Redes sociais
Publicidade

Por Júlio César Gonsalves, para o TechTudo


O TikTok e o Youtube Shorts são apps de vídeos curtos concorrentes, mas que apresentam muitas diferenças em funcionamento e recursos. Por isso, definir a melhor opção entre eles pode ser difícil, já que os usuários devem considerar pontos como gosto pessoal e necessidades. O Youtube Shorts, por exemplo, é integrado ao app do Youtube e, desde o lançamento em 2021, já alcançou 1,5 bilhão de usuários. O TikTok, por sua vez, é o aplicativo mais baixado do mundo - acima até do WhatsApp. Para entender qual das plataformas se adequa melhor ao que você quer, veja a seguir um comparativo entre as duas opções.

TikTok logo no celular — Foto: Getty Images/NurPhoto

É possível saber quem visualizou meus vídeos no TikTok? Comente na discussão do Fórum do TechTudo

O que é o Shorts e quais as diferenças para o TikTok?

O Shorts é uma opção de vídeos curtos, gravados na vertical, que funciona de maneira integrada à plataforma do Youtube. A função chegou em versão beta para mais de 100 países em 2021, e o transformou em concorrente direto do app líder do segmento, o TikTok. Enquanto ele permite uploads de conteúdos entre 15 segundos e 1 minuto de duração, o TikTok aceita até 10 minutos.

Outro ponto de distinção é a possibilidade de linkar produtos diretamente no vídeo, já que muito usuários utilizam os apps para fazer propagandas. Embora no Youtube Shorts a função ainda não esteja disponível, ela já está em fase de testes e pode chegar até o fim de 2022. Já no TikTok, a opção "Shopping" permite abrir links que podem direcionar a um ou mais produtos.

Quanto às ferramentas de edição, tanto o TikTok quanto o Shorts apresentam opções diversas de filtros, moduladores de áudio, tela verde e ajustes - como de cor, brilho e saturação. A diferença, porém, é que o TikTok também possui alternativas de "stickers" e efeitos, tanto criados pelo app quanto por criadores de conteúdo - o que pode ser um diferencial na hora da escolha, já que permite viralizar através de hashtags e filtros.

Youtube Shorts possui mais de 1,5 bilhão de usuários e apresenta interface mais organizada que o TikTok; serviço ainda tem menos funções que o concorrente — Foto: Divulgação/Pexels

Quais recursos de edição que o TikTok tem e o Shorts não? E vice-versa?

De forma geral, o TikTok disponibiliza mais recursos de edição do que seu concorrente. Por exemplo, o app possibilita fazer "costura" e "dueto" - função que permite que usuários consigam criar vídeos a partir de outros, colocando-os lado a lado. A opção também permite marcar pessoas, adicionar hashtags e personalizar os vídeos com um vasto catálogo de filtros.

Já algumas das opções do Youtube Shorts que não estão presentes no TikTok são agendamento de posts, seleção de faixa etária adequada para o vídeo e possibilidade de edição do conteúdo mesmo após publicado. Além disso, o app permite modificar o modo de exibição como "invisível" ou apenas para pessoas específicas - o que pode ser um diferencial importante em relação à privacidade.

Como é o modelo de remuneração do TikTok? E do YouTube Shorts?

No TikTok, é possível ganhar dinheiro, por exemplo, com os presentes ao vivo. Ao fazer uma transmissão, seguidores podem comprar moedas virtuais usadas para adquirir "gifts". Em seguida, esses presentes são convertidos em diamantes, que podem ser transformados em fundos para posterior transferência para os criadores. Vale lembrar que, nessa modalidade, há retirada de 50% do valor para o TikTok.

A plataforma também oferece o Mercado de criadores, em que marcas podem entrar em contato com creators para a publicação de vídeos patrocinados. Além disso, há o Fundo do Criador, uma opção lançada em 2020 e que paga influenciadores por número de visualizações. Para essa última, é preciso ter ao menos 10 mil seguidores e 100 mil visualizações em vídeos nos últimos 30 dias, além de ser maior de 18 anos.

TikTok e Youtube Shorts possuem feeds com funcionamento similar, mas apresentam diferenças no acesso; entenda — Foto: Getty Images/SOPA Images

Já o YouTube Shorts remunera seus criadores por meio do YouTube Shorts Fund, um fundo de US$ 100 milhões de dólares - cerca de R$ 514 milhões de reais -, que permite aos canais qualificados receberem uma quantia que varia de US$ 100 a US$ 10 mil por mês (de R$ 500 a R$ 50 mil). Para isso, é preciso ter enviado um vídeo nos últimos 180 dias, além de respeitar todas as diretrizes da plataforma, regras de direitos autorais e políticas de monetização.

Vale ressaltar que vídeos com marcas d’água, que citam outras plataformas ou que exibem conteúdos de terceiros sem qualquer tipo de edição, não poderão se qualificar. Também é preciso respeitar as regras referentes à idade dos criadores em cada região. Assim, os canais qualificados para a monetização serão avisados por e-mail e terão até o dia 25 de cada mês para reivindicar a recompensa. Então, basta aceitar os termos do bônus e configurar uma conta no Adsense.

Qual é a diferença entre o acesso aos vídeos?

Na hora de assistir aos vídeos curtos, os aplicativos apresentam experiências similares. Ambas as timelines mostram os vídeos em tela cheia, na vertical, e é possível rolar a página quantas vezes quiser para ter acesso a mais conteúdo. A maior das diferenças, porém, encontra-se no momento de entrar nas plataformas, uma vez que o TikTok é um app e o Shorts é uma função integrada ao Youtube, de modo que é preciso acessar a aba específica para visualizar os conteúdos curtos.

Com informações de Make Us Of, Google Support, Insider, Mashable ( 1 e 2), Hootsuite, Alphr e Wondershare.

Veja também: 5 Aplicativos gratuitos que você precisa ter no celular!

5 Aplicativos gratuitos que você precisa ter no celular!

5 Aplicativos gratuitos que você precisa ter no celular!

Mais do TechTudo