Por Rafael Silva; do Tecnoblog


Quando a empresa de hardware open-source Adafruit ofereceu 2 mil dólares para qualquer programador que criasse drivers abertos para o Kinect, provavelmente não antecipou a fúria da Microsoft. A gigante de redmond, quando ficou sabendo do "concurso", disse que 'não tolera a modificação dos seus produtos' e que atualizaria as travas de segurança que por ventura forem usadas para hackear o sensor para o Xbox 360.

Navegador tem microfone para captar som ambiente — Foto: TechTudo

Mas parece que a empresa sentou, respirou fundo, se acalmou e está menos furiosa com os hackers do Kinect. Mesmo porque não há muito que eles possam fazer para impedir que drivers para o dispositivo sejam criados. Ainda assim, a empresa declarou que não vai mais procurar meios legais de impedir que programas livres e drivers para o Kinect apareçam.

Falando nisso, o primeiro a conseguir a façanha foi o programador americano Hector Martin, que liberou o programa sob o nome de OpenKinect no github.

O Kinect, aliás, já conseguiu vender mais de 1 milhão de unidades no mundo inteiro. E isso apenas nos dez primeiros dias de venda.

Mais do TechTudo