Segurança
Publicidade

Por Juliana Campos, para o TechTudo


Ao criar uma nova senha, muitos usuários priorizam a praticidade em detrimento da segurança e se preocupam apenas em definir um código que seja fácil de lembrar. Não por acaso, é comum ver palavras-chave curtas, com números ou letras sequenciais e informações pessoais sendo utilizadas. Além disso, como há uma série de e-commerces, redes sociais e serviços online, muitos acabam repetindo a mesma senha em contas diferentes. Apesar de cômodas, essas práticas facilitam a quebra do código e abrem brechas para invasões. Para que você não cometa mais deslizes, o TechTudo listou sete erros comuns ao criar senhas. Confira a seguir e saiba como evitar o vazamento de dados pessoais.

Lista cita erros comuns ao criar uma senha — Foto: Reprodução/Getty Images

1. Criar senhas óbvias

Criar senhas óbvias, com sequências de números ou letras consecutivas, expõe o usuário à ação de hackers e aumenta o risco de ter seus dados violados. Isso porque essas palavras-chave, além de serem usadas por muitas pessoas, são fáceis de adivinhar: basta passar os dedos da esquerda para a direita no teclado numérico para decifrá-las.

Usar senhas com números e letras em ordem consecutiva é prática que deve ser evitada — Foto: Pexels

No final de 2021, o gerenciador de senhas NordPass divulgou uma lista com as 200 palavras-chave mais fracas utilizadas naquele ano. As dez primeiras são, respectivamente: "123456", "123456789", "12345", "qwerty", "password", "12345678", "111111", "123123", "1234567890" e "1234567".

2. Criar senhas curtas

Um dos principais erros ao criar uma senha é não se atentar ao seu comprimento. Isso porque, cada cada caractere adicionado, seja ele número, letra ou símbolo, aumenta as probabilidades de preenchimento e torna a palavra-chave mais difícil de ser descoberta. O ideal, portanto, é criar senhas que tenham, no mínimo, oito caracteres. Códigos assim são longos o suficiente para fornecer a segurança adequada, mas não tão compridos a ponto de dificultar a memorização.

Senhas mais longas são mais seguras — Foto: Pond5

3. Usar informações pessoais como senha

Outra prática que compromete o sigilo das senhas é criá-las usando informações pessoais. Códigos que contêm dados como data de nascimento ou casamento e nome do animal de estimação ou do time favorito podem ser facilmente adivinhados por amigos e familiares a partir do conhecimento que eles têm sobre você. Além disso, as informações também podem ser descobertas por hackers após uma breve varredura do conteúdo que você compartilha nas redes sociais. Por isso, evite utilizar informações pessoais ao criar uma nova senha.

Senhas que contêm informações pessoais são facilmente adivinhadas por amigos e familiares — Foto: TechTudo

4. Não usar números ou caracteres especiais

A falta de números ou caracteres especiais também facilita a descoberta de uma palavra-chave por hackers. Adicionar símbolos e números, bem como mesclar letras maiúsculas e minúsculas, à senha expande as possibilidades de preenchimento de cada caractere. Em uma palavra-chave de oito caracteres que utiliza apenas letras minúsculas, por exemplo, são possíveis aproximadamente 208,8 bilhões de combinações. Já ao utilizar letras maiúsculas, minúsculas e números, esse número sobe para cerca de 218,3 trilhões de possibilidades.

Usar caracteres especiais e letras maiúsculas e minúsculas aumenta a segurança da senha — Foto: Pixabay

5. Trocar letras por números e caracteres especiais

Ao contrário do que muitos pensam, trocar as letras das senhas por números e caracteres especiais não a torna mais segura. Isso porque os sistemas de adivinhação de senha usados por hackers já têm ciência de que essa é uma substituição comum. Assim, em tentativas de invasão, também são consideradas possíveis combinações e trocas usando caracteres especiais. O ideal, portanto, é que a senha utilizada siga uma tipologia aleatória, ou seja, que tenha um padrão mais difícil de decifrar.

Hackers usam sistemas de adivinhação de senhas que detectam substituições de letras por números — Foto: Getty Images

6. Repetir a mesma senha em contas diferentes

Outro erro comum é utilizar a mesma senha para diferentes redes sociais e serviços, como contas de banco e endereços de e-mail. O motivo é simples: ao desvendar uma palavra-chave, os hackers tentam reutilizá-la em diversas outras contas. Logo, se você repete o código em mais de uma conta, quando uma delas é comprometida, todas são. Além disso, também existem listas de senhas compartilhadas entre cibercriminosos, o que amplia ainda mais os riscos.

Hackers compartilham listas de senhas vazadas entre si — Foto: Getty Images

7. Usar senhas que variam apenas por um caractere

Para tentar não repetir a mesma senha em diferentes sites, muitos usuários variam a palavra-chave mudando apenas um caractere. Por exemplo, se a senha for "TechTudo2021", é comum alterá-la para "TechTudo2022". Esse processo, porém, não é recomendado, pois os softwares de adivinhação de senha conseguem desvendar essas similaridades e descobrir a senha da mesma forma. Portanto, evite estabelecer um padrão entre suas senhas e priorize sempre senhas aleatórias e diferentes das que você já criou.

Senhas que variam por apenas um caractere podem expôr dados do usuário a vazamentos e invasões — Foto: Towfiqu barbhuiya/Unsplash

Com informações de NordPass, MakeUseOf, KotoriTechnologies e ABC.net

Veja também: quatro lugares onde hackers podem encontrar informações sobre você

4 lugares onde hackers podem encontrar informações sobre você

4 lugares onde hackers podem encontrar informações sobre você

Mais do TechTudo