Por Rodrigo Tadeu; Para O TechTudo


Com todo o barulho ao redor dos consoles Xbox 360 e PlayStation 3, alguns dos jogos favoritos de muitos gamers continuam sendo os clássicos títulos de aventura “point and click”, lançados para PC na década de 90.

Eles não precisavam de potentes placas de vídeo para mostrar gráficos extraordinários naquela época, tampouco muita coordenação com as mãos. Tudo que era necessário era uma mente pronta para solucionar quebra-cabeças e um bom senso de humor. A lista abaixo é uma pequena seleção de jogos que marcaram esta época maravilhosa dos videogames. Uma pena que outros excelentes títulos tenham ficado de fora.

10 - Myst

Foi um dos títulos mais conhecidos entre os do gênero, ajudando a difundi-lo. Também foi considerado modelo para a indústria de jogos da época pelos seus gráficos atraentes numa época em que os recursos gráficos dos computadores eram limitados. Esteve entre os jogos para computador mais vendidos durante toda a década de 90, incentivando a produção de sequências: Riven, Exile, Revelation e End of Ages. O jogo também levou a publicação de livros baseados em sua história, um jogo MMORPG e histórias em quadrinhos.

Myst (Foto: Divulgação) — Foto: TechTudo

9 - Leisure Suit Larry

Vamos admitir, este tipo de jogo hoje não faria mais o menor sucesso. Mas quando foi lançado, isso pouco importava. O jogador se via correndo atrás de belas garotas, fazendo o possível e o impossível para levá-las para cama, e isso era hilário. Não fazíamos idéia do que exatamente era um profilático, e certamente algumas expressões mais apimentadas não sabíamos o significado. Com certeza um jogo que todos os jovens deveriam ter jogado e só por isso já merece seu lugar nesta lista.

Leisure Suit Larry (Foto: Divulgação) — Foto: TechTudo

8 - The Dig

Um jogo baseado em uma idéia do gênio Steven Spielberg para um episódio de Amazing Stories. Ficou famoso por sua ligação com o famoso diretor e notório por sua produção prolongada. Os gráficos contavam com desenhos feitos à mão e pouco animados, misturados com imagens 3D pré-renderizadas. Considerado o jogo mais sério da LucasArts, não contava com as características palhaçadas de outros títulos, mas sim com um humor muito sutil e era o único título que se encaixava perfeitamente no gênero de ficção científica.

The Dig (Foto: Divulgação) — Foto: TechTudo

7 - The Legend of Kyrandia

Tornou-se conhecido por sua interface extremamente simples, uma característica presente em todos os três jogos da série. O principal detalhe que diferenciava a trilogia da Westwood Studios foi a utilização de uma ação de “uso único “, ao contrário de interfaces multi-ação. Todos os três jogos foram caracterizados por um sistema de inventário bastante inovador. Era notável a variedade de ações físicas permitidas para misturar os itens, especialmente a grande liberdade de cair e pegar objetos, que foi usado por alguns dos quebra-cabeças, que no geral eram baseados em experiências com itens do inventário, combinando-os ou depositando-os nos lugares corretos.

The Legend of Kyrandia (Foto: Divulgação) — Foto: TechTudo

6 - Gabriel Knight

Todos os três jogos da série focaram nas aventuras de Gabriel Knight, um autor de Nova Orleans e dono de livraria que descobre que seu destino é se tornar um Schattenjäger, ou “Shadow Hunter “. Com uma mistura equilibrada de fatos históricos e elementos ficcionais, bem como a ênfase no desenvolvimento do personagem, os jogos de Gabriel Knight foram elogiados na época por sua narrativa. A música da série, composta por Robert Holmes, contribuiu significativamente para a atmosfera e sucesso do jogo.

Gabriel Knight (Foto: Divulgação) — Foto: TechTudo

5 - The Lost Files of Sherlock Holmes

Lançado em 1992 pela Electronic Arts foi considerado um avanço no gênero point and click utilizando os métodos de investigação do famoso detetive a partir de depoimentos de testemunhas e análises laboratoriais. O jogo ainda introduziu ambientes ricos em detalhes e som ambiente, sem contar o relativamente alto grau de precisão histórica, uma vez que a aventura se passa em Londres durante o período vitoriano.

The Lost Files of Sherlock Holmes (Foto: Divulgação) — Foto: TechTudo

4 - Indiana Jones and the Fate of Atlantis

Toda criança daquela época respeitava o Indiana Jones muito mais que qualquer outro herói. Se Harrison Ford aparecesse na nossa frente e falasse para socarmos nossa própria cara, não haveria outra escolha a não ser obedecer. Este jogo foi a primeira experiência de muitos garotos com o personagem em um videogame, e foi excelente. Ele foi o primeiro jogo point and click a incorporar uma ação frenética. Sem contar o sucesso que foi a trilha sonora de Indy no formato midi.

Indiana Jones and the Fate of Atlantis (Foto: Divulgação) — Foto: TechTudo

3 - Full Throttle

Full Throttle pode ser considerado aquele que mais elevou o nível de qualidade de produção e narração em jogos de aventura point and click. Graças ao gênio Tim Schafer o jogo possui muito estilo. Ben, o personagem principal, é um motoqueiro afável e faz o papel de um herói atípico em uma aventura com elementos de arcade e sequências cronometradas, divertidíssimo de jogar.


2 - Day of the Tentacle

Quem jogou este título sabe o que aqueles que não jogaram perderam. Muita coisa presente neste jogo estava muito à frente de seu tempo. Era possível controlar múltiplos personagens em diferentes momentos, e isso sim era um verdadeiro desafio. Sem contar o fato do jogo ser extremamente divertido e viciante. Mais ainda, impossível não amar um jogo onde o personagem principal se chamava Hoagie.


1 - Monkey Island

É impossível deixar de colocar Monkey Island na primeira colocação. Os jogos da série simplesmente tinham tudo de melhor. Música sensacional, uma história engraçadíssima, e claro, muitos desafios. Muitos jogos point and click possuem estes elementos, mas nenhum deles se compara a Monkey Island. Até hoje muitos jogadores devem pensar como vencer uma batalha com piratas, apenas insultando-os? Para todos aqueles que nunca jogaram um título da série, faça isso agora mesmo, pois vocês não vão se arrepender. Felizmente os títulos da série foram lançados nas principais redes online dos consoles e iOS para admirarmos Guybrush Threepwood em ação novamente.


Estes jogos com certeza trouxeram boas memórias , de uma imersão completa em seus fantásticos mundos, com personagens impossíveis de serem esquecidos, horas de frustração e o mais puro sentimento de satisfação quando se resolvia um quebra-cabeça. Mas acima de tudo, belas histórias, nem um pouco clichês, mas cheias de talento e inteligência. A maioria dos jogos point and click eram um veículo simples para ótimas histórias, sempre originais e cheias de novidades em relação as mesmas histórias previsíveis dos outros gêneros de jogo. E melhor que se sentir bem jogando, é se sentir inteligente, com diversos quebra-cabeças de lógica que eram muito mais desafiadores que sair atirando para todos os lados.

É realmente uma pena pensar que com o passar do tempo, tão pouco veremos outro Monkey Island, ou um Indiana Jones que não seja uma cópia mau feita de Tomb Raider. É de se pensar que estes títulos ficaram muito velhos para os dias de hoje e talvez possa parecer estranho para os novos gamers, mas no fundo eles querem contar uma grande história, desafiar intelectualmente o jogador, e criar uma experiência memorável. Hoje, talvez, nenhum jogo atual chega perto do que os point and click foram um dia.

Mais do TechTudo