Publicidade

Por Filipe Garrett; Para O TechTudo


A OLPC (sigla da ONG “Um Laptop por Criança”) pretende enviar tablets para crianças de países em desenvolvimento e testar a capacidade delas interagirem com os dispositivos, sem professores, manuais, cursos, nada. A ideia é medir a capacidade de interação da criançada com os equipamentos e ver se elas conseguem não apenas aprender a usá-los sozinhas, mas ensinar aos demais.

André-Jacques Garnerin fez o primeiro salto de paraquedas há 216 anos, conheça a homenagem no Doodle do Google. 

Tablet da OLPC (Foto: Reprodução) — Foto: TechTudo

Depois de caírem do céu em paraquedas, os tablets da OLPC serão absorvidos pelas comunidades remotas. Aí, um ano depois, membros da OLPC irão aos lugares estudar e analisar os efeitos da chegada dos tablets na educação das crianças.

Os equipamentos terão livros e aplicativos educativos para incentivar a educação sob o princípio de pesquisas realizadas em diversas partes do mundo, que mostram que crianças são capazes de interagir e aprender a usar tecnologia mesmo sem a instrução de um professor.

Nicholas Negroponte, fundador da OLPC, disse que quer “jogar OLPCSs de helicópteros para ensinar as crianças a ler”. Os tablets serão desenvolvidos para resistirem a impactos e até aos efeitos da chuva.

O primeiro tablet da OLPC, o XO-3, tem atingido relativo sucesso no Peru, onde foi lançado como instrumento para que as crianças ensinassem seus pais a ler. Mas segundo Negroponte, o grande desafio da OLPC é fazer os aparelhos chegarem onde são necessários, e daí nasceu a ideia de arremessá-los de helicópteros em vilarejos isolados de países pobres.

O tablet a ser utilizado na experiência deve estar pronto em 2012, tendo como base o design revelado em 2010. O dispositivo terá uma bateria que pode ser recarregada a partir da luz solar e uma tela de 10 polegadas concebida para oferecer fácil visualização mesmo debaixo da luz do sol.

Mais do TechTudo