Por Eduardo Moreira; Para O TechTudo


A Microsoft resolveu se pronunciar sobre as recentes acusações de que o seu sistema operacional móvel Windows Phone 7 estaria coletando dados de localização dos telefones de seus usuários sem a sua prévia autorização. E, como era de se esperar, a fabricante do software nega as recentes acusações.

Windows Phone 7 (Foto: Divulgação) — Foto: TechTudo

O sistema operacional móvel da Microsoft foi alvo de uma ação judicial, movida na semana passada por especialistas de segurança, que afirmam que o sistema de câmeras do Windows Phone 7 estava coletando dados da localização do usuário de qualquer foto que ele registrasse, e que, sem alertar o mesmo, essas informações eram enviadas para a Microsoft.

A Microsoft disse que todo e qualquer dado de localização não pode ser correlacionado com um usuário em específico, o que garantiria a privacidade dos usuários. Não sabemos ainda como a Microsoft vai utilizar essa alegação como argumento de defesa durante o processo jurídico que enfrenta.

O problema de violação de privacidade do usuário em virtude do rastreamento de sua localização no uso dos seus smartphones se tornou mais evidente no mês de abril, quando um artigo do jornal New York Times revelou a extensão do problema. Na época, os sistemas iOS e Android foram acusados de enviar os dados das torres de celular e pontos de internet sem fio para os servidores da Apple e do Google, sem aviso prévio aos usuários.

Até as principais operadoras de telefonia dos Estados Unidos (Verizon, AT&T, T-Mobile e Sprint) admitem que podem rastrear os dados dos seus usuários, mas informam que só o fazem quando o Governo dos Estados Unidos solicita, com o objetivo de ajudar as autoridades policiais durante uma investigação. As operadoras alegam que não vão vender ou compartilhas essas informações, mantendo os dados em seu poder por tempos variados.

De qualquer forma, é mais um problema que a Microsoft precisa contornar com o Windows Phone 7.

Mais do TechTudo