem se dedicado a criar mecanismos mais rigorosos para coibir essas práticas e leva em consideração eventuais reclamações nos canais oficiais para análises de conduta dos parceiros. Dados como CNPJ ativo, CNAE, endereço, dados bancários da pessoa jurídica são checados antes do ingresso dos mesmos na plataforma. 

A empresa possui um time interno especializado e dedicado para acompanhamento de atividades suspeitas em todo o país, e a tecnologia é utilizada para  averiguação de dados, com a utilização de diferentes processos que permitem evitar e/ou direcionar quando há qualquer suspeita. Se a fraude for confirmada, o restaurante é descadastrado da plataforma e o caso também pode ser  encaminhado para investigação das autoridades policiais."

Com informações de Manual do Usuário

Veja também: Como cadastrar um código de desconto no iFood

Como cadastrar um código de desconto no iFood

Como cadastrar um código de desconto no iFood

Mais do TechTudo