Por Filipe Garrett; Para O TechTudo


Blue Gene. (Foto: Divulgação) — Foto: TechTudo

A IBM está trabalhando em um complicado processo de tentar simular o funcionamento do cérebro humano em seu supercomputador Blue Gene. A empreitada faz parte do programa Synapse.

O supercomputador opera com 147.456 processadores trabalhando aos pares. A simulação já alcançou 4,5% do funcionamento de um cérebro humano, equiparando-se a aproximadamente um bilhão de neurônios e 10 trilhões de sinapses. Em média, um cérebro humano possui 20 bilhões de neurônios e 200 trilhões de sinapses.

A IBM manifestou o objetivo de ser capaz de simular o funcionamento da mente humana de maneira integral em 2019, quando o Blue Gene – ou máquina equivalente – terá o total de aproximadamente 880 mil processadores.

A companhia descreveu as simulações que já conseguiu, como a de um cérebro de rato, para a qual foram necessários 512 processadores, e a de um gato, com 24,576 processadores. A grande dificuldade em simular o cérebro humano reside na dificuldade de se emular a capacidade total do processamento.

Individualmente, um supercomputador é capaz de reter muito mais informação que qualquer cérebro e é capaz de realizar cálculos que levamos dias, em segundos. Mas no que tange à inerente complexidade do processo de raciocínio, a verdade é que os supercomputadores ainda estão muito longe, como a pesquisa da IBM demonstra.

Além disso, o cérebro é um triunfo de engenharia: é compacto e consome uma porção bastante insignificante de energia, se comparado com as pequenas usinas que alimentam computadores como Blue Gene.

Mais do TechTudo