Por Ticiana Porto; Para O TechTudo


No dia 5 de dezembro, demos adeus a Oscar Niemeyer. Ele estava internado desde 2 de novembro e completaria 105 anos em 15 de dezembro. Sentimos essa perda com a consciência de que é impossível pensar a arquitetura do século XX sem ele.  

Niemeyer, um marco na história da arquitetura

Niemeyer, o arquiteto e engenheiro que começou no escritório dos arquitetos Lúcio Costa e Carlos Leão, teve a chance de dar início a sua obra, quando, por indicação de Juscelino Kubitschek projetou, no início dos anos 1940, o Conjunto da Pampulha. E não parou mais.

Ele surge com formas curvas e assimétricas, rompendo com a arquitetura brasileira referenciada as primeiras décadas do século XX, que escondia a estrutura e produzia uma sucessão de blocos idênticos e excessivamente fechados.

A sofisticação do trabalho de Niemeyer sempre esteve instrinscecamente ligada ao avanço da tecnologia do concreto armado, condição para que ele imprimisse cada vez mais liberdade no processo de criação.

 Liberdade

A liberdade era um traço dele. Segundo Carlos Susseking, em “Oscar Niemeyer – minha arquitetura 1937-2005” (Editora Revan), “A personalidade do artista Oscar Niemeyer fica exposta durante o trabalho em conjunto com o engenheiro calculista durante a criação (…) A conversa prossegue, de imediato, com a busca do partido estrutural, seguido pela fixação das dimensões básicas. O mais fascinante é que dificilmente essas conversas demoraram (…) Um senso intuitivo; incomum; estético, do que a estrutura precisa”.

Sobre seu método de trabalho, Niemeyer dizia: “Para procurar a solução desejada, lógica, diferente, é sozinho que o arquiteto precisa trabalhar (…) Não acredito numa arquitetura ideal, insubstituível, mas somente em boa e má arquitetura (…) Passei a vida debruçado na prancheta, mas – sempre repito – a vida é mais importante do que a arquitetura. E isso explica eu dizer aos jovens que não basta sair da faculdade como um ótimo arquiteto, mas como um homem que leu, que conhece as misérias do mundo e contra elas sabe se manifestar”

Homenagens dos Igers

Foi emocionante acompanhar a extensão da homenagem prestada a Niemeyer no Instagram. Ao longo dos dias, centenas de imagens foram feitas e postadas por Igers do Brasil e de outros países. Certamente, o arquiteto das curvas, que não parava de criar, transmitiu sua liberdade e espírito inovador. Não era à toa que a maioria das imagens postadas trazia frases do próprio Niemeyer, como guias ou formas de motivação.

'Quando uma forma cria beleza, tem na beleza sua própria justificativa', Oscar Niemeyer (Foto: @laelprevitali) — Foto: TechTudo

“Espero que Brasília seja uma cidade de homens felizes; homens que sintam a vida em toda sua plenitude, em toda sua fragilidade; os homens que compreendem o valor das coisas simples e puras em um gesto', Oscar Niemeyer (Foto: @saviass) — Foto: TechTudo

“É o que eu queria dizer a você do meu trabalho. Criei com coragem e idealismo, mas também com a consciência do fato de que o que é importante é a vida, os amigos e tentam fazer este mundo injusto o melhor lugar no para se viver', Oscar Niemeyer (Foto: @annaleticohen) — Foto: TechTudo

Por fim, sobre sua arquitetura, Niemeyer dizia: “Um dia Le Corbusier comentou que eu tinha as montanhas do Rio dentro dos olhos. Achei graça. Preferia pensar como André Malraux, que dizia: ‘Guardo dentro de mim, no meu museu particular, tudo que vi e amei na vida”.

Veja mais fotos no Instagram @ticianaporto

Mais do TechTudo