Por Felipe Velloso; da Contém Conteúdo


Lâmpadas de LED têm se tornado cada vez mais comuns e, nesse ritmo, dentro de pouco tempo vão se tornar uma realidade em nossas casas. Além de muito mais duráveis uma lâmpada de LED pode consumir até 87% menos do que as incandescentes, fazendo deste produto uma grande ajuda na hora da economia e da preservação ambiental. O Techtudo preparou um artigo explicando como funcionam estas lâmpadas e se o seu preço compensa a atual demanda do mercado pela nova tecnologia.

Funcionamento

ledlamp (Foto: ledlamp) — Foto: TechTudo

O LED é um diodo emissor de luz (a sigla significa Light Emitting Diode) de tamanho muito reduzido. Porém, mesmo assim, ele apresenta uma boa taxa de luminosidade e uma lâmpada possui vários desses diodos.

Os LEDs estão cada vez mais inseridos em nosso cotidiano. Se antes eram apenas utilizados como ‘sinalizadores’ em circuitos, hoje estão presentes no dia a dia em backlight de televisores LCD, na iluminação de veículos e em semáforos, por exemplo.

As lâmpadas de LED são eficientes porque elas produzem a mesma quantidade de lúmens (fluxo luminoso) com menor gasto energético. Por exemplo, para gerar o equivalente a 1300 lúmens basta uma lâmpada de LED de 20 Watts, enquanto a mesma luz só pode ser gerada por uma incandescente de 70 Watts. Outra grande vantagem presente no LED é que sua emissão de calor é praticamente inexistente, o que auxilia na economia energética, e sua durabilidade pode chegar a ser 25 vezes maior do que a de uma lâmpada comum.

Preço

Infelizmente o preço no Brasil de uma lâmpada de LED ainda é muito elevado. Uma lâmpada de 6W pode custar mais de R$ 80,00, e apesar de todas as qualidades, o produto ainda é um investimento muito acima do que é esperado. Hoje em dia é possível iluminar a sua casa de três maneiras distintas, através de lâmpadas incandescentes, fluorescentes e com o uso do LED. Vamos analisar o que é mais compensatório?

LED_Bulbs — Foto: TechTudo

Uma casa com cerca de 20 lâmpadas e que utilize somente o modelo incandescente, ao longo de cinco anos, tem uma média de 110 trocas de lâmpadas, o que representa um custo de cerca de R$ 195,00. A conta de luz é cara se considerarmos um consumo médio de 6.280 KW, que corresponde a um gasto de aproximadamente R$ 2.628 reais. Somando o investimento inicial mais as trocas, a fatura sobe para R$2.859 reais.

No mesmo lar, mas com lâmpadas fluorescentes compactas, já há uma grande mudança. Apesar de o gasto inicial ser mais alto, cerca de R$ 200 reais, e a necessidade da troca de pelo menos 14 das 20 lâmpadas (por R$ 140 reais) a diferença no consumo já é impressionante. Com apenas 1.944 KW de gasto energético no período de cinco anos, gasta-se o equivalente a R$ 778. Assim, em todo o período, o custo com as lâmpadas fluorescentes é de apenas R$ 1.118 reais.

Por fim, se o mesmo ocorresse em uma casa aonde todos usam lâmpadas de LED teríamos um resultado que fica entre os dois primeiros. O uso do LED é por si só um investimento caro, e 20 lâmpadas desse tipo requerem um investimento inicial de R$ 1.500 reais. Mesmo que nenhuma delas quebre nos cinco anos subsequentes, ainda é uma quantia muito alta, maior do que todo o período na casa de luzes fluorescentes. A conta de luz nos cinco é extremamente baixa. Com apenas 1.080 KW consumidos os donos da casa pagariam somente R$ 345,00 reais por cinco anos de iluminação. Confira a tabela a seguir que compara o gasto energético das lâmpadas em um período de 5 anos:

Tabela

  Lâmpadas Incandescentes Lâmpadas Fluorescentes Lâmpadas de LED
Gasto energético 6.280 KW 1.944 KW 1.080 KW

Apesar de um alto investimento inicial, as lâmpadas de LED representam uma grande economia energética e são muito mais duráveis. Portanto, essa é uma boa alternativa de economizar e preservar o ambiente.

Mais do TechTudo