Por Nick Ellis; da Redação


Muitas pessoas tem comemorado no dia 25 de maio o "Dia do Orgulho Nerd", e embora eu me considere nerd e tenha muito orgulho disto, preciso esclarecer algumas coisas.

Dia da Toalha sendo comemorado em Innsbruck (Foto: Reprodução) — Foto: TechTudo

Quem é nerd de verdade sabe que não existe este "dia do orgulho nerd", e encara esta denominação com um certo desprezo, pois geralmente é dita por alguém que definitivamente não é nerd e provavelmente não entende nada do assunto.

O dia 25 de maio é na verdade o "Dia da Toalha", uma homenagem ao saudoso autor Douglas Adams, criador do "Guia do Mochileiro das Galáxias", um dos livros de ficção científica mais importantes da literatura mundial.

Muitas pessoas podem até discordar, mas como nerd de carteirinha que sou, acho que posso falar sobre o assunto com certa propriedade, afinal nos últimos anos eu cheguei a gravar entrevistas sobre o assunto para o Fantástico e para o Espaço Aberto: Ciência e Tecnologia da GloboNews, sem falar no fato de ter sido eleito "Geek do Ano" em 2010. É verdade que tudo o que eu disse sobre o Dia da Toalha nestes programas acabou sendo cortado na edição final, mas isto não muda os fatos.

Na verdade o suposto "Geek Pride Day" é um evento menor, comemorado por poucas pessoas nos Estados Unidos no dia 25/05, enquanto os nerds mesmo (nos quais me incluo) comemoram o "Towel Day". A razão para o "Geek Pride Day" é que esta data marca o lançamento do primeiro filme da saga Star Wars em 1977. Eu confesso que também adoro Star Wars, mas os verdadeiros fanáticos pela saga de George Lucas preferem comemorar no 4 de maio, por conta de uma piada que mistura a data com a frase clássica "Que a Força esteja com você" ("May the Fourth be with you").

É difícil explicar o conceito do "Dia da Toalha" para quem nunca leu o "Guia do Mochileiro das Galáxias", mas o fato é que todo nerd que se preze deve andar por aí com uma toalha pendurada na mochila, assim ele estará seguro no caso de uma invasão alienígena. Caso tudo dê errado, uma toalha representa a sua única esperança de sobrevivência, pois sem ela você não vai arranjar uma carona para viajar pelo universo.

Caso você não tenha lido este autêntico clássico, eu recomendo que faça isto o quanto antes, pois você não vai se arrepender.

Saiba mais sobre a importância da toalha no site oficial do Towel Day, ou então confira as palavras do mestre Douglas Adams no texto abaixo (retirado do prório Guia do Mochileiro das Galáxias) e no vídeo no final deste post.

“A toalha é um dos objetos mais úteis para um mochileiro interestelar. Em parte devido a seu valor prático: você pode usar a toalha como agasalho quando atravessar as frias luas de Beta de Jagla; pode deitar-se sobre ela nas reluzentes praias de areia marmórea de Santragino V, respirando os inebriantes vapores marítimos; você pode dormir debaixo dela sob as estrelas que brilham avermelhadas no mundo desértico de Kakrafoon; Pode usá-la como vela para descer numa minijangada as águas lentas do rio Moth;

Pode umedecê-la e utilizá-la para lutar em combate corpo a corpo; enrolá-la em torno da cabeça para proteger-se de emanações tóxicas ou para evitar o olhar da Terrível Besta Voraz de Traal (um animal estonteantemente burro, que acha que, se você não pode vê-lo, ele também não pode ver você – estúpido feito uma anta, mas muito, muito voraz); Você pode agitar a toalha em situações de emergência para pedir socorro;

E naturalmente pode usá-la para enxugar-se com ela se ainda estiver razoavelmente limpa.

Porém o mais importante é o imenso valor psicológico da toalha. Por algum motivo, quando um estrito (isto é, um não-mochileiro) descobre que um mochileiro tem uma toalha, ele automaticamente conclui que ele tem também escova de dentes, esponja, sabonete, lata de biscoitos, garrafinha de aguardente, bússola, mapa, barbante, repelente, capa de chuva, traje espacial, etc., etc.

Além disso, o estrito terá prazer em emprestar ao mochileiro qualquer um desses objetos, ou muitos outros, que o mochileiro por acaso tenha “acidentalmente perdido”. O que o estrito vai pensar é que, se um sujeito é capaz de rodar por toda a Galáxia, acampar, pedir carona, lutar contra terríveis obstáculos, dar a volta por cima e ainda assim saber onde está sua toalha, esse sujeito claramente merece respeito.”

Tradução do blog Clarices, publicado originalmente no Jovem Nerd.

Mais do TechTudo